Há 22 anos morria Sir Matt Busby, técnico lendário do Manchester United



Há exatos 22 anos, no dia 20/01/1994, morria, aos 86 anos, Sir Matt Busby, personagem icônico do futebol britânico e do Manchester United. Técnico dos “Diabos Vermelhos” de 1945 a 1968, o escocês, que foi jogador do Manchester City e do Liverpool,foi o primeiro técnico do clube depois da II Guerra Mundial. Ele chegou a ocupar por alguns anos a presidência do clube. Sua sala de trabalho se localizava no Setor Sul do estádio Old Trafford com ampla visão para o gramado do mundialmente conhecido “Teatro dos Sonhos”.

Sir Matt Busby nasceu em 26/05/1909 na Escócia (foto - manutd.com)

Sir Matt Busby nasceu em 26/05/1909 na Escócia (foto – manutd.com)

A longa passagem de Sir Matt pela direção do clube ganhou contornos épicos por ele ter sobrevivido a um trágico acidente aéreo ocorrido no dia 6/02/1958, que passou a ser considerado “o dia mais negro” da história do Manchester United. A delegação do clube retornava de uma viagem a Belgrado onde disputou uma partida contra o Estrela Vermelha pela Copa dos Campeões. O aparelho Airspeed Ambassador fez escala em Munique, na Alemanha, para reabastecimento. O avião decolou depois de duas tentativas frustradas por falhas no motor, mas desabou logo em seguida, sobre a cerca do aeroporto, espatifando-se em uma casa vazia.

Da jovem brilhante equipe para a qual se previa um futuro brilhante – os Busby Babes – 8 jogadores morreram no acidente. Quatro deles, Roger Byrne, David Peggy, Tommy Taylor e o ídolo Duncan Edwards integravam a seleção inglesa, enquanto Liam Whelam fazia parte da seleção irlandesa. Sir Matt esteve à beira da morte, mas sobreviveu, ficando internado por 2 meses. Os jogadores Bobby Charlton, Dennis Viollet, Bill Foulkes e Harry Gregg também escaparam com vida do desastre.

O acidente também matou um ex-colega de Sir Matty no Manchester City, o ex-goleiro Frank Swifft, então jornalista do diário News of The World, além de outros sete jornalistas, três membros da comissão técnica, outros dois passageiros, além de ter feito com que dois jogadores tivessem as carreiras encerradas precocemente: Johnny Berry, que também integrava a Seleção Inglesa e Jackie Blanchflower, que atuava pela seleção norte-irlandesa.

Sir Matt teve a chance de testemunhar a conquista do título inglês, em 1993, o que não acontecia desde 1967 quando ainda era dirigido por ele.

Como lembra, hoje, o site oficial do Manchester United, dois dias após o falecimento do técnico lendário, o clube tinha um jogo agendado contra o Everton. Naquele momento, Sir Alex Ferguson, outro escocês que também fez história e se transformou em legenda no clube, defendeu a ideia de que a partida fosse adiada e declarou a um repórter de TV numa entrevista: “As pessoas dizem que a vida precisa continuar. A vida tem que continuar, sim, mas amanhã eu acho que ela deveria parar por que ele foi um homem extraordinário. O jogo vai ser mantido. Mas eu preferia que não, para ser honesto com você”.

As duas lendas: Alex Ferguson e Matt Busby (imagem - manutd.com)

As duas lendas: Sir Alex Ferguson e Sir Matt Busby (imagem – manutd.com)

A partida aconteceu e resultou na vitória do United por 1 a 0 com um gol de Ryan Giggs, jogador que mais vezes vestiu a camisa do clube e atual assistente do técnico Louis Van Gaal. O jogo contou com a presença de George Best – autor de 2 gols na final da Copa dos Campeões da Europa, em 1968, conquistada pelo Manchester United dirigido por Sir Matt – que chegou às lágrimas durante o minuto de silêncio respeitado antes da bola rolar.

A lembrança da data sugere uma reflexão sobre as razões que explicam a extraordinária peculiaridade de um gigante do futebol Mundial como o Manchester United ter sido dirigido em 50 dos últimos 70 anos por apenas dois técnicos, ambos escoceses: Sir Matt Busby (1945-1968 e 1970-1971) e Sir Alex Ferguson (1986-2013), períodos nos quais o clube conquistou os seus 3 títulos da Champions League: 1967-68, 1998-99 e 2007-08.

 



MaisRecentes

Borussia Dortmund lidera lista dos clubes com maior posse de bola nas 5 maiores ligas europeias



Continue Lendo

Marco Asensio será o novo galático do Real Madrid?



Continue Lendo

Rummenigge, presidente do Bayern: “não podemos e não compraremos um jogador por € 222 milhões”



Continue Lendo