Nem de Guardiola, muito menos de Mourinho. A liderança na Premier League é de Klopp.



A concorrida Premier League 2016/17, desde este último fim de semana, tem um novo líder. E ele não é dirigido nem por José Mourinho, 52 anos, nem por Pep Guardiola, 45 anos, a dupla de técnicos mais midiática do futebol contemporâneo e que está instalada em Manchester.

Disputada a 11ª  rodada, o Liverpool, de Jürgen Klopp, 49 anos, finalmente obteve a primeira posição na tabela da liga mais competitiva da Europa, da qual esteve afastada por 916 dias. E o fez de forma consagradora, goleando o Watford por 6 a 1.

Klopp: o sorriso de quem não tira os pés do chão (foto - liverpoolfc.com)

Klopp: o sorriso de quem não tira os pés do chão (foto – liverpoolfc.com)

O técnico alemão reinstaura deste modo a esperança de que o Liverpool,  segundo maior vencedor da história do futebol inglês, 26 temporadas depois, volte a conquistar o título nacional.

O interessante é que o sucesso dos “Reds” não se restringe aos números frios da tabela de classificação. A equipe de Klopp vem se destacando pelo futebol apresentado: intenso, frenético, baseado na marcação pressão no campo adversário, mudança constante de posições e nas transições velozes e criativas que surpreendem mortalmente os adversários.

O Liverpool não conquista o campeonato inglês há 26 temporadas. Neste período, ele levantou 1 Champions League, 1 Europa League, 3 FA Cups e 1 Copa da Liga. No entanto, seu maior rival, o Manchester United conquistou, neste mesmo espaço de tempo, 13 campeonatos e 2 Champions League assumindo o protagonismo indiscutível do futebol inglês.

A fórmula adotada por Klopp quando assumiu o clube há 13 meses foi: jogar com todo gás e no limite. O essencial de sua mensagem para os jogadores é: “deixem de pensar em dinheiro e pensem no futebol”.

Neste momento, 5 dos titulares do Liverpool são remanescentes da equipe básica de Brendan Rodgers, o técnico que o antecedeu. Klopp conseguiu montar um dos ataques mais eficientes e empolgantes da atualidade na Europa com 30 gols assinalados em 11 partidas e com o maior número de chutes contra o gol adversário: o senegalês Sadio Mané, Roberto Firmino e Philippe Coutinho. Junto com o Chelsea de Antonio Conte, 47 anos, é a equipe com mais vitórias: 8.

Mesmo sem gastar a fortuna investida pelos 2 gigantes de Manchester, o Liverpool conseguiu montar um elenco competitivo e quase completo, com jogadores como o goleiro alemão Karius, o meio campista holandês Wijnaldum e o atacante inglês Sturridge como jogadores que podem ser considerados entre os 14 “titulares” da equipe.

Klopp se orgulha de que 13 diferentes jogadores assinalaram gols em 14 diferentes jogos nas várias competições e trabalha com os pés no chão no exato instante em que assume a tão almejada liderança da Premier League:

-Se alguém pensa que estar um ponto à frente na tabela com apenas 11 jogos é uma grande sinalização para o resto da temporada, eu não posso ajudar a esta pessoa. Me perdoe! Nós estamos tranquilos, nada aconteceu. É a melhor posição que eu poderia imaginar, claro, mas nada demais aconteceu. Nós não falamos uma palavra antes do jogo – nós já sabíamos que o Arsenal empatara com o Tottenham – mas não trocamos uma palavra sobre a possibilidade de sermos líderes da tabela. A única coisa que você pode fazer no momento é trabalhar e estar concentrado, por que várias coisas diferentes podem acontecer nas próximas semanas e nos próximos meses. Se elas serão positivas dependerá de nós.

O “Normal One”, Jürgen Klopp, a seu modo, vai dividindo as manchetes com Mourinho e Guardiola. Pelo menos, até a 12ª rodada, no entanto, ele não dividirá a liderança da tabela com ninguém.

 

 



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo