Moratti prepara uma revolução para a Inter de Milão



O ex-presidente (de 1995 a 2014) e atual presidente de honorário, Massimo Moratti (1), vem desenvolvendo uma ideia que pode revolucionar o modelo de propriedade da F. C. Internazionalle de Milão e, a seguir, até de outros clubes italianos, segundo informa o diário  La Gazzetta dello Sport.

Massimo Moratti contratou Ronaldo para a Inter (Foto - arquivo Lance!)

Massimo Moratti contratou Ronaldo para a Inter (Foto – arquivo Lance!)

Moratti, que ainda possui 29,5% das ações do clube, estaria costurando uma articulação empresarial em conjunto com Ernesto Pellegrini (2), outro ex-presidente (de 1984 a 1995) de quem adquiriu o controle acionário. Ele imagina que os atuais 70% pertencentes aos empresários indonésios Erick Thoir e Handy Soetedjo poderiam ser comprados por uma sociedade a ser constituída com a participação de acionistas/torcedores, fundos de investimentos e altos capitalistas individuais. Pellegrini seria o executivo principal, colocando sua representividade empresarial à disposição do projeto e atraindo a elite interista para ele.

O movimento de Moratti, portanto, denota uma insatisfação latente com o tipo de gestão que os atuais acionistas majoritários do clube vem implementando com resultados esportivos cada vez mais decepcionantes a nível nacional e europeu. A Inter ocupa, neste momento, o 10° lugar da Série A caminhando para a exclusão das competições europeias na próxima temporada com inevitáveis consequências financeiras catastróficas.

A Inter alcançou uma receita de €164 milhões na temporada 2013/14 ficando no 17° lugar em termos de faturamento na Europa, segundo o relatório “Football Money League 2015” da empresa de consultoria Deloitte, atrás dos italianos Juventus (10°), Milan (12°) e Napoli (16°).

Internazionale.svg (2

Moratti calcula que existam entre 20 mil e 30 mil interistas capazes de aportar cada um anualmente €1 mil, gerando uma receita anual suplementar em torno de €20 milhões a €30 milhões. A ideia é de que o tamanho do aporte financeiro determinará o nível de influência que cada investidor terá na gestão do clube e os benefícios em termos de serviços e número de ingressos no estádio Giuseppe Meazza nas partidas da Inter.

No entendimento de Moratti, neste primeiro momento, a adesão ao projeto terá uma motivação mais romântica do propriamente financeira. Ele se baseia na percepção psicológica de que o torcedor interista típico se sensibilizaria em participar de um processo que revolucione a estruturação do clube e o reconduza à condição de protagonista do Calcio e do futebol europeu.inter torcida

Na verdade o que inspira o projeto de Moratti é a ideia de que uma entidade como a Inter deveria ser um organismo de representação empresarial e institucional do conjunto de pessoas e interesses que formam a sua própria base social, num formato que se aproximaria de modelos como os do Real Madrid, Barcelona e até mesmo dos clubes brasileiros.

Para entender a concepção que sustenta este projeto é preciso diferenciar o que é estruturação societária do que é modelo de gestão de um clube, coisa que muita gente ainda não foi capaz de entender no funcionamento do futebol contemporâneo.

(1)Massimo Moratti tem 69 anos e é filho de Angelo Moratti, ex-presidente da Inter entre 1955-1968. Ele é um empresário do ramo petrolífero e é casado com Emília, uma ativista de causas ecológicas, com quem tem 5 filhos. Nos seus 18 anos de presidência a Inter conquistou 4 títulos da Série A, 6 títulos da Copa Itália, 4 títulos da Super Copa, 1 Mundial de Clubes, 1 título da Champions League e 1 título da Europa League. Neste período ele contratou, dentre outros, Roberto Carlos, Hernan Crespo,  Christian Vieri, Adriano, Ivan Zamorano, Roberto Baggio, Javier Zanetti, Zlatan Ibrahimovic, Luis Figo, Wesley Sneider, Julio Cesar, Ronaldo, Patrick Vieira, Samuel Eto´o, Diego Milito e Esteban Cambiasso. Ele teve como técnicos, dentre outros, Roberto Mancini, José Mourinho, Marcello Lippi e Roy Hodgson. Moratti é o atual presidente honorário da Inter.

(2) Ernesto Pellegrini tem 74 anos e é empresário do ramo de restaurantes com ramificação em vários países africanos. Em seu mandato ele contratou os alemães Karl-Heinz Hummenigge, Lottar Mathaeus, Andreas Brehme e Jürgen Klinsmann. Neste período a Inter conquistou 1 título da Série A, 1 Super Copa Itália e 2 Copas da UEFA.



  • Sociedade a ser constituída com a participação de acionistas/torcedores, fundos de investimentos e altos capitalistas individuais. Pellegrini seria o executivo principal, colocando sua representividade empresarial à disposição do projeto e atraindo a elite interista para ele.É tudo balela, se tivesse bala para fazer isso não teria vendido 70% da ações da Inter.

    • Luiz Augusto Veloso

      Luciano, a viabilidade do proejto não passa pela bala nem do Moratti, nem do Pellegrini, mas da credibilidade deles em atrair os torcedores e investidores para o projeto.

MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo