Kane vive conto de fadas em sua estreia na seleção inglesa



A Inglaterra goleou a Lituânia por 4 a 0 na noite desta sexta-feira no estádio de Wembley diante de quase 80 mil pessoas. Wayne Rooney, do Manchester United, abriu o placar e ficou a apenas 2 gols de Sir Bobby Charlton, que com 49 tentos, ainda é o recordista de gols pela seleção inglesa.

Rooney abriu o placar (foto: site oficial do Manchester United)

Rooney abriu o placar (foto: site oficial do Manchester United)

Danny Welbeck, do Arsenal, que acabou eleito o melhor jogador em campo, fez o segundo. O jovem craque Raheen Sterling, do Liverpool, teve atuação brilhante e foi o autor do terceiro tento.

Ainda assim, o nome do jogo, o protagonista desde então das manchetes dos sites, jornais e TV ingleses foi o debutante da noite, artilheiro da Premier League e atacante do Tottenham, Harry Kane. Ele substituiu Rooney aos 26 minutos do segundo tempo – recepcionado por um verdadeiro delírio da torcida – e apenas 78 segundos depois assinalou seu primeiro gol pela Seleção Inglesa.

A comemoração do tento de Kane revelou o sentimento que dominava o estádio: seus companheiros no banco de reservas ficaram de pé, incluindo Rooney, para aplaudi-lo; na tribuna de honra, o próprio presidente da FA (Federação Inglesa de Futebol) Greg Dyke vibrou intensamente fugindo às reações normalmente protocolares dos dirigentes ingleses durante as partidas de futebol; os torcedores extasiados celebraram aquele momento como se fosse a oficialização do nascimento de um novo ídolo para o principal esporte nacional.

A matéria principal sobre o jogo de ontem do exigente The Guardian, em seu site, apresenta como título “Harry Kane, faz o ínicio perfeito”. O The Independent escreve que “Harry Kane assinala seu primeiro gol aos 78 segundos na estréia para colocar a cereja no bolo do time inglês”. Já o austero The Times se rende ao novo ídolo com “Harry Kane faz da sua estréia um conto de fadas”, mesma expressão utilizada pelo técnico Roy Hodgson na entrevista após a partida, admitindo, em seguida, que o atacante pode ser titular no amistoso da próxima terça-feira contra a Itália, em Turim. O site oficial do Tottenham amanheceu este sábado destacando que “o sonho virou realidade para a estrela Harry”.

Kane faz de cabeça na sua estreia (foto: site oficial do Tottenham)

Kane faz de cabeça na sua estreia (foto: site oficial do Tottenham)

A temporada do artilheiro do Tottenham, de 21 anos e de 1,83m de altura, é simplesmente impressionante, com 30 gols assinalados até aqui. Sir George Huff, atacante inglês campeão da Copa de 1996, declarou ao diário londrino Daily Mail que “Kane é um jogador traiçoeiro por que é muito melhor do que você pensa que ele é. Ele pode marcar gols de longe ou de perto. Seus chutes vão sempre no gol. Ele tem tudo para brilhar a nível internacional”. Sir George foi mais longe e revelou que “Kane me lembra o alemão Thomas Müller, com seu jeito meio deselegante. Nenhum dos dois leva jeito de jogador de futebol, mas ambos são atacantes fantásticos”. Para Glenn Hoddle, outro ex-jogador da seleção inglesa e atual comentarista de TV, “Kane é bom com seu pé direito, é bom com o esquerdo. Ele é um atacante completo”.

O hábil técnico Roy Hodgson mostrou toda a sua experiência ao não escalar Kane como titular na partida contra a Lituânia, apesar da pressão da torcida e de boa parte dos comentaristas ingleses. E foi ainda mais calculista quando o colocou em campo no lugar do capitão e titular absoluto, Wayne Rooney, aos 26 minutos do segundo tempo. Em primeiro lugar por que sua opção por Rooney-Welbeck funcionou como ele previa e praticamente resolveu a partida já na primeira etapa. Em segundo, por que ao escalar Kane no lugar do ídolo e titularíssimo Rooney e não no de Welbeck ele descaracterizou a disputa entre Kane e Welbeck pela titularidade do comando de ataque.

Kane - "É o meu sonho virando realidade!" (foto: site oficial do Totteham)

Kane – “É o meu sonho virando realidade!” (foto: site oficial do Totteham)

Harry Kane nasceu na Grande Londres e, ainda menino, passou por alguns clubes, inclusive pelo rival Arsenal, antes de chegar, em 2004, aos 11 anos, às escolinhas do Tottenham. Desde então ele foi selecionado para as seleções Sub-17, Sub-19, Sub-20 e Sub-21. Antes de se firmar na equipe profissional dos Spurs, ele foi emprestado ao Leyton Oriente, Millwal, Norwich City e Leicester City. Kane retornou ao Tottenham na temporada 2013-14 e começou a mostrar que havia chegado a hora de se firmar na equipe profissional. Ele é o artilheiro atual da Premier League ao lado de Diego Costa do Chelsea com 19 gols.

O estrelato está chegando para Kane num momento delicado do futebol inglês por mais paradoxal que isto possa parecer. A exuberância financeira da Premier League se, de um lado, faz da sua competição a passarela de muitos dos grandes astros do futebol mundial, de outro, bloqueia o espaço para que jovens jogadores nascidos na própria Inglaterra consigam se firmar como titulares em seus clubes.

Kane parece estar rompendo esta barreira e, com apenas 21 anos, começa a dividir os holofotes e manchetes com os grandes ídolos internacionais. E o gol contra a Lituânia é um passo relevante nesta direção. Ele reconheceu após a partida que “é o início que eu sonhava, o melhor momento da minha carreira. É o máximo representar meu país na seleção principal. Espero que este tenha sido o primeiro de muitos gols”. O atacante confessa que “ouvir a torcida na hora que entrei no gramado foi inacreditável. Não tenho palavras para dizer o que estou sentindo ao realizar meus sonhos de menino”.

Kane divide a atilharia da Premier League com Diego Costa (foto: site oficial da Premier League)

Kane divide a artilharia da Premier League com Diego Costa (foto: site oficial da Premier League)

A esperança de acompanhar o surgimento de um novo ídolo talvez seja a razão para tamanha felicidade do público, ontem, em Wembley, ao ver o promissor menino londrino entrar no gramado e, em 78 segundos, confirmar que, de fato, pode um dia pertencer a galeria de grandes jogadores da seleção inglesa. A expectativa pelo sucesso do atacante do Tottenham é tão grande que pouca gente parece temer que com ele se reproduzam as frustrações anteriores recentes com Francis Jaffers e David Nugent que marcaram gol na primeira, mas única vez que atuaram com a camisa da seleção inglesa.

Enfim, só o tempo revelará aos fanáticos amantes do futebol o tipo de lembrança que teremos do dia 27 de março de 2015.

 

 

 

 

 



MaisRecentes

Lillo, mentor de Guardiola e sucessor de Rueda, deixa o Atlético Nacional de Medellín



Continue Lendo

Florentino Pérez confia em Zidane e decide reforçar o elenco do Real Madrid



Continue Lendo

FIFA projeta um Super Mundial de Clubes para a partir de 2021



Continue Lendo