Manchester City passa a ser o segundo clube da Premier League em faturamento



Atualizado às 08:08 de 19/10/2016

 

O Manchester City anunciou, nesta terça-feira, que bateu seu próprio recorde em receitas na temporada 2015-16 e que conseguiu gerar lucro pela segunda temporada consecutiva desde que passou a integrar o grupo pertencente ao Sheik Mansour bin Zayed al-Nahyan, o City Football Group. O faturamento do clube foi de € 439 milhões, 11% superior a do ano anterior e o lucro foi de € 23 milhões.

Com estes números o Manchester City passa a ser o segundo clube da Premier League em receitas, superado apenas pelo vizinho e maior rival, Manchester United, cujas receitas no mesmo período foram de € 577 milhões. O custo da folha salarial chegou a € 220 milhões se limitando a 50% das despesas globais, algo bastante positivo no cenário do futebol contemporâneo. As receitas geradas pelo Etihad Stadium cresceram 21%, as de direitos de tv 19% e as de marketing apenas 3% já que muitos das iniciativas nesta área foram compartilhadas pelos outros clubes pertencentes ao Sheik Mansour: New York City FC e Melbourne City FC.

Com a recente ampliação do Etihad Stadium o público médio do ano em partidas da Premier League foi de 54 041 pessoas.

O espanhol Ferran Soriano, 49 anos, CEO do clube, publicou o Relatório Anual 2015/16 dirigido aos torcedores do clube espalhados pelo mundo em que explica os resultados e aponta os próximos objetivos. Soriano trabalhou ao lado do diretor de futebol Txiki Begiristain e do técnico Pep Guardiola no Barcelona no período em que o clube catalão viveu o período mais glorioso de sua história vencendo 2 Champions League em 4 temporadas. Os 3 estão juntos novamente à frente do Manchester City.

A seguir o texto completo de Soriano. Vale a pena ler até o final:

Guardiola personifica a nova etapa do projeto do clube (foto - mancity.com)

Pep Guardiola personifica a nova etapa do projeto do clube sob o controle do Sheik Mansour (foto – mancity.com)

 

RELATÓRIO ANUAL 2015/16

2015-16 foi mais uma viva temporada para o Manchester City e que acabou marcando o fim de um capítulo e o início de um novo na história do clube.

Nos gramados, continuamos nosso empenho em jogar um futebol bonito. Nosso time principal masculino conquistou a Copa da Liga (League Cup) e chegou, pela primeira vez, às semifinais da Champions League. Ele acabou a Premier League na quarta posição, um resultado que se, de um lado, nos desaponta, de outro, nos encoraja a trabalhar ainda mais e melhor no futuro.

Nossa equipe feminina se classificou para a Champions League pela primeira vez na história e as equipes de base conquistaram um número recorde de troféus de todas as categorias, comprovando que há uma nova geração talentosa de jogadores que deverão desempenhar um importante papel no futuro de nosso clube. Esta forma de sustentação  – de contar com os jogadores formados em nossa própria Academia – tem sido central na visão da Sua Alteza o Sheik Mansour bin Zayed Al Nahyan de um próspero Manchester City. Nós continuamos a trabalhar duro na direção destes objetivos e a construir sobre os muitos sucessos tangíveis que já surgiram neste setor.

A sustentabilidade financeira de longo prazo é um outro nosso objetivo crucial e nós estamos vislumbrando consistentes e contínuas evidências disto em nosso desempenho. Na temporada 2015/16, nós atingimos a receita recorde de € 439 milhões, 11% superior a temporada passada. Mais uma vez o Manchester City gerou um lucro, agora de € 23 milhões. Estes resultados positivos foram conquistados no contexto de uma operação de débito zero e em que nossos salários representam apenas 50% da receita, que se revela uma das melhores da indústria do futebol.

Um ano atrás, nós discursamos na aberta da Cidade da Academia de Futebol, como um único Centro de Treinamento para todas as nossas equipes como o “hardware” de nossa estratégia. O “software” é a nossa consistente metodologia de formação, nosso estilo de jogo em todas as nossas equipes e nosso compromisso com o trabalho duro e intenso em todos os níveis. Nós já podemos identificar alguns resultados positivos a partir desta abordagem integrada, não apenas com o sucesso de nossas equipes da base do Manchester City FC, mas também com as outras equipes de propriedade do grupo, como o New York City FC e o Melbourne City FC.

Ferran Sorrian trabalhou com Guardiola no Barça (foto - mancity.com)

Ferran Sorrian trabalhou com Pep Guardiola no Barça (foto – mancity.com)

Todos os nossas escolinhas estão agora bem estabelecidas e apresentando resultados promissores. Há uma rede de apoio e expansão e uma cultura de difusão de boas práticas que ajudam a todos melhorar. Estamos muito satisfeitos com o progresso que já alcançamos, mas há, claro, ainda muito mais trabalho a fazer e devemos constantemente adaptar-se a novos desafios e abraçar novas oportunidades.

Nossa rede global está fornecendo benefícios incomparáveis para os nossos jogadores, treinadores e funcionários. Patrick Vieira chegou ao Manchester City, como jogador, em 2010, formou-se por 3 anos para treinar a equipe de aspirantes (Elite Develompment Squad)  e, este ano, tornou-se treinador principal do New York City FC – NYC FC. Além disso, três jogadores do EDS do Manchester City foram emprestados ou negociados para NYC FC e tiveram experiências bem-sucedidas com o clube. Frank Lampard jogou tanto para o Manchester City e quanto para o NYC FC, enquanto Aaron Mooy deixou Melbourne City e se transferiu para o Manchester City. Estes são exemplos dessa abordagem verdadeiramente global do grupo e que está trabalhando para beneficiar o desenvolvimento tanto do futebol quanto do nosso povo.

Na última temporada entrou em operação o nosso Etihad Stadium ampliado. Esta expansão permitiu-nos reunir públicos recordes em várias ocasiões durante a temporada. Vimos uma experiência ainda mais empolgante de nossos torcedores, perceptível, por exemplo, quando nós jogamos nossos jogos da Champions League contra o Paris St Germain e Real Madrid. A energia e a atmosfera renovadas naquelas ocasiões foram muito especiais.

Vieira e Andrea Pirlo são estrelas do New York City FC (foto - nycfc.com)

O técnico Patrick Vieira e Andrea Pirlo são estrelas do New York City FC (foto – nycfc.com)

Aproximar nosso clube de nossos torcedores e manter a nossa família “Cityzen” sempre junta é e será sempre um objectivo fundamental para nós. Talvez o melhor exemplo disso nos últimos doze meses foi a consulta junto a nossos torcedores sobre a possibilidade de mudar o emblema do Manchester City, e sua subsequente influência na sua concepção. Dezenas de milhares de pessoas tiveram a oportunidade de se envolver conosco na criação de um símbolo mais autêntico do clube e do município de Manchester. O que emergiu foi considerado um “original moderno”, representando tanto a rica história do clube quanto seu futuro excitante.

A China merece uma menção muito especial. Nesta temporada, ficamos muito felizes em acolher os nossos novos investidores, um consórcio liderado pela China Media Capital (CMC), que injetou US $ 400 milhões no City Football Grupo, levando nosso valor para US $ 3 bilhões. Nossos novos parceiros são fundamentais para a ampliação da nossa capacidade de compreender e promover as oportunidades para o nosso grupo na China, ao mesmo tempo, onde também trabalhamos para ajudar a desenvolver o futebol em um país tão vasto e interessante.

O amadurecimento e ampliação da nossa estrutura comercial nos permitiu abrir novos escritórios em Cingapura e Xangai, ampliando o número total de escritórios regionais para oito, o que nos permite servir os nossos parceiros e fãs ao redor do mundo de maneira mais adequada e localizada.

Estamos confiantes de que todos esses aspectos positivos farão os próximos 12 meses ainda melhores à medida que começamos o nosso próximo capítulo. Nosso novo técnico, Pep Guardiola, é uma peça importante desta fase seguinte, assim como Manuel Pellegrini o foi antes. Pep traz uma rica experiência, um novo nível de sofisticação tático e intensidade, com uma paixão e visão que vão ajudar a impulsionar o nosso clube adiante com a energia e o foco esperados pelos nossos proprietários e toda a família City.

Partimos de uma base sólida, temos proprietários e parceiros comprometidos, treinadores e jogadores de classe mundial, excelentes instalações, funcionários altamente talentosos e os torcedores mais apaixonados e comprometidos.

Juntos, acredito que temos todas as condições para continuar a fazer história no Manchester City FC”.

Ferran Soriano

CEO Manchester City FC

 



MaisRecentes

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo

Última chamada na Champions League: 7 clubes disputam 4 vagas.



Continue Lendo