O Boca Juniors não pode passar impune



O mítico estádio La Bambonera foi palco de um dos mais tristes episódios da história da Copa Libertadores durante a partida Boca x River Plate desta quinta-feira. No campo os primeiros 45 minutos foram jogados num clima beligerante da parte dos jogadores do Boca que superaram qualquer limite razoável dadas as verdadeiras agressões – e, não apenas faltas – que cometeram.

A agressão aos jogadores do River envergonha o futebol (foto - Lance!Net)

A agressão aos jogadores do River envergonha o futebol (foto – Lance!Net)

Mas o mais grave ainda viria a acontecer quando a equipe do River Plate retornava ao gramado ao fim do intervalo e foi alvejada por uma substância identificada como gás de pimenta quando ainda se encontrava no interior do túnel inflável. Pelo menos 4 atletas acabaram se ferindo com queimaduras evidentes, visíveis nitidamente através das imagens da TV.

O árbitro foi mais do que tolerante e demorou mais de uma hora até decidir pela suspensão da partida, depois de várias intermináveis conversas com o delegado da Conmebol.

Um comportamento premeditado, planejado, inaceitável, covarde, animalesco, criminoso e irresponsável de “alguns”(?) torcedores do Boca, por certo, já que o jogo tinha torcida única.

A violência imperou nos 45 minutos jogados em La Bambonera (foto - Conmbebol)

Um Superclássico que macula a imagem do futebol argentino  (foto – Conmbebol)

A Conmebol não pode contemporizar ou fazer política diante deste episódio.

Ao mesmo tempo já passou da hora da mídia esportiva abandonar esta bobajada retrógrada retórica de “clima de Libertadores”, expressão que confere uma certa normalidade ao comportamento pouco civilizado de torcedores capazes de tramar agressões como a que vitimou os jogadores do River Plate.

A involução de alguns aspectos da sociedade argentina e do futebol daquele país não pode chegar ao futebol sul americano. O Boca Juniors merece uma punição exemplar.



MaisRecentes

As frustrantes estreias de Alemanha e Brasil



Continue Lendo

França sofre para vencer a Austrália



Continue Lendo

Uruguai sofreu, mas mereceu vencer o Egito.



Continue Lendo