PSG sai na frente no confronto com o Chelsea.



O PSG mereceu vencer o Chelsea por 2 a 1 na primeira partida das oitavas de final da Champions League 2015/16. Foi um grande jogo, altamente disputado pelas duas equipes, leal, emocionante do início ao fim, mas que teve o time francês sempre mais próximo do triunfo. De qualquer forma seria injusto não reconhecer a luta da equipe inglesa pelo melhor resultado possível em Paris.

Para os catastrofistas que decantam a falta de bons jogadores brasileiros na atualidade deve ter sido algo constrangedor constatar que 6 brasileiros participaram da partida: Marquinhos, Thiago Silva, David Luiz, Maxwell, Lucas Moura, William e Oscar, excluindo os nativos Thiago Motta e Diego Costa que optaram pelas nacionalidades italiana e espanhola respectivamente.

Ibra e Maxwell celebram gol contra o Chelsea (foto - psg.fr)

Ibra e Maxwell celebram gol contra o Chelsea (foto – psg.fr)

Ambas as defesas jogaram muito. Particularmente a do Chelsea teve um comportamento quase heroico, com seus componentes altamente comprometidos com o plano de jogo estabelecido pelo técnico Guus Hiddink, criando uma verdadeira muralha humana à frente do fantástico goleiro belga Courtois. Na meta francesa o arqueiro alemão Trapp também foi exigido e brilhou.

O primeiro gol do PSG, aos 39 m do primeiro tempo, nasceu de uma cobrança de falta forte de Ibrahimovic mas que sofreu um leve, mas crucial desvio no pé do volante John Mikel que não se posicionou adequadamente para a situação na barreira. O sueco agora tem 134 tentos assinalados pelo clube francês.

A equipe inglesa não se amedrontou e conseguiu o empate 6 minutos após através do próprio Mikel que, na pequena área, aproveitou com elogiável oportunismo uma bola mal rebatida pela defesa francesa e assinalou o gol do empate.

O segundo tempo foi indiscutivelmente mais favorável ao PSG que conseguiu se impor em campo e criar várias oportunidades de gol, na maior parte delas, obstruídas por uma atuação brilhante do belga Courtois. A eficiência da marcação da equipe francesa no meio campo neutralizou a ação normalmente lúcida e construtiva de Césc Fábregas. Por isto a ausência do volante Matic acabou fazendo muita falta ao meio campo da equipe londrina.

O gol decisivo de Cavani resultou de um passe primoroso de Di Maria que aproveitou um deslocamento inteligente e preciso do atacante uruguaio para colocá-lo em ótima situação na grande área inglesa em condições ótimas para chutar com precisão no canto direito baixo de Courtois. Foi o 71º gol do uruguaio em 131 partidas pelo clube.

Lucas Moura teve ótima atuação nos 73 minutos em que esteve em campo. Foi incisivo, participativo e fundamental para a criação de boa parte das ações ofensivas de sua equipe.

Lucas jogou intensamente enquanto esteve em campo (foto - psg.fr)

Lucas jogou intensamente enquanto esteve em campo (foto – psg.fr)

Marquinhos atuou como um autêntico lateral direito no PSG, longe de se limitar a compor a última linha defensiva defesa. Ele teve iniciativa ofensiva durante toda a partida demonstrando uma capacidade técnica incomum para um jogador que joga como zagueiro central.

Thiago Silva teve uma atuação segura do início ao fim, enquanto David Luiz cometeu alguns erros de posicionamento evidentes e perigosos no primeiro tempo.

Maxwell jogou bem, notadamente em termos ofensivos, funcionando sempre como um caminho eficiente da equipe para chegar ao ataque.

William participou intensamente pelo lado do Chelsea mas não teve o protagonismo que tem exercido na equipe nos últimos tempos. Oscar jogou pouco tempo, além de estar retornando de contusão.

Um dos destaques individuais de todo o jogo foi o volante italiano Verrati. Atuando entre Thiago Motta e Matuidi ele foi o grande maestro do meio campo francês com 94% de acerto nos passes. O técnico Laurent Blanc não mediu o adjetivo para classificar sua atuação: “extraordinária!” O jogador cumpriu apenas a segunda partida depois do retorno de um longo período de recuperação de um problema no púbis.

O técnico Guus Hiddink se revelou otimista para a partida em Londres, mas fez questão de ressaltar a força do elenco do PSG: “eles contam com 15 ou 16 jogadores de nível mundial”.

Cavani, por ironia, dedicou seu gol ao técnico Laurent  Blanc, que respondeu altivamente: “qualquer que seja o marcador eu estarei feliz. Mas, claro que estou muito feliz, Ed. Como ele atravessa um momento difícil, este gol deve trazer confiança para ele”

A partida de volta será em Stamford Bridge no dia 9 de março. Neste fim de semana, o Chelsea recebe o Manchester City pelas oitavas de final da FA Cup. Líder da Ligue 1 com 24 pontos de vantagem sobre o Monaco, segundo colocado, o PSG jogará contra o Reims, em Paris.

 

 

 

 

 

 

 



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo