Real Madrid tenta revolucionar trabalho nas divisões de base



O Real Madrid decidiu mudar toda a direção das suas divisões de base – la cantera madridista.  “A Fábrica” a partir de agora será comandada por Victor Fernández, novo diretor de formação do clube. A opção foi buscar um profissional experiente com mais de 15 anos de trabalho em equipes da primeira divisão espanhola para revolucionar a formação de jovens jogadores do clube mais poderoso do planeta. Seu contrato terá 3 anos de duração.

A temporada passada não apresentou resultados satisfatórios neste departamento. Até mesmo o Castilla – filial do Real e equipe dirigida por Zinedine Zidane –  decepcionou ao não garantir o acesso à Série B.

Victor Fernández já atuou como técnico em 544 partidas oficiais

Victor Fernández já atuou como técnico em 544 partidas oficiais

Fernández, com 54 anos, tem uma formação acadêmica original. Ele é formado em Geografia e História pela Universidade de Zaragoza. Ele tem 15 anos de experiência como técnico de equipes profissionais, dentre elas, o FC do Porto, Real Zaragoza. Tenerife, Celta de Vigo, Gent (Bélgica) e do Deportivo La Coruña. Seus resultados mais expressivos foram no Real Zaragoza onde conquistou uma Copa do Rei (1992/93) e uma Recopa da Europa (1994/95), a mais importante da história do clube.

A estrutura a ser coordenada por Fernández em Valdebebas (CT de formação do Real Madrid) contemplará também a participação de Narcis Juliá na busca da homogeneização de todas as categorias, unificando critérios para que todas sigam a mesma política (de comportamento e de jogo), de Juni Calafát na otimização e desenvolvimento do trabalho de scouting e captação de novos talentos e do veterano Ramón Martinez na elaboração dos contratos e no relacionamento com agentes e pais de atletas.

O Real Madrid tem alternado períodos de boas revelações produzidas nas divisões de base com outros menos profícuos. No atual elenco profissional surgiram nas categorias de base o terceiro goleiro Pacheco, Arbeloa, Carvajal, Nacho, Jesé e Lucas Vásquez. O atacante Morata, que brilhou na Juventus na última temporada, também surgiu em Valdebebas.

Raúl jogou 741 jogos pelo Real Madrid (foto - site oficial do RMCF)

Raúl jogou 741 jogos pelo Real Madrid (foto – site oficial do RMCF)

No passado, Camacho, Chendo, Butragueño, Guti, Martin Vázquez, Michel e Raúl foram os expoentes da cantera madridista.

Este trabalho esteve sob intensa cobrança nos últimos anos no Real Madrid devido ao sucesso extraordinário obtido pelas crias do arqui-rival Barcelona e seu CT de La Masia como Piqué, Busquets, Iniesta, Xavi e Lionel Messi com seus títulos do campeonato espanhol, das Copas, de Champions League, de Eurocopas de Seleções e da Copa do Mundo de 2010 na África do Sul (excluindo Messi, evidentemente).

 

 

 

 



  • Augusto do Vale

    Essas equipes nao sao equipes formadoras, ja comoram a mercadoria quase pronta, dai uma lapidada e dizem que formam jogadores. O Barca contou com uma geracao que nao vai existir mais, tambem so comoram jogadores, quem veio depois de Xavi e Iniesta? No Brasil isso tambem acontece, ex: o Santos, Diego Robinho, Neymar Ganso etc. as equipes consideradas formadoras sao equipes pequenas que dependen de vender seus jogadores para sobreviverem, e na europa tem muitas equipes assim, mas Real e Barca, nao estao dentro deste contesto.
    Guga FCZ sub 13

MaisRecentes

Jornais esportivos espanhóis de luto pelos atentados terroristas na Catalunha



Continue Lendo

Barcelona se revolta com matéria que vincula contratação de Paulinho aos interesses da empresa do presidente Bartomeu.



Continue Lendo

Campeonato Italiano com 20 clubes tem sido previsível e elitista ao longo da história



Continue Lendo