Ligue 1 surfa no onda de Neymar no PSG e negocia hoje os direitos de TV para 2020.



Atualizado às 14:48h de 29/05/2018

 

A contratação de Neymar no verão europeu do ano passado por € 222 milhões não interferiu apenas no destino do PSG dentro e fora do campo. Sua chegada à Ligue 1 ainda não esgotou todos os seus desdobramentos para o futebol francês como um todo.

Neymar é um personagem público de alcance global e que transformou o significado da Ligue 1 no mercado internacional do futebol. Ele tem mais de 194 milhões de seguidores nas várias mídias sociais, 3 vezes mais do que PSG (53.5 milhões), Olympique de Marselha (5.2 milhões) e Olympique Lyon (4.9 milhões) somados! Neymar acrescentou à Ligue 1 um contingente de seguidores equivalente à chegada de um Real Madrid, 13 vezes campeão da Champions League, com seus 195 milhões de seguidores. Para não mencionar sua qualidade técnica e sua potencial eleição próxima como melhor jogador do planeta.

Para aproveitar o impacto de sua presença no campeonato francês a Liga de Futebol Profissional (LFP) decidiu antecipar a negociação dos direitos de TV para as temporadas de 2020 a 2024 com a expectativa de que ela gere algo como € 1 bilhão por temporada . A LFP optou por resolver o assunto logo, antes da Copa do Mundo da Rússia, potencializando ao máximo o impacto da presença do astro brasileiro no principal campeonato do país.

Neymar,mudou o patamar de negócios do futebol francês. (foto – Kenzo Tribouillard)

O resultado do leilão dos pacotes colocados à venda pela LFP para o mercado doméstico e que tem como principais interessados o grupo Canal +, SFR e beIN Sports, serão anunciados no fim desta terça-feira, em Paris. Desta vez será permitido que o vencedor de cada pacote tenha direito de sublicenciar sua comercialização após a compra de modo a diminuir os riscos da participação na concorrência.

O contrato em vigor (2016 a 2020) paga algo como € 726.5 milhões aos clubes da Ligue 1 da Ligue 2, divididos em € 540 milhões pagos pelo Canal+ e € 186.5 milhões pelo canal esportivo de propriedade árabe beIN Sports. O objetivo dos dirigentes franceses com o novo compromisso é se aproximar dos € 2.3 bilhões por temporada da Premier League inglesa, do € 1 bilhão da LaLiga espanhola ou superar os € 920 milhões da Série A italiana.

Os dirigentes franceses partiram da realidade concreta dos interessados para antecipar a negociação. Para o grupo Canal +, por exemplo, manter o futebol francês presente em sua programação parece inevitável desde que perdeu os direitos da Premier League e da Champions League para a SFR. A própria beIN Sports precisa agir e contar com o futebol em sua grade de modo a bloquear a queda do número de seus assinantes.

Os 7 pacotes estabelecidos para esta negociação e que tem valores mínimos estabelecidos para cada um deles pela LFP, segundo reportagem publicada recentemente pelo diário Le Parisien, são:

Pacote 1 – o jogo e as resenhas da noite de domingo.
Pacote 2 – o jogo e a resenha das sextas-feiras às 21:00 e o jogo de sábado às 17:00.
Pacote 3 – os jogos de sábado às 21:00 e domingo às 17:00, e a resenha de sábado à noite.
Pacote 4 – os jogos de domingo às 13h e ao multiplex de domingo às 15h, mais uma resenha da manhã de domingo.
Os pacotes 5, 6 e 7 incluem o Troféu dos Campeões,   Ligue 1, conteúdo digital e duas outras resenhas.

A programação dos jogos da Ligue 1 também será modificada: a partir de 2020, as partidas que eram disputadas simultaneamente no sábado à noite serão transformadas em quatro partidas no domingo, às 15 horas. A partir do novo contrato haverá também um jogo dominical, às 13:00, voltado para o mercado asiático.

O fato é que o modelo criado de vários horários e dias para jogos de uma mesma rodada, já adotado há muitos anos no Brasil pela Globo para a TV aberta, por assinatura e Pay Per View, passou a ser adotado pelos principais campeonatos de futebol do mundo. No essencial ele prevalecerá nas próximas temporadas mesmo com o fato que, entre 2019 e 2024, algumas das partidas de cada rodada passarão a ser transmitidas pelos canais Esporte Interativo (Grupo Turner), detentor de contratos com alguns clubes das Séries A e B para a televisão por assinatura.

Vale registrar, ainda que a Ligue 1 ainda não conseguiu negociar os direitos internacionais para o mercado brasileiro. O leilão organizado início deste ano foi supenso. Não houve interessados na aquisição pelos valores pretendidos pela Ligue 1. Os direitos no Brasil, que venceram no final desta temporada 2017/18, eram do grupo Globo. As partidas foram transmitidas pelo Sportv, que também os sublicenciou à ESPN Brasil. Neste caso, a participação de Neymar ainda não produziu o efeito esperado. O resultado da seleção brasileira na Copa da Rússia e a própria participação do craque poderão mudar esta realidade.

 

 



MaisRecentes

CR7 é caro, mas também uma máquina de gerar gols, audiência e dinheiro



Continue Lendo

Paul Scholes: Pep Guardiola inspira a Inglaterra de Southgate



Continue Lendo

A Copa do Qatar começa hoje para o Brasil. Não devemos nem perder tempo, nem perder Tite.



Continue Lendo