Dunga rumo a uma nova superação?



A Seleção Brasileira venceu, neste domingo, o Chile por 1 a 0, em Londres, no último amistoso antes do anúncio, em maio, da lista com 30 jogadores que serão pré-inscritos para a Copa América 2015 a ser realizada de 11 de junho a 4 de julho no Chile. O balanço das convocações e participações dos jogadores nestes sete meses de trabalho de Dunga como técnico da Seleção Brasileira se torna oportuno e pertinente na medida em que ele já admitiu que só chamará para esta competição jogadores que já tenham sido convocados.

Dunga já tem núcleo da seleção definido (foto - site oficial da CBF)

Dunga já tem núcleo da seleção definido (foto – site oficial da CBF)

Nesta primeira fase do trabalho foram 8 jogos e 8 vitórias em partidas contra 4 equipes sul-americanas (Colômbia, Equador, Argentina e Chile), 3 europeias (Áustria, Turquia e França) e 1 asiática (Japão).

Partidas

Brasil 1 x 0 Colômbia (N.3 no ranking da FIFA) – gol de Neymar aos 37 minutos do st

Brasil 1 x 0 Equador (N.29 no ranking da FIFA) – gol de William aos 30 do pt

Brasil 2 x 0 Argentina (N.2 no ranking da FIFA) – gols de Tardelli aos 27 do pt e aos 18 do st

Firmino foi bem em Paris e brilhou em Wembley (foto - site oficial da CBF)

Firmino foi bem em Paris e brilhou em Wembley (foto – site oficial da CBF)

Japão 0 x 4 Brasil – (N.53 no ranking da FIFA) – gols de Neymar 17 do pt, 2, 31 e 35 do st

Turquia 0 x 4 Brasil – (N.56 no ranking da FIFA) – gols de Neymar aos 19 do pt e aos 14 do st e William aos 23 do pt

Áustria 1 x 2 Brasil (N.23 no ranking da FIFA) – gols de David Luiz ao 18 e 37 do st

França 1 x 3 Brasil – (N.8 no ranking da FIFA) – gols de Oscar aos 40 do pt, Neymar aos 12 do st e Luiz Gustavo aos 23 do st

Brasil 1 x 0 Chile (N.15 no ranking da FIFA) – gol de Firmino aos 27 do st

Saldo de gols

A Seleção assinalou 18 gols e sofreu 2, com saldo positivo de 16 gols, com a média de 2,25 gols por jogo. Neymar é o artilheiro neste período com 7 gols. 12 dos 18 gols foram marcados no segundo tempo dos jogos.

Neyma já assinalou 7 gols após a volta de Dunga à Seleção (foto - site oficial da CBF)

Neymar já assinalou 7 gols após a volta de Dunga à Seleção (foto – site oficial da CBF)

Países em que os jogadores estão atuando 

Neste período Dunga colocou em campo 31 jogadores, sendo que 5 deles jogam em clubes brasileiros:

Jefferson, Gil, Elias, Souza, Robinho

Os demais estão espalhados por 11 países, sendo que a Inglaterra se destaca com 6 e a Espanha com 4:

Na Inglaterra – Filipe Luiz, Ramires, Oscar, William, Fernandinho e Phillipe Coutinho

Miranda foi titular nas 8 vitórias brasileiras (foto- site oficial da CBF)

Miranda foi titular nas 8 vitórias brasileiras (foto- site oficial da CBF)

Na Espanha – Diego Alves, Miranda, Marcelo, Neymar

Na França – Marquinhos, Thiago Silva e David Luiz

Na Ucrânia – Diego Costa, Fred e Luiz Adriano

Na China – Ricardo Goulart e Tardelli

Em Portugal – Danilo e Casemiro

Na Alemanha – Luiz Gustavo e Firmino

Nos Emirados Árabes – Everton Ribeiro

Na Itália – Maicon

Nos EUA – Kaká

Na Rússia – Mário Fernandes

Conclusão

Dunga assumiu a Seleção Brasileira num dos momentos mais dramáticos de sua história em função do desempenho decepcionante na Copa do Mundo de 2014 na qual não foi convincente em qualquer das partidas que disputou, chegando na quarta colocação, sendo derrotada na semifinal pela Alemanha por 7 x 1 e na disputa da terceira colocação pela Holanda por 3 x 0.

Nestes sete meses de trabalho, ou 8 partidas, sem discriminar aqueles que participaram do Mundial, o técnico brasileiro construiu a base de uma equipe competitiva considerando o número expressivo de jogos em que 8 jogadores iniciaram como titulares: Jefferson (6), Danilo (7), Miranda (8), Filipe Luiz (7), Luiz Gustavo (7), Oscar (7), William (8) e Neymar (8). Destes, Danilo, Miranda e Filipe Luiz não participaram da Seleção na última Copa.

Danilo, William e Neymar estarão na Copa América (foto - site oficial da CBF)

Danilo, William e Neymar estarão na Copa América (foto – site oficial da CBF)

Dá para afirmar também que os experimentados zagueiros Thiago Silva e David Luiz já estão integrados a este núcleo. Dunga deverá decidir as formação da zaga titular entre Miranda e um dos dois. Na lateral direita há ainda a lacuna para o substituto de Danilo.

Do ponto de vista tático, ainda que a equipe apresente problemas no setor defensivo, notadamente nas bolas aéreas e no lado esquerdo quando ocupado por Marcelo, ela tem se mostrado cada vez mais equilibrada e compacta, tendo sido vazada apenas 2 vezes nos jogos disputados.

Jefferson tem vaga certa no grupo da Copa América (foto - site oficial da CBF)

Jefferson tem vaga certa no grupo da Copa América (foto – site oficial da CBF)

A transição entre a defesa e o ataque tem se revelado altamente eficiente e quase mortífera quando é realizada através de contra ataques. Ela ainda precisa aperfeiçoada quando a troca de passes e de posições se faz necessária, nas situações em que o adversário já está recomposto defensivamente. O gol de Firmino contra a França, por exemplo, demonstrou que com um pouco mais de entrosamento, movimentação do meio para a frente e altruísmo de Neymar o problema pode ser superado.

No meio campo Luiz Gustavo surge como o volante principal com Elias se firmando como provável segundo volante. Aparentemente Dunga aproveitou a maneira de jogar de William e Oscar no Chelsea baseada na intensa participação dos dois defensiva e ofensivamente pelos lados do campo. Oscar parece desfrutar de mais liberdade de ação do que a concedida por José Mourinho no seu clube.

Neymar é a estrela da equipe e a principal referência ofensiva, se transformando inclusive no artilheiro do time. Luiz Adriano mereceu seguidas oportunidades na posição mas parece não tê-las aproveitado. Tudo indica que por preferência pessoal ou por carência de um atacante mais centralizador e de área, Dunga vai priorizar a solução através de um atacante mais flexível e de movimentação para o posto. Tardelli e Firmino são dois jogadores habilidosos, inteligentes, que se movimentam, que tem aproveitado as oportunidades apresentadas e deverão disputar a posição de titular.

Com apenas 8 partidas disputadas é óbvio que a Seleção Brasileira ainda está longe de se consolidar como uma equipe pronta, consistente e equilibrada capaz de corresponder a enorme expectativa pela reconquista de resultados ao nível da sua tradição. Mas é inegável que a base já está desenhada e sendo maturada.

Dunga disputou as Copas de 90, 94, e 98 como jogador e a de 2010 como técnico ( foto- site oficial da CBF)

Dunga disputou as Copas de 90, 94, e 98 como jogador e a de 2010 como técnico ( foto- site oficial da CBF)

Dunga, mesmo sob a crítica de boa parte da opinião pública e da mídia esportiva, tem sido inteligente e corajoso ao não abrir mão de jogadores que disputaram a última Copa e que, no seu entender, por idade, qualidade individual, experiência ou competitividade merecem fazer parte desta nova etapa da Seleção Brasileira.

Ele apenas reproduz as transições bem sucedidas do passado como, por exemplo, as de 1970 e 1994. Brito, Gerson, Jairzinho, Pelé, Tostão e Edu participaram do fracasso histórico brasileiro de 1966 quando a Seleção Brasileira foi eliminada na primeira fase (1 vitória e 2 derrotas) na Copa na Inglaterra e formaram a base do time que conquistaria a Copa seguinte no México. Já em 1994, foi  a vez de Taffarel, Jorginho, Aldair, Ricardo Rocha, Branco, Mazinho, Muller, Romário, Bebeto e o próprio Dunga superar a desclassificação prematura na Copa na Itália vencendo a Copa dos Estados Unidos.

Dunga tem longa estrada até a Copa de 2018 na Rússia e só chegará até lá se vencer, vencer e vencer. Ele sabe disto mais do que ninguém. E já mostrou que tem energia, experiência e vontade de chegar até lá. De novo.

 

 

 



MaisRecentes

Borussia Dortmund lidera lista dos clubes com maior posse de bola nas 5 maiores ligas europeias



Continue Lendo

Marco Asensio será o novo galático do Real Madrid?



Continue Lendo

Rummenigge, presidente do Bayern: “não podemos e não compraremos um jogador por € 222 milhões”



Continue Lendo