Menotti: “A Argentina sem Messi é uma equipe normal”.



O ex-técnico da seleção argentina Cesar Luís Menotti, aos 76 anos, parece mais crítico da seleção de seu país do que boa parte da mídia brasileira.

Em artigo publicado no diário de Barcelona “La Vanguardia”, “El Flaco” (O Magro), defende o craque e contesta a qualidade do resto do elenco que o cerca no selecionado nacional: “se não fosse Messi, nós sequer teríamos ido ao último Mundial”. Menotti vai mais longe e compara a Argentina sem Messi ao Brasil sem Neymar: são equipes normais.

Menotti foi técnico profissional de 1970 a 2010. (foto - Lance!Net)

Menotti foi técnico profissional de 1970 a 2010. (foto – Lance!Net)

Menotti desnuda a qualidade técnica da atual geração de futebolistas de seu país que não vence uma competição há 22 anos, a Copa do Mundo há 29 e que, nos últimos dez anos, conquistou apenas 3 Copas Libertadores comparadas as 6 ganhas pelas equipes brasileiras.

O texto do técnico campeão do mundo em 1978 critica a utilização de jogadores argentinos que atuam em clubes europeus na disputa da Copa América que estariam desgastados por conta da temporada europeia propondo a montagem de uma equipe baseada apenas em jogadores empenhados no campeonato argentino. Ele se esquece que ano que vem será a vez dos jogadores europeus realizarem o mesmo esforço na disputa da Eurocopa da França.

Messi terá 31 anos na Copa do Mundo da Rússia  (foto - Arquivo Lance!)

Messi terá 31 anos na Copa do Mundo da Rússia (foto – Arquivo Lance!)

Independente de pontos controversos – como não mencionar qualquer mérito no Chile de Sampaoli – o texto de Menotti merece ser lido por quem pensa o futebol e não se rende à repetição exaustiva do politicamente correto que está emburrecendo a reflexão dos problemas do futebol brasileiro ao mediocrizá-lo, criando parâmetros mentirosos sobre a qualidade do futebol praticado por outras seleções.

A grande questão, a meu ver, que Menotti não ataca em seu artigo é o atraso do início do processo de renovação dos jogadores da seleção argentina dada a altíssima média de idade da sua composição na Copa América. Se este problema não for atacado já, Messi corre o risco de, nas eliminatórias, seguir acompanhado dos mesmos companheiros dos recentes fracassos, só que mais velhos.

Segue o artigo assinado por Menotti publicado no www.lavanguardia.com :

 “Messi jogou boas partidas na Copa América quando a Argentina jogou bem, como não poderia ser de outra forma. Embora seja provável que na Seleção não exista contundência e a ideologia que permitam a Leo uma total segurança para mover-se. Mas seu talento está intacto. Por mais que eu o tenho notado cansado na final. É verdade que o Chile trabalhou bem sobre ele, mas em alguns momentos tive a sensação que havia alguma coisa. Aconteceu o que aconteceu. Mas, vamos nos entender de uma vez por todas: uma orquestra sinfônica não se faz apenas com um piano brilhante. São necessários violinos e instrumentos de sopro. É necessária toda a orquestra. A Argentina não fez uma boa final. Nem mesmo Messi. Sem dúvida, só uns dias antes, contra a Colômbia e Paraguai,  jogamos bem. Por isto não faço drama. Messi continua sendo o melhor jogador de futebol do mundo e voltará a mostrar isto.

O problema é que o futebol tem algo perverso. Leo terminou uma temporada extraordinária com o Barcelona ganhando a Copa do Rei, a La Liga e a Champions League. E, ao invés de estar no mar com a família, estava na Copa América. Esta é a loucura que tem que acabar. Para ele não deve ser divertido estar suando enquanto Iniesta, Busquets, ou Piqué estão descansando nas férias. E, no seu caso, não há só a fadiga física, mas todo o resto, os compromissos comerciais e as viagens.

A solução poderia passar por armar uma equipe com jogadores do campeonato argentino e não contar com uma base de 90% dos jogadores que atuam na Europa, onde a temporada é mais dura. Talvez, seja isto o que eu pediria ao técnico da Seleção: mais treinamentos, menos viagens a Roma, Nápoles ou Manchester para ele poder ver mais partidas em Jujuy ou Tucumán, por que, aqui, também há bom jogadores e deveríamos trabalhar com eles.

Para Menotti Lionel Messi deveria estar descansando e não na Copa América (foto - site oficial do FCB)

Para Menotti Lionel Messi deveria estar descansando e não na Copa América (foto – site oficial do FCB)

Me parece ridículo que alguém que está fora do grupo dê opinião sobre quem deve ser o capitão, sobre se Messi dever levar a faixa ou se o líder deve ser Mascherano. Temos que ser sérios. Se alguém não gosta de alguma coisa deve deixar claro. Me parece que este é compromisso que os jornalistas e os analistas deveriam ter com o público. Não cabe entrar no funcionamento do grupo por que sobre isto só conhece quem está dentro. Devemos deixar este tema para os jogadores e o treinador. Um ponto forte desta Argentina é que estes rapazes tem muito tempo juntos no vestiário.

Temos que se claros e sinceros quando entre nós quando comparamos o rendimento de Messi no Barcelona e na Seleção. Se não fosse por ele a Argentina não teria ido ao Mundial. Se Messi não tivesse jogado, a Argentina não teria superado a primeira fase no Brasil quando sofreu contra equipes infinitamente piores. E se não fosse Leo a Argentina sequer teria jogador a final do Mundial. Ela contava com o esforço dos companheiros que marcavam gols e corriam , mas só ganhava quando Messi tirava o coelho da cartola.

As pessoas pensam que por termos Messi temos que ganhar tudo. Não nos equivoquemos: a Argentina sem ele é uma equipe normal. Igual ao Brasil sem Neymar e que pode perder para qualquer um. Os que melhor jogaram a Copa América foram Equador e Peru. Esta é a verdade. Portanto temos que cuidar de Messi e não criticá-lo. Vamos protegê-lo, se não, não vamos ao próximo Mundial”.

 

Post atualizado às 13:16h de 08/07/2015



  • Ana Lúcia

    Tá aí o cara que deixou Maradona de fora da copa sendo que todos pediam o mesmo na seleção por SEMPRE ter mostrado futebol acima da média. Ganhou a copa de 78 e só por isso não foi execrado, hoje abre a boca para falar e tenta se colocar em baixo dos holofotes. Senhorzinho vai tomar seu minga quentinho.

MaisRecentes

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo

Última chamada na Champions League: 7 clubes disputam 4 vagas.



Continue Lendo