O futebol jogado na Alemanha é medíocre, com a honrosa exceção do Bayern de Munique



O fracasso alemão na Copa do Mundo da Rússia é manchete da mídia internacional. Pela quarta vez nos últimos cinco Mundiais, a seleção campeã na edição anterior foi eliminada na fase de grupos. Foi assim com a França em 2002, a Itália em 2010, a Espanha em 2014 e, agora a Alemanha em 2018. O Brasil escapou desta sina em 2006.

A conquista da Copa do Mundo disputada no Brasil foi interpretada por muitos como o coroamento de um processo racional e planejado de desenvolvimento do futebol alemão. De fato, a seleção comandada por Joachim Löw atuou de forma equilibrada e competente em 2014 e mereceu o título. Mas aquele sucesso foi erroneamente entendido como demonstração de força do futebol praticado pelos clubes alemães. Nada mais ilusório. Na verdade o esplendor do resultado em 2014 foi muito mais efêmero do que se supunha.

A realidade do futebol praticado pelos clubes alemães já deveria estar sendo questionada há muito tempo. Primeiro pela hegemonia alarmante do Bayern de Munique, consagrada pelo seus atuais 6 títulos consecutivos da Bundesliga. Depois, pela longa seca de conquistas dos clubes alemães nas competições europeias. É provável que o inegável sucesso financeiro e de marketing alcançado pela Bundesliga venha encobrindo a flagrante crise técnica do futebol praticado pelos clubes daquele país.

Dentre os 14 jogadores almães que participaram da patética exibição contra a inexpressiva Coréia do Sul ontem em Kazan 11 disputam a Bundesliga, sendo que metade deles em clubes de resultados esportivos modestos recentes como Colonia, Schalke 04, Bayer Lewerkusen, Leipzig e Stuttgart.

Toni Kroos (8) sucumbiu diante da mediocridade da equipe alemã nesta Copa (foto – AFP)

Nas últimos 15 temporadas, o único título europeu de um clube alemão foi o da Champions League 2012/13 conquistado pelo Bayern de Munique. De resto, os clubes alemães tem participado dos torneios da UEFA como coadjuvantes, ressalvada sempre a honrosa exceção do gigante da Baviera.

A última participação minimamente decente de um clube alemão na Europa League se deu na temporada 2008/09 quando o Werder Bremen foi derrotado na final pelo ucraniano Shakhtar Donetsk em Instambul. A outra experiência algo positiva anterior aconteceu na longínqua temporada 2001/02 quando o Feyenoord da Holanda venceu o Borussia Dortmund em Roterdam. O último clube alemão a levantar o troféu da Europa League foi o Schalke 04 na remota temporada 1996/97 quando ela ainda era chamada de Copa da UEFA.

A invejável organização da Bundesliga, a incomparável média de público presente nos estádios, a força esportiva e empresarial do Bayern de Munique e a conquista da Copa do Mundo no Brasil – após um jejum de 14 anos desde a Copa da Itália –  acabaram por encobrir a baixa qualidade da participação de seus clubes em termos internacionais.

A conta de tantos anos de falta de competitividade nas competições continentais de clubes chegou para o futebol alemão sob a forma humilhante da eliminação da Copa do Mundo da Rússia ainda na fase de grupos.

 

 

 



MaisRecentes

CR7 é caro, mas também uma máquina de gerar gols, audiência e dinheiro



Continue Lendo

Paul Scholes: Pep Guardiola inspira a Inglaterra de Southgate



Continue Lendo

A Copa do Qatar começa hoje para o Brasil. Não devemos nem perder tempo, nem perder Tite.



Continue Lendo