México e Venezuela seguem na Copa América. Uruguai está fora.



A Copa América Centenário produziu a primeira surpresa concreta com a eliminação do tradicional e respeitado Uruguai da próxima fase com uma rodada de antecipação no Grupo C. Ela foi produzida pela combinação da surpreendente e justa vitória da Venezuela sobre a equipe dirigida pelo venerando Óscar Tabárez, por 1 a 0, diante de 23 002 pessoas no Lincoln Field, na Filadélfia, com o triunfo do México sob o comando de Juan Carlos Osório (10 jogos e 10 vitórias) sobre a Jamaica, por 2 a 0, no Rose Bowl, na Califórnia, com mais de 83 mil testemunhas.

 

Venezuela elimina o líder das eliminatórias sul-americanas

O curioso é que a Venezuela é a última colocada nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo da Rússia 2018 com 1 ponto ganho em 6 jogos enquanto o Uruguai é o líder com 13 pontos. O que evidencia a incrível capacidade do futebol em apresentar soluções surpreendentes quando disputado em contextos distintos.

Rondóm marcou um gol histórico para a "Vinho Tinto" ( foto - conmebol.com)

Rondóm marcou um gol histórico para a “Vinho Tinto” ( foto – conmebol.com)

 

A vitória venezuelana, desta vez, pode ser considerada inclusive magra dada a quantidade de oportunidades surgidas, além do gol típico de um artilheiro como Randón, letal nas circunstâncias pela percepção de que haveria o rebote e pela velocidade com que se movimentou na direção da bola. Curiosa a crítica ao goleiro uruguaio Muslera, daqueles que são “papas” do fato consumado. Muslera não estava tão adiantado. O venezuelano Guerra, um dos melhores do jogo, acertou um chute fabuloso de uma distância e de uma posição dificílima. Criticar Muslera é menosprezar a proeza e a felicidade de Guerra na jogada.

 

México não teve vida fácil com a Jamaica

Já o México venceu como se esperava, mas com algum sofrimento. A Jamaica é um time atlético, intenso e que conseguiu criar algumas situações que só não redundaram em gol em função da atuação impecável do goleiro Ochoa. Chicarito Hernández aos 17 minutos do primeiro tempo e seu substituto Oribe Peralta, aos 35 minutos do segundo tempo, reforçaram a constatação de que homens de área com fato de gol Juan Carlos Osório tem de sobra.

O artilheiro Chicarito Hernández não vacilou mais uma vez (foto - conmebol.com)

O artilheiro Chicarito Hernández (14) não vacilou mais uma vez (foto – conmebol.com)

Na segunda-feira, no estádio NGR, em Houston, no Texas, o México garantirá a primeira colocação do grupo com um empate. A Venezuela jogará como franco atiradora, premiada pela classificação histórica obtida sobre a Celeste Olímpica.

 



MaisRecentes

Jornais esportivos espanhóis de luto pelos atentados terroristas na Catalunha



Continue Lendo

Barcelona se revolta com matéria que vincula contratação de Paulinho aos interesses da empresa do presidente Bartomeu.



Continue Lendo

Campeonato Italiano com 20 clubes tem sido previsível e elitista ao longo da história



Continue Lendo