Itália mostra solidez tática, derrota a Bélgica e é líder do grupo na EURO



A Itália é sempre a Itália, mesmo com uma geração pouco convincente do meio campo para frente na sua seleção. O fato é que a tradicional Azzurra estreou no Grupo E da EURO 2016 de maneira competitiva e venceu com méritos a sempre aspirante à “seleção da vez” Bélgica por 2 a 0, em Lyon. Como a República da Irlanda e a Suécia empataram antes por 1 a 1 a Itália acaba a primeira rodada na liderança do Grupo e a Bélgica na lanterna.

Baseada numa solidez defensiva invejável construída em torno do goleiro Buffon e do trio juventino Barzagli, Chielini e Bonucci, a equipe de Antonio Conti se mostrou organizada num 3-5-2 coordenado e inteligente capaz de comandar e propor o ritmo e a cadência que lhe interessavam na partida, mesmo tendo mantido apenas 45% de posse de bola ao final.

O primeiro gol italiano nasceu de um lançamento magnífico não de um de seus meio campistas, mas de Bonucci, que viveu uma das jornadas mais espetaculares de sua carreira. Ghiaccherini dominou a bola com perfeição iludiu Alderweireld e Ciman e deslocou o goleiro Courtois com uma conclusão impecável aos 32 minutos do primeiro tempo.

Italianos celebram o gol de Giaccherini (foto - Emmanuel Dumand- AFP)

Italianos celebram o gol de Giaccherini (foto – Emmanuel Dumand- AFP)

A Bélgica voltou para o segundo tempo disposta a pressionar o time italiano e o fez principalmente através de Witsell, De Bruyne, Lukaku e Hazard que participaram de ações que ameaçaram a meta de Buffon. Um erro primário do lateral Damian, logo no início do segundo tempo, num momento em que sua seleção estava acuada, provocou sua substituição, aos 14 minutos, por De Schiglio promovida por um Conti determinado a contar apenas com jogadores comprometidos com seu ideário em campo.

O técnico belga Marc Willmots começou a mexer na equipe quando, aos 17 minutos do segundo tempo, trocou o volante Naingollan pelo meia ofensivo Mertens. Aos 28 minutos tentou Origi no lugar de Lukaku e partiu definitivamente para cima da Itália 3 minutos mais tarde quando tirou o lateral direito Ciman e colocou o atacante Carrasco aberto pela direita. Conti reagiu reoxigenando sua equipe com a entrada de Immobile no posto de Eder aos 31 minutos do segundo tempo e Thiago Motta no de De Rossi 2 minutos depois.

O gol que confirmou a vitória italiana saiu aos 2 minutos do tempo adicional num voleio acrobático de Pellè de dentro da grande área aproveitando um cruzamento/passe de Candreva do lado direito do ataque italiano.

Pellè sacramenta a vitória italiana (foto - uefa.com)

Pellè sacramenta a vitória italiana (foto – uefa.com)

Ao final o técnico Antonio Conte falou do espírito com que a Itália encara o torneio e como vislumbra o restante da competição:

– “Eu tenho um grupo de rapazes inteligentes que sabem muito bem que eles fizeram algo muito importante para os nossos padrões. Nós conseguimos nos colocar numa boa posição para seguir em frente. Mas eles também sabem que precisam trabalhar. Se nós aceitarmos fazer apenas o básico, não é suficiente. Precisamos ser extraordinários. Queremos fazer aqueles que ficaram em casa orgulhosos de nós, isto também é muito importante. Sentimos muita responsabilidade. Não posso negar que me senti muito, muito emocionado hoje. Ser o técnico do meu país numa competição tão importante não acontece todo dia. É algo único para estes rapazes vestirem esta camisa, mas eu gostaria de dizer também que com esta unidade de propósitos nós podemos fazer grandes coisas.”

A foto ilustra as palavras do técnico Conti (foto - uefa.com)

A foto ilustra as palavras do técnico Conti (foto – uefa.com)

 

 

 

 



MaisRecentes

Guardiola vence o derby e celebra campanha com vitórias em Stamford Bridge e Old Trafford



Continue Lendo

Lillo, mentor de Guardiola e sucessor de Rueda, deixa o Atlético Nacional de Medellín



Continue Lendo

Florentino Pérez confia em Zidane e decide reforçar o elenco do Real Madrid



Continue Lendo