Futuro da Catalunha e do Barcelona entrelaçados



As eleições regionais do próximo domingo, 27 de setembro, definirão se o povo da Catalunha – estimado em 8 milhões de pessoas –  deseja caminhar na direção da independência da região situada na região nordeste da península ibérica, que conta com a cidade de Barcelona como capital e que teve sua autonomia destituída ao final da Guerra de Sucessão Espanhola (1702-14), quando seu território foi unificado ficando sob domínio do idioma castelhano. Desde o século XIX ressurgiu um movimento de resgate da identidade cultural da região, que tem inspirado a luta pela independência da Catalunha. No caso da vitória dos partidos partidários da posição independentista como ficariam o esporte em geral e o futebol em particular?

O debate paralelo sobre a exclusão do Barcelona e do Espanyol da La Liga certamente interferirá no resultado do pleito. No debate político a possibilidade de que a vitória da posição independentista traga prejuízos ao Barcelona FC passou a influenciar o posicionamento da população.

FC Barcelona- "mais do que um clube"

FC Barcelona- “mais do que um clube”

O presidente da Liga de Futebol Profissional -LFP – Javier Tebas, em entrevista à rede pública de televisão TVE, assegurou que a legislação não permite que equipes estrangeiras disputem as competições das ligas profissionais da Espanha, exceto as entidades esportivas da região de Andorra¹.

Para Tebas “a lei é muito clara. Caso a Catalunha ganhe a independência, o Barcelona deixará de jogar o campeonato espanhol. Os únicos clubes não espanhóis que podem competir são os clubes de Andorra”. O dirigente vai além e inclui clubes como o Español de Barcelona, Girona, Gimnastic e Llagostera, de outras divisões, que seriam impedidos de pertencer aos campeonatos profissionais da Espanha.La liga

O diário esportivo Marca, de Madrid, entrou no debate de maneira enfática alertando que a criação de uma liga catalã de futebol mudaria definitivamente a história, provocando uma “ruína” para o futebol e o esporte da Espanha. O diário lembra que o Barcelona gera algo como €150 milhões por ano com a negociação dos direitos de TV e que os clássicos contra o Real Madrid são determinantes para que as cifras sejam tão elevadas pelo interesse que despertam mundo afora. O próprio Real Madrid e os demais clubes que “teoricamente” permaneceriam na La Liga acabariam profundamente afetados com a exclusão das equipes catalãs da disputa. A manchete do Marca sintetiza o cenário, segundo seu ponto de vista: ” A Liga catalã é uma viagem a lugar nenhum”.

Uma pesquisa promovida entre internautas do Marca.com indica que a grande maioria entende que “a La Liga perderia com a independência, mas o Barcelona perderia ainda mais.”

Curiosamente o site do diário esportivo catalão Mundo Deportivo ignora o noticiário sobre as eleições do próximo domingo e suas consequências no esporte espanhol.

O presidente do Barcelona FC, Josep Maria Bartomeu, tem feito o possível para não vincular o clube ao processo eleitoral em curso, apesar da instituição historicamente ser vinculada ao movimento de valorização de sua identidade catalã.

La Liga sem Messi? Ruim para o Barça, ruim para o Real Madrid (foto - site oficial do FCB)

La Liga sem Messi? Ruim para o Barça, ruim para o Real Madrid (foto – site oficial do FCB)

O presidente do Conselho Superior de Esportes do governo espanhol, Miguel Cardenal, num discurso que tem sido chamado como do “medo” pelos defensores da tese independentista, comparou a situação do Barcelona, na hipótese de criação de uma Liga Catalã, com a do Ajax de Amsterdam que “arrecadou apenas €25 milhões por disputar uma competição como a Eredivisie (a liga de futebol profissional holandesa). Além disto o Barça fatura outros €100 milhões de bilheteria nos jogos do Camp Nou. Não acredito no cenário da independência. Encaro o Barça como algo meu e o defendo. É uma piada imaginar o cenário se há independência. Num país com cerca de 8 milhões de habitantes o Barça seria um clube formador como um Ajax, Celtic ou Standard Liège, chegaria no máximo às quartas de final da Champions League. Não faço o discurso do medo.”

Pau Gasol se nega a ser manipulado na eleição de domingo (foto - site oficial de PG)

Pau Gasol se nega a ser manipulado na eleição de domingo (foto – site oficial de PG)

O principal atleta espanhol do momento, Pau Gasol, campeão europeu de basquete no último domingo e catalão de nascimento, faz questão de se manter alheio ao debate: “Eu sei o que quero, mas minhas opiniões pessoais ficam com comigo. Não gosto que manipulem a opinião de desportistas nos momentos de sucesso. Não entendo de viabilidades políticas”. Sobre a hipótese de acontecer um campeonato espanhol de basquete sem o Barcelona, Gasol se revelou descrente:”uma liga profissional espanhola sem o Barça nunca existiu. Não sei, são palavras, uma situação hipotética. E as pessoas que tem responsabilidade tem que fazer suas opções”.

Pep Guardiola considera inevitável a independência catalã. (foto - site oficial do FC Bayern)

Pep Guardiola considera inevitável a independência catalã. (foto – site oficial do FC Bayern)

Já Pep Guardiola, catalão e técnico do Bayern de Munique, ao contrário de Gasol, tem opiniões claras e as manifestou publicamente através do diário catalão El Punt Avui:”a independência chegará cedo ou tarde. Não há como recuar. A Espanha e a Catalunha serão melhores”.

Guardiola lamenta estar fora do país nestes momentos e se diz ansioso pelos desdobramentos das eleições: “a verdade é que não sei o que acontecerá, mas me parece que nunca houve uma situação como a atual, excepcional. Agora não votamos apenas em que será nosso presidente. Votamos agora o que queremos ser, com todo o entusiasmo, o que somos e isto à vezes nos custa muito.”

 

1 – Andorra é um pequeno principado localizado entre o nordeste da Espanha e o sudoeste da França, com pouco mais de 70 mil habitantes, que se enriqueceu pelo turismo e por ser um paraíso fiscal. Tem o catalão como língua oficial.


 Atualizado às 11:58 de 23/09/2015



  • Juliano Sommariva Jr

    Balela… é perfeitamente possível mudar a lei.
    Quem perderia com a saida do Barça é a LIGA e não o Barça.
    Coisas do gênero já acontecem na Premier League e na Major League, onde times de Gales e Canadá disputam as ligas, respectivamente.

    • Marcelo Abdul

      A situação é bem diferente. Seria uma senhora contradição um dos principais símbolos da Catalunha implorar ficar no país pelo qual querem se separar. Toda indenpendência de uma certa forma é traumática em todos os sentidos. Os escoceses viram isso e decidiram se manter no Reino Unido. É o preço que a Catalunha e o Barça terão que pagar. Vão ter que recomeçar com as próprias pernas.

      • Juliano Sommariva Jr

        Futebol é futebol cara. Política é Política, e geografia é geografia…
        uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa.

        E repito, para mim, quem perderia com a saida do BARÇA da LA LIGA é a LIGA, e não o BARÇA….

        Mas é perfeitamente possível haver a separação territorial, e manter a LIGA como é atualmente. Basta uma caneta.

      • Juliano Sommariva Jr

        E digo mais, esse bafafá todo é por causa de uma consulta pública sobre a separação da CATALUNIA, que provavelmente será aprovada. Daí a acontecer de fato é outra história pq não depende só da CATALUNIA.

        E se acontecer, será só a primeira de várias. Pois a região da Galícia, a região do Pais Vasco, e outras regiões da espanha tendem a pedir separação também. O que não vai acabar com o REINO DE ESPANHA, mas dará autonomia fiscal, política e econômica para as regiões.

    • marco soares

      Gales é uma nação mas não é um estado, faz parte do Reino Unido da Grã-Bretanha.

      • Juliano Sommariva Jr

        Exatamente. Você leu o texto?

  • luiz das graças matias

    ta ficando facil e sem graças para o real madri sem barça acaba o campeonato espanhol.

MaisRecentes

Jornais esportivos espanhóis de luto pelos atentados terroristas na Catalunha



Continue Lendo

Barcelona se revolta com matéria que vincula contratação de Paulinho aos interesses da empresa do presidente Bartomeu.



Continue Lendo

Campeonato Italiano com 20 clubes tem sido previsível e elitista ao longo da história



Continue Lendo