Portugal, campeão da EURO 2016, se afirma como um gigante do futebol mundial



Atualizado às 09:10h de 11/07/2016

 

O dia 10 de julho de 2016 entrou para a história como aquele em que Portugal realizou seu mais legítimo e perseguido desígnio: o de se transformar em campeão de uma Eurocopa e passar a integrar o seleto grupo de grandes seleções campeãs da história do futebol mundial. Logo em Paris, como que uma dádiva aos quase 800 mil portugueses que vivem e trabalham na Cidade Luz.

Não é justo comparar a façanha portuguesa de 2016 a da Tchecoslováquia em 1976, a da Dinamarca em 1992 ou a da Grécia em 2004. O futebol português tem mais história, tem mais cabedal, títulos, ídolos e personagens que sempre o credenciaram ao sonho de conquistar a competição de seleções mais importante da Europa. Ao contrário, o título português demorou a chegar.

Portugal tem história no futebol (foto - uefa.com)

Portugal tem história no futebol (foto – uefa.com)

O futebol de Portugal não é um acaso. Como desprezar um país que, em 50 anos, produziu super craques mundiais como Eusébio e Cristiano Ronaldo? O Portugal campeão da EURO 2016 é o do Benfica de Eusébio bi-campeão da Liga dos Campeões de 1960/61 e 1961/82. O da seleção do 3º lugar na Copa do Mundo de 1966 na Inglaterra, dirigida por Oto Glória. O do FC do Porto campeão da Champions League 1986/7 e 2003/04. O da seleção de Felipão, Deco e Luís Figo, vice-campeão da Eurocopa de 2004 e 4º lugar na Copa do Mundo de 2006 da Alemanha.

Um país que teve 3 técnicos como Paulo Bento (Portugal), Fernando Santos (Grécia) e Carlos Queirós (Irã) dirigindo seleções na Copa do Mundo de 2014 não pode deixar de ser reconhecido como um ambiente em que este esporte é pensado com um mínimo de profissionalismo, ciência e paixão. Portugal também gerou José Mourinho 2 vezes campeão da Champions League (Porto e Inter de Milão), campeão nacional em 4 ligas diferentes e atual técnico do gigante Manchester United.

Portugal Campeão da EURO 2016

Portugal Campeão da EURO 2016

 

Um país com apenas 10 milhões de habitantes e que constrói este histórico de resultados e personalidades tão expressivas neste esporte sempre teve fundadas razões para sonhar em ser campeão continental de seleções na competição que é encarada como uma Copa do Mundo sem Brasil e Argentina.

Portugal jogou a EURO 2016 com a ambição dos grandes. Foi ofensivo, atacou mais todos os seus adversários. Os números comprovam que, mesmo empatando 6 partidas, em todas (à exceção da final), foi a equipe que mais dominou a bola, que mais passes trocou passes, que mais chutou a gol, que mais escanteios a favor gerou.

A seleção de Fernando Santos sonhou também porque tinha Cristiano Ronaldo em seu ataque, mas foi mais longe na sua ambição. Provou que era mais do que um time dependente de sua incontrastável estrela maior. A batalha final contra a França, no Stade de France, teve a duração de 127 minutos dos quais, em 102, a seleção portuguesa se viu obrigada a jogar sem seu craque que já foi eleito 3 vezes o melhor jogador do mundo, substituído por contusão aos 25 minutos do primeiro tempo.

A saída de Cristiano Ronaldo mereceu a ovação unânime do estádio. A partir dali transcorreu um outro jogo, tamanho foi o abalo provocado nos 2 times. A própria seleção francesa viveu momentos de torpor como que despreparada para enfrentar o adversário desarmado.a-bola-2016-07-11-6b51d4-min

O gol de Éder, ao 2 minutos do segundo tempo da prorrogação, premiou a ousadia do técnico Fernando Santos que optou por buscar a vitória colocando um atacante de área aos 34 minutos da partida no tempo normal no lugar de um meio campista (Renato Sanches). O tiro de fora da área do atacante luso-guineense Éderzito Antonio Macedo Lopez, 22 anos, surpreendeu o mundo pela força e colocação, mas antes de tudo, pela coragem e inspiração de quem o desferiu. Éder se juntou a Rui Patrício e Pepe como verdadeiros gigantes na final consagradora de Paris.

A mídia de Portugal celebra e decifra o feito em manchetes, como “Eterno”, “Épico”, “Orgulho de Portugal”. “É nosso”, “Reis da Europa” e “Campeões”. Talvez, “Justiça” também faça sentido para reverenciar tantos grandes jogadores e equipes que representaram Portugal em todos estes anos na busca pelo olimpo no futebol.

Este dia chegou no 10 de junho de 2016.

 

 



MaisRecentes

Os extravagantes valores de uma eventual transferência de Neymar do Barça para o PSG



Continue Lendo

United x City jogarão pela primeira vez o “derby” de Manchester fora do Reino Unido.



Continue Lendo

Raios X do empréstimo de James Rodriguez do Real Madrid para o Bayern de Munique



Continue Lendo