Leicester paga € 3.5 milhões para encerrar ação por desrespeito ao Fair Play Financeiro quando ascendeu à Premier League



O Leicester City pagará € 3.5 milhões à English Football League (organizadora da segunda divisão inglesa) para encerrar o caso em que era acusado por ter desrespeitado o Financial Fair Play (FFP) na temporada 2013/14 quando o clube venceu o Campeonato e ascendeu à Premier League. Naquela campanha a equipe comandada por Nigel Pearson conquistou 102 pontos em 46 jogos.

O clube desrespeitou o limite de € 9 milhões de déficit na temporada em que assegurou a promoção à elite do futebol inglês quando registrou um prejuízo de € 23.5 milhões. O Leicester se defendeu alegando que € 14.7 milhões daquele montante seriam admissíveis por terem sido provocados por gastos com as divisões de base.

Ao anunciar a solução da questão a EFL atestou que o Leicester “não fez nenhuma tentativa deliberada de infringir as regras ou de enganar”. A entidade admitiu que “a disputa surgiu de diferenças genuínas de interpretação das regras entre as partes”.

A torcida do Leicester viveu emoção inédita em 2016 (foto – premierleague.com)

O Leicester, que conquistou a Premier League em 2015-16, estava sujeito à uma punição proporcional ao total que excedeu ao teto estabelecido de déficit de € 9 milhões,  que no caso específico, chegou a € 14.7 milhões.

De pronto o clube contestou judicialmente a denúncia. O processo acabou sendo interrompido até que uma ação que o Queens Park Rangers impetrou, em maio de 2015, também relacionada ao Fair Play Financeiro, tivesse uma decisão definitiva. Um painel independente decidiu, em outubro do ano passado, que o QPR efetivamente afrontara o FPF e manteve a multa de € 45 milhões.

O caso serve para comprovarmos que a regra do FPF, ainda que aplicada com flexibilidade, veio para ficar e racionalizar as gestões dos clubes de futebol.

O Leicester City tem 53 pontos e ocupa a oitava colocação na 27ª rodada da Premier League 2017/18.

 



MaisRecentes

CR7 é caro, mas também uma máquina de gerar gols, audiência e dinheiro



Continue Lendo

Paul Scholes: Pep Guardiola inspira a Inglaterra de Southgate



Continue Lendo

A Copa do Qatar começa hoje para o Brasil. Não devemos nem perder tempo, nem perder Tite.



Continue Lendo