Real Madrid de Zidane e Cristiano Ronaldo se impõe sobre uma Roma corajosa



Atualizado às 13:03h de 18/02/2016

 

O Real Madrid obteve uma importante vitória sobre a Roma por 2 a 0, nesta quarta-feira, pela Champions League 2015/16. O resultado expressou a superioridade relativa da equipe espanhola ao longo da partida. Não foi uma atuação brilhante, mas consistente, construída a partir da ação individual excepcional de Cristiano Ronaldo que, aos 12 minutos do segundo tempo, num contra ataque fulminante, mortal, definido num drible perfeito do português num atento, mas indefeso marcador, naquele momento, Florenzi e concluído com um tiro fulminante no angulo superior esquerdo do arqueiro Szczesny.

A Roma, montada num arrojado 4-3-3, surpreendeu pela capacidade de se defender com organização e dificultar as iniciativas ofensivas da equipe de Zinedine Zidane. Faltou ao quadro italiano uma capacidade de definição mais letal, capaz de desfrutar das várias oportunidades de contra ataque que surgiram especialmente na primeira etapa. Apesar de terem participado intensamente da partida, El Shaarawy e Salah não tiveram a contundência nas finalizações que poderia ter alterado o destino do jogo e quebrado a série impressionante do goleiro Keylor Navas, que não tomou gol em 14 das 27 partidas em que defendeu a meta do Real Madrid nesta temporada.

Cristiano infalível mais uma vez (foto - Filippo Monteforte/AFP

Cristiano infalível mais uma vez (foto – Filippo Monteforte/AFP

A mídia espanhola destacou amplamente a nova atmosfera que respira o elenco do Real Madrid a partir da chegada de Zinedine Zidane ao seu comando. Não passou desapercebida a atitude de Cristiano Ronaldo que fez questão de comemorar seu tento junto ao técnico e aos demais jogadores do banco de reservas. Zidane vibrou como se fosse um atleta, efusivamente, tornando explícita uma sintonia com o elenco que parece estar inspirando a trilha de bons resultados recentes.

O site do diário Marca registra que, por duas vezes ao longo da partida, Cristiano Ronaldo se aproximou da linha lateral do campo para conversar com Zidane, explicitando uma cumplicidade inimaginável com o antigo treinador. Segundo o diário espanhol, a inédita substituição do português durante uma partida na atual temporada, foi uma maneira de Zidane abrir espaço para que os 1000 torcedores madridistas presentes ao estádio Olímpico prestassem sua reverência ao ídolo num momento de euforia proporcionado por um resultado tão importante.

A imagem diz tudo (foto - uefa.com)

A imagem diz tudo sobre o relacionamento Zidane-Cristiano (foto – uefa.com)

 

Ao fim da partida, Zidane fez questão de, ainda no gramado, se dirigir e cumprimentar todos os seus jogadores e demais membros da comissão técnica num ritual representativo do ambiente que ele pretende consolidar num clube repleto de egos inflados e personalidades cintilantes, que nem sempre se encontram adequadamente harmozinados.

O Real Madrid não tem um time pronto e exuberante como o do Barcelona, mas está conseguindo se remontar, obtendo os resultados que o levam adiante nas competições. Com sua força e tradição inerciais fica difícil duvidar de que sob a liderança de Zidane e, no campo, de Cristiano Ronaldo, o clube mais vezes campeão da Champions League irá longe na competição.

 

 

 



MaisRecentes

O Fórum Mundial de ligas nacionais de futebol é contra a expansão da Copa do Mundo



Continue Lendo

Argentinos tem vantagem sobre brasileiros em finais da Libertadores



Continue Lendo

La Liga conta com Amazon e Facebook para negociar TV por € 2.3 bilhões



Continue Lendo