La Liga: uma disputa emocionante, mas sempre entre os mesmos



A La Liga espanhola 2015/16 vive um momento esplêndido em termos de disputa do título. Barcelona e Atlético tem 79 pontos ganhos e Real Madrid 78 a quatro rodadas do fim. Tudo pode acontecer, ainda que a análise das partidas restantes aponte um nível de exigência algo mais leve para o Barcelona.

O fato, entretanto, é que mais uma vez Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid são os candidatos reais à conquista da competição. Esta reiterada circunstância não impede, por outro lado, que haja atualmente 2 espanhóis nas semifinais da Champions League (Real Madrid e Atlético de Madrid) e dois semifinalistas na Europa League (Villareal e Sevilla). Os clubes espanhóis, portanto, mesmo disputando uma competição nacional absolutamente previsível, tem se mostrado competitivos a nível europeu, com participações expressivas em todos os níveis.La Liga

O protagonismo doméstico de Barcelona, Real Madrid e Atlético é histórico, com os 3 marcando presença ano após ano na Champions League, o que só agrava a desproporção financeira já que usufruem de receitas suplementares significativas advindas destas participações continentais. A diferença de pontuação do 3º colocado para o 4º nas últimas temporadas estabelece a distância indisfarçável que existe entre este seleto grupo e todos os demais participantes da La Liga.

Na temporada 2014/15 o campeão foi o Barcelona com 94 pontos, enquanto o Valência, na 4ª posição, somou apenas 77 pontos, com 17 pontos de diferença.

No campeonato de 2013/14 o Atlético de Madrid conquistou o título com 90 pontos. Já o Athletic Bilbao, no 4º lugar com 70 pontos, ficou a 20 pontos de distância.

Na temporada 2012/13 a La Liga experimentou o ápice da falta de competitividade e equilíbrio já que o Barcelona a conquistou com incríveis 100 pontos ganhos, 15 pontos a mais que o Real Madrid no 2º lugar, 24 a mais que o Atlético na 3ª posição e excêntricos 34 pontos à frente da Real Sociedad na 4ª colocação.

Messi vem brilhando na La Liga (foto - fcbarcelona.com)

Messi vem brilhando na La Liga (foto – fcbarcelona.com)

É inegável a elevação do nível técnico médio das equipes espanholas da primeira divisão. Os próprios resultados nas competições europeias mais recentes atestam isto. Mas o nível de competitividade em termos de disputa do título nunca esteve tão concentrado e previsível.

Nos últimos 20 anos, apenas 2 clubes, que não o trio de ferro, conquistaram o titulo: o La Coruña na temporada 1999/2000 e o Valência nas temporadas 2001/02 e 2003/04. De resto foram 9 títulos do Barcelona, 6 do Real Madrid e 2 do Atlético de Madrid.

Comparação com o Campeonato Brasileiro

Neste ponto a diferença entre o futebol espanhol e o futebol brasileiro não poderia ser mais gritante. Neste mesmo período no Brasil, tivemos 9 campeões diferentes do Campeonato Brasileiro da Série A: Corinthians (5 títulos), Cruzeiro (3 títulos), São Paulo (3 títulos), Fluminense (2 títulos), Santos (2 títulos), Vasco da Gama (2 títulos), Flamengo (1 título), Atlético Paranaense (1 título) e Grêmio (1 título).

O Corinthians de Tite tem 5 títulos nos últimos 20 anos (foto - corinthians.com.br)

O Corinthians de Tite tem 5 títulos nos últimos 20 anos (foto – corinthians.com.br)

Se o estudo se desdobrar na participação dos clubes até o quarto lugar dos campeonatos brasileiros nestas mesmas temporadas chegaremos a uma participação variada de um número incomparavelmente superior ao alcançado no campeonato espanhol e com diferença de pontuação entre o primeiro colocado e quarto também muito menos larga.

O fato é que, se de um lado a La Liga é uma competição mais organizada, que movimenta muito mais dinheiro e repercute muito mais amplamente no mundo que o Campeonato Brasileiro, do ponto de vista esportivo o equilíbrio e a imprevisibilidade garantem ao torneio brasileiro uma atratividade nada desprezível capaz de atrair audiência e parceiros comerciais.

A diferença fundamental está no fato de o Campeonato Brasileiro ainda não ser organizado por uma entidade representativa e profissional dos clubes envolvidos. Este é o papel que a Liga Nacional de Clubes precisa cumprir. Sua entrada em ação revolucionará a organização de nosso campeonato.

 



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo