Portugal x Gales – seleções com craques que não se escondem na hora da decisão



Portugal e País de Gales disputam, nesta quarta-feira, em Lyon, a primeira semifinal da EURO 2016. Duas seleções que chegaram à França longe de serem apontadas como favoritas e que foram se firmando na competição. Duas equipes que representam países pequenos no continente europeu. Portugal tem 10 milhões de habitantes enquanto o País de Gales tem apenas pouco mais de 3 milhões.

Trata-se do confronto que vai além do duelo de 2 dos mais valorizados e ambiciosos jogadores do futebol contemporâneo e que juntos ajudaram ao Real Madrid recentemente a conquistar sua 11ª Champions League. Cristiano Ronaldo e Gareth Bale são craques extraordinários, protagonistas de suas seleções e que integram 2 elencos que se superaram para chegar à semifinal da competição.

Até hoje as 2 seleções só se enfrentaram 3 vezes, todas em partidas amistosas. Esta será a primeira disputa numa competição oficial. Até então, Portugal venceu 2 vezes e Gales 1.

Gareth Bale lidera uma seleção solidária (foto - uefa.com)

Gareth Bale lidera uma seleção solidária (foto – uefa.com)

A equipe de Portugal, que disputa sua 5ª semi final numa EURO, reúne jogadores de maior projeção do que a de Gales. Pepe (dúvida), o jovem Renato Sanches, Nani e Quaresma são nomes mais badalados pela mídia esportiva europeia do que Ashley Williams, Joe Allen, Aaron Ramsey (suspenso) e Hobson-Kanu.

A seleção portuguesa na EURO, comandada pelo técnico Fernando Santos, vem sendo encarada criticamente pelo fato de não ter vencido durante os 90 minutos qualquer das 5 partidas disputadas até aqui. Na fase de grupos ela empatou com a Islândia em 1 a 1, com a Áustria em 0 a 0 e a Hungria em 3 a 3, Nas oitavas, venceu na prorrogação a Croácia por 1 a e, nas quartas, empatou com a Polônia com a bola rolando, mas venceu nas penalidades (por 5 a 3).

Cristiano é movido a desafios (foto - Lance!)

Cristiano é movido a desafios (foto – Lance!)

Já a seleção de Gales, dirigida pelo técnico Chris Coleman, tem uma campanha aparentemente mais impressionante. Ela estreou na primeira fase com vitória sobre a Eslováquia por 2 a 1, perdeu para a Inglaterra por 1 a 0 e goleou a Rússia por 3 a 0. Nas oitavas ganhou da Irlanda do Norte por 1 a 0 e, nas quartas, superou a favorita Bélgica por 3 a 1. Ela é a primeira seleção estreante numa EURO a chegar à semifinal desde que a Suécia o fez em 1992.

Estatísticas das campanhas não avalizam o senso comum

Curiosamente as estatísticas do desempenhos das 2 equipes contrasta com o senso comum de que Portugal tem sido um time menos efetivo e convincente que Gales. No balanço¹ dos 5 confrontos que cada uma jogou até aqui, a equipe de Cristiano Ronaldo chutou mais vezes a gol que a de Bale (95 a 64), produziu mais escanteios a favor (39 a 17), ficou mais vezes em impedimento (16 a 7), teve mais posse de bola (54% a 47%), mais precisão nos passes (97% a 81%), completou mais passes (2519 a 1502), com seus jogadores correndo mais que os galeses (607 km contra 531 km).

O fato de que Portugal só marcou 6 tentos até aqui enquanto Gales já assinalou 10 precisa ser analisado a partir das informações anteriores que atestam que Portugal jamais se mostrou uma equipe passiva, reativa, despreocupada ou despreparada para atacar. Na verdade sua maior deficiência na competição tem sido a imperícia de seus jogadores em transformar em gols a tentativas que construíram.

Cristiano Ronaldo x Gareth Bale

Não há como negar que, salvo na partida contra a Hungria, em que foi decisivo com 2 gols, Cristiano Ronaldo vem tendo um desempenho inferior ao de Gareth Bale. Além disto o comportamento do craque galês vem revelando um aspecto interessante de integração à sua seleção que tem contagiado seus companheiros e contribuído no fortalecimento do espírito coletivo de competitividade do elenco galês.

Ancelotti descata o profissionalismo de CR7 e Bale ( foto - Realmadrid.com)

Carlo Ancelotti descata o profissionalismo de CR7 e Bale ( foto – realmadrid.com)

Em artigo publicado nesta quinta-feira no site do diário londrino The Telegraph, Carlo Ancelotti, que dirigiu Cristiano Ronaldo e Gareth Bale no Real Madrid, destaca o incrível nível de profissionalismo e competitividade de ambos. Segundo Ancelotti, os 2 gostam de vencer até os jogos “de 7 na linha” disputados na véspera das partidas oficiais: “o que eles não fazem para buscar o triunfo para as seleções de seus países em que atuam com tanto prazer? Eles são jogadores diferentes, além das óbvias semelhanças”.

Ancelotti esclarece que “no Real, eu escalei Cristiano na esquerda e Gareth na direita por que era desta maneira que funcionava para o time. Gareth pode atuar em qualquer das posições de ataque que eu indicasse. Cristiano quis sempre jogar pela esquerda por que ele sentia que era ali que ele rendia melhor. Se ele jogasse no centro ele ficaria muito tempo de costas para o gol. De uma coisa podemos estar certos. Se a partida for para as penalidades, Cristiano e Gareth desejarão ser o primeiro a bater por sua seleção. Uma coisa é clara: eles não estarão escondidos atrás do banco quando os técnicos estiverem escolhendo os batedores”.

A disputa entre os 2 semifinalistas que jamais conquistaram a Euro será duríssima e imprevisível. O definitivo é que dela sairá um finalista franco atirador que não será fácil de ser batido na decisão de domingo contra a seleção certamente favorita que sair da disputa de amanhã entre França ou Alemanha.

 

¹ Dados estatísticos do site oficial da UEFA.

 

 

 



MaisRecentes

FIFA preocupada com boicote de países árabes ao Qatar, organizador da Copa de 2022.



Continue Lendo

Real Madrid, o “senhor das finais e do dinheiro” da Champions League



Continue Lendo

O seleto grupo dos tríplices campeões da Europa



Continue Lendo