México e Venezuela seguem na Copa América. Uruguai está fora.



A Copa América Centenário produziu a primeira surpresa concreta com a eliminação do tradicional e respeitado Uruguai da próxima fase com uma rodada de antecipação no Grupo C. Ela foi produzida pela combinação da surpreendente e justa vitória da Venezuela sobre a equipe dirigida pelo venerando Óscar Tabárez, por 1 a 0, diante de 23 002 pessoas no Lincoln Field, na Filadélfia, com o triunfo do México sob o comando de Juan Carlos Osório (10 jogos e 10 vitórias) sobre a Jamaica, por 2 a 0, no Rose Bowl, na Califórnia, com mais de 83 mil testemunhas.

 

Venezuela elimina o líder das eliminatórias sul-americanas

O curioso é que a Venezuela é a última colocada nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Rússia 2018 com 1 ponto ganho em 6 jogos enquanto o Uruguai é o líder com 13 pontos. O que evidencia a incrível capacidade do futebol em apresentar soluções surpreendentes quando disputado em contextos distintos.

Rondóm marcou um gol histórico para a "Vinho Tinto" ( foto - conmebol.com)

Rondóm marcou um gol histórico para a “Vinho Tinto” ( foto – conmebol.com)

 

A vitória venezuelana, desta vez, pode ser considerada inclusive magra dada a quantidade de oportunidades surgidas, além do gol típico de um artilheiro como Randón, letal nas circunstâncias pela percepção de que haveria o rebote e pela velocidade com que se movimentou na direção da bola. Curiosa a crítica ao goleiro uruguaio Muslera, daqueles que são “papas” do fato consumado. Muslera não estava tão adiantado. O venezuelano Guerra, um dos melhores do jogo, acertou um chute fabuloso de uma distância e de uma posição dificílima. Criticar Muslera é menosprezar a proeza e a felicidade de Guerra na jogada.

 

México não teve vida fácil com a Jamaica

Já o México venceu como se esperava, mas com algum sofrimento. A Jamaica é um time atlético, intenso e que conseguiu criar algumas situações que só não redundaram em gol em função da atuação impecável do goleiro Ochoa. Chicarito Hernández aos 17 minutos do primeiro tempo e seu substituto Oribe Peralta, aos 35 minutos do segundo tempo, reforçaram a constatação de que homens de área com fato de gol Juan Carlos Osório tem de sobra.

O artilheiro Chicarito Hernández não vacilou mais uma vez (foto - conmebol.com)

O artilheiro Chicarito Hernández (14) não vacilou mais uma vez (foto – conmebol.com)

Na segunda-feira, no estádio NGR, em Houston, no Texas, o México garantirá a primeira colocação do grupo com um empate. A Venezuela jogará como franco atiradora, premiada pela classificação histórica obtida sobre a Celeste Olímpica.

 



MaisRecentes

Juve e Leicester faturaram mais do que o campeão Real Madrid na Champions 2016/17 devido ao “market pool”.



Continue Lendo

Raios X dos 100 gols de Messi pelo Barça em competições europeias



Continue Lendo

Barça exibe bandeira pelo diálogo na Catalunha mas impede a distribuição de cartazes no Camp Nou



Continue Lendo