Iniesta comanda a surpreendente ressurreição da Espanha



Atualizado às 21:21h de 18/06/2016

A Espanha se igualou à Itália e à França e cravou de maneira categórica sua segunda vitória na EURO 2016, superando a Turquia, por 3 a 0, no estádio Allianz Riviera, em Nice, garantindo, desde já, a presença na próxima fase e se transformando na primeira seleção a assinalar 3 gols numa mesma partida no torneio.

A equipe de Vicente Del Bosque parece que renasce como aspirante ao tricampeonato do certame baseada em seu mais genial e longevo jogador: Andrés Iniesta, que acabou eleito pela nona vez o melhor jogador de uma partida de EURO e de Copa do Mundo.

Iniesta foi eleito o melhor jogador em campo (foto - Boris Horvat/AFP

Andrés Iniesta foi eleito o melhor jogador mais uma vez (foto – Boris Horvat/AFP)

Da equipe burocrática e monótoma do fracasso no Mundial do Brasil e dos compromissos recentes, dentre eles a deprimente derrota para a inexpressiva Geórgia, a Espanha vem se mostrando intensa, criativa e ambiciosa. E, com um novo personagem ascendente: Álvaro Morata. O atacante formado no Real Madrid, que amadureceu na Juventus e que pode voltar ao clube de formação, assinalou seus 2 primeiros gols na EURO (já são 5 pela seleção), anunciando que aspira chegar à artilharia do torneio.

O domínio espanhol contra a Turquia foi completo. Aos 34 minutos do primeiro tempo, Morata aproveitou cruzamento de Nolito e, de cabeça, desviou para o ângulo esquerdo de um petrificado Babacan.

O gol desnorteou o time turco. Logo em seguida, aos 37, Nolito assinalou o segundo, aproveitando um lançamento precioso de Cesc Fábregas, mal interceptado pelo zagueiro Topal, e de dentro da grande área, tocou no canto direito da meta turca.

Na volta para o segundo tempo, aos 3 minutos, Morata completou com o gol aberto uma jogada criada por Iniesta e Jordi Alba e assinalou o tento que definiu o placar.

Morata já fez 5 gols pela seleção espanhol (foto - Boris Horvat/AFP)

Morata já fez 5 gols pela seleção espanhola (foto – Boris Horvat/AFP)

A ressurreição da equipe de Del Bosque pode ser medida pelos números da vitória sobre a Turquia. A Espanha teve 57% de posse de bola, chutou 18 vezes ao gol turco e trocou 674 passes com 93% de acerto. A equipe envolvente que não abre mão de dominar o adversário e impor sua cadência à partida parece estar de volta.

Além de Iniesta e Moratta, um terceiro jogador completa a espinha dorsal responsável pela reinvenção da equipe espanhola: o zagueiro Gerard Piqué. Na estreia contra a República Tcheca, ele assinalou o gol decisivo nos últimos minutos e que garantiu a vitória. Contra a Turquia Piqué foi fenomenal como defensor a ponto de ter seu nome cantado pela torcida espanhola – calculada em 8 mil torcedores no estádio – com quem tem mantido uma relação pouco amistosa nos últimos tempos. Um dos símbolos do Barcelona parece ter estar se reconciliando com a torcida do resto do país.

Se o ataque espanhol tirou o sono de Del Bosque por tanto tempo o mesmo não se pode dizer da defesa. Piqué e seus companheiros estão a 904 minutos em partidas de competições oficiais sem tomar gol.

Diário francês celebra a vitória espanhola

O reencontro da seleção espanhola está sendo celebrada pela mídia europeia. O diário francês L’Équipe dedicou a principal matéria de sua primeira página deste sábado à vitória da Fúria e não à seleção francesa.

"Que festa" celebra o L'Équipe

“Que festa” celebra o L’Équipe



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo