Luiz Gustavo, esquecido por todos para a seleção, mas venerado no Olympique finalista da Europa League



O futebol é um universo de desdobramentos tão imprevisíveis quanto indecifráveis. No dia seguinte ao anúncio pelo técnico Tite dos 23 jogadores brasileiros que participarão da Copa do Mundo da Rússia, e em que seu nome esteve longe de ser lembrado, o volante brasileiro Luiz Gustavo entrará em campo com a camisa 19 do Olympique de Marseille na final da Europa League, em Lyon, contra o Atlético de Madrid.

Luiz Gustavo nasceu em Pindamonhangaba (SP) mas despontou para o futebol na Alemanha através do Hoffeinhem, em seguida brilhou com a camisa do Bayern de Munique onde conquistou uma Champions League e seguiu firme no Wolfsburg antes de se transferir, depois de dez anos de Bundesliga, para o futebol francês. O fato, entretanto, é que ele se transformou – ou foi transformado – num dos personagens mais estigmatizados após a trágica goleada da Alemanha por 7 a 1 sobre a seleção brasileira na Copa de 2014. Seu destino na seleção brasileira praticamente foi selado após a saída do técnico Dunga em 2016.

A vida seguiu e Luiz Gustavo não tem do reclamar dela no futebol europeu. Desde 2017 é um dos líderes do clube mais popular da França ao lado dos franceses Steve Mandanda, Dimitri Payet e Florian Thouvan.

Luiz Gustavo tem 42 partidas pela seleção brasileira. (foto – om.net)

As redes sociais do Olympique reverenciam o brasileiro de todas as formas. Exibem estatísticas que provam o papel técnico fundamental que desempenha na equipe dirigida pelo técnico Rudi Garcia. Destacam que ele foi o jogador que mais bola recuperou em toda a Europa League. Não por acaso, provavelmente, atuará de zagueiro na final contra o Atlético de Madrid.

Sua presença no meio campo da equipe marseillaise é dominante. Na temporada até aqui ele jogou 4744 minutos, em 55 partidas oficiais, marcando 6 gols.

O importante diário L’Équipe o elegeu para a seleção da Ligue 1 da temporada ao lado dos brasileiros Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Neymar.

Luiz Gustavo talvez não tenha espaço mesmo na seleção de Tite que optou por Casemiro e Fernandinho para a as vagas que ele poderia ocupar. Este post nem de longe critica sua ausência na lista. Mas ele não merece viver o ostracismo que lhe foi imposto nos últimos tempos pelos analistas de futebol neste país.



MaisRecentes

Jürgen Klopp revela sua admiração por Arrigo Sacchi e reconhece influência do italiano no futebol.



Continue Lendo

Crise política entre o Reino Unido e a Rússia complica a vida de Abramovich e pode afetar o Chelsea



Continue Lendo

Bayern de Munique anuncia a criação de sua própria empresa de mídia digital



Continue Lendo