Grupo espanhol Mediapro vence leilão e paga valores inéditos pelos direitos de TV da Ligue 1



Atualizado às 07:16h de 30/05/2018

 

A Liga de Futebol Profissional (LFP) anunciou, nesta terça-feira, que os direitos domésticos de TV da Ligue 1 e Ligue 2 para as temporadas de 2020 a 2024 foram negociados por um valor recorde. Eles alcançaram a quantia recorde de € 1,15 bilhão por ano que serão pagos pelo grupo espanhol Mediapro que marca sua chegada ao mercado francês de forma triunfal.

O resultado da negociação prova que a contratação de Neymar produziu o efeito desejado e valorizou exponencialmente a principal competição de clubes da França. Neste sentido, não foi apenas o PSG quem faturou receitas extraordinárias com a chegada do craque brasileiro, mas todos os clubes franceses.

Segundo o presidente da LFP, Nathalie Boy de la Tour, “esta foi uma negociação bem sucedida, com um aumento significativo em nossos direitos de transmissão de TV para o mercado interno”. Os valores do contrato ainda em vigor até 2020 totalizam € 762 milhões. Os valores do novo contrato já superam os obtidos pela Série A italiana e aproximam-se dos alcançados pela LaLiga espanhola.

O Canal+, atual detentor dos direitos negociados hoje, participou do leilão, mas não arrematou nenhum dos 7 pacotes. Entretanto o gerente geral da LFP, Didier Quillot, fez questão de lembrar que o Canal+ é “parceiro do futebol francês desde 1984 e seguirá sendo até 2020”.

Quillot esclareceu também que a “Mediapro pode sublicenciar ou não os direitos adquiridos nesta terça-feira. O critério é dela. A Mediapro nos apresentou um projeto de uma cadeia editorial com muitos jogos e é por isso que eles fizeram ofertas em muitos pacotes¨.

O pacote 1, que inclui os dez melhores jogos da temporada e a resenha de domingo às 21:00, e o pacote 2, que conta com os jogos de sexta-feira às 21:00 e sábado às 19:00. horas, foram concedidos à Mediapro.

Os canais qataris beIN Sports, que já transmitiram a Ligue 1, conquistaram apenas um pacote, enquanto outro pacote foi entregue ao operador Free. A SFR, operadora controlada pela Altice, assim como o Canal+, não obteve qualquer direito.

O investimento em Neymar deu frutos para ao futebol francês. (foto – Kenzo Tribouillard)

Dois pacotes menos importantes não foram adquiridos já que o preço mínimo estabelecido pela LFP não foi alcançado. Eles serão colocados à venda “até o final de 2018”.

O Mediapro, com sede em Barcelona, é um dos maiores grupos de comunicação da Europa. Recentemente, a empresa chinesa Orient Hontai Capital se tornou seu acionista majoritário adquirindo 53.5% do grupo. Ele se define como “líder no sector audiovisual europeu único em matéria de integração de conteúdos, produção e distribuição audiovisual. Ele fornece a criatividade e as soluções técnicas necessárias para projetar, produzir e distribuir qualquer projeto audiovisual ou multicanal”. O grupo é detentor dos direitos da Champions League e da UEFA Europa League para a Espanha, da Série A, da Copa da Alemanha e da Copa Libertadores para a Espanha.

Devemos lembrar que a Ligue 1 ainda não conseguiu negociar os direitos internacionais para o mercado brasileiro. O leilão organizado início deste ano foi suspenso pela ausência de interessados na sua aquisição pelos valores pretendidos pela Ligue 1. Os direitos no Brasil, que venceram no final desta temporada 2017/18, pertenciam ao grupo Globo. As partidas foram transmitidas pelo Sportv, que também os sublicenciou à ESPN Brasil. Neste caso, a participação de Neymar ainda não produziu o efeito esperado. A mudança neste cenário parece depender da performance da seleção brasileira na Copa da Rússia e a própria participação do craque na competição.



MaisRecentes

As frustrantes estreias de Alemanha e Brasil



Continue Lendo

França sofre para vencer a Austrália



Continue Lendo

Uruguai sofreu, mas mereceu vencer o Egito.



Continue Lendo