Guardiola desabafa: “não tenho mentalidade alemã. Sou catalão!”



Pep Guardiola, 44 anos, técnico do Bayern de Munique, continua pressionado pela mídia alemã que, agora, o acusa de colocar em risco a mentalidade alemã do clube. A novidade surgiu com a manifestação também crítica do respeitado técnico alemão Ottmar Hitzfeld, 66 anos, ex treinador do próprio clube e que dirigiu a seleção suíça na Copa do Mundo de 2014, em entrevista ao canal de TV Sky alemão.

Segundo Hitzfeld, “se houvesse plena confiança em Mario Götze, Douglas Costa não teria sido contratado. Vejo uma tendência exagerada na contratação de estrangeiros e isto pode levar a perder algo na mentalidade alemã da equipe. Bastian Schwensteiger e Toni Kroos saíram e foram substituídos por Xabi Alonso e Arturo Vidal, que são muito bons jogadores, mas estranhos ao mercado alemão”.

Guardiola ainda não ganhou a Champions League pelo Bayern (foto - site oficial do FCB)

Guardiola ainda não ganhou a Champions League pelo Bayern (foto – site oficial do FCB)

Na entrevista coletiva sobre a partida deste sábado contra o Hoffenheim pela segunda rodada da Bundesliga, Guardiola afirmou que “estou aqui também para aprender o significado da mentalidade alemã. Não tenho mentalidade alemã. Sou catalão. Eu sinto que esta questão sempre existiu. Mas eu sigo dando o melhor de mim. Pelo nosso clube e para voltar a conquistar a tríplice coroa como conseguiu Jupp Heynckes”.
Guardiola foi além e fez questão de esclarecer as suas responsabilidades na condição de técnico do Bayern de Munique, argumentando que não é a pessoa adequada para comentar as decisões sobre os jogadores que ficam, que são negociados ou que são contratados, mas sim o presidente e o diretor esportivo do clube: “eu dou minha recomendação, mas estou nas mãos do clube. Me cabe definir o sistema de jogo, a escalação, mas não as contratações”.

O técnico catalão estranhou os comentários de Hitzfeld lembrando que no período em que este esteve à frente do Bayern e com o qual conquistou a Champions League 2000/01 a equipe titular só contava com 4 jogadores alemães: Oliver Kahn, Mehmet Scholl, Steffan Effenberg e Thomas Linke.

O fato é que Guardiola até agora não conquistou o prestígio no futebol alemão que desfruta na Espanha e no resto do mundo. Ainda durante a última Champions League o próprio presidente de honra do Bayern de Munique, Franz Beckembauer, fez duras e públicas críticas ao estilo de jogo que o técnico catalão implantou na equipe, que classificou como “obsessivamente preocupado com a posse da bola”.

O contrato de Guardiola com o Bayern  vai até junho de 2016 e dificilmente será renovado. A mídia esportiva europeia tem especulado que o Manchester City deverá ser o seu destino.

 



MaisRecentes

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo

Última chamada na Champions League: 7 clubes disputam 4 vagas.



Continue Lendo