Destino da eleição na FIFA pode ser decidido amanhã no Catar



Neste fim de semana o destino da eleição para presidente da FIFA, programada para o dia 26 de fevereiro, poderá estar sendo decidido em Doha, no Catar. Neste sábado, Japão e Coréia do Sul, decidirão a Copa da Ásia Sub-23. Como presidente da Federação Asiática de Futebol (FAF) e candidato a presidente da FIFA, o Sheik Salman Bin Ebrahim Al Khalifa, recepcionará 3 dos outros concorrentes ao pleito: o sul-africano Tokyo Seswale, o suíço-italiano Gianni Infantino e o príncipe jordaniano Prince Ali Bin Al Hussein. A presença do francês Jérôme Champagne ainda não foi confirmada.

O significado do encontro entre os candidatos na capital do país que seriará a Copa do Mundo de 2022 pode vir a ser aquele que Seswale definiu durante uma entrevista à rádio sul-africana Metro FM, nesta quinta-feira: “a hora das alianças está chegando. Este é o fator novo que estou identificando. É saudável, democrático e é positivo. Se eu perceber que as chances não são boas… eu continuarei FIFA. Mas que presidente, então, eu gostaria? Por isto acontecem as alianças”.

Sheik Salman recebe concorrentes em Doha (foto - the-afc.com

Sheik Salman recebe concorrentes em Doha (foto – the-afc.com

Seswale confirmou sua estratégia política: “vou ser claro… onde isto pode acabar? Não será Tokyo Seswale. O fim desta história, e neste momento, estou apelando à Europa, aos eleitores europeus, que com o apoio da Europa, chegou a hora de um presidente asiático ou um africano. É nesta direção que devemos seguir”.

O sul-africano explicou por que não admite apoiar o candidato europeu Gianni Infantino: “sou seu amigo, parceiro, mas não acho ele seja a melhor escolha do momento. Eu diria que não é o momento de substituirmos Sepp Blatter por um outro dirigente suíço.”

Tokyo Seswale era amigo íntimo de Nelson Mandela (foto- tokyoseswale.com)

Tokyo Seswale era amigo íntimo de Nelson Mandela (foto- tokyoseswale.com)

Outro importante dirigente asiático estará presente em Doha e, por certo, agindo na direção de um entendimento entre o Sheik Salman e do secretário geral da UEFA Gianni Infantino: o Sheikh Ahmad Al-Fadah Al-Sabah, do Kwait. Segundo ele declarou em outubro à agência Reuters, “eu espero que a gente não tenha um impasse insuperável. Eu torço para que haja uma coordenação e que nós cheguemos uma solução de entendimento”.

Os candidatos a presidente da FIFA encontrarão em Doha um ambiente francamente favorável ao anfitrião Sheik Salman que recentemente protagonizou a celebração, em Ruanda, de um acordo entre a FAF e Confederação Africana de Futebol (CAF),’ pelos próximos quatro anos, nos quais, a entidade asiática investirá e transferirá know how no desenvolvimento do futebol feminino e em projetos de marketing. Evidentemente o acordo está sendo interpretado como a indicação de que os 54 votos africanos se direcionarão maciçamente para o candidato asiático.

Sheik Salman aproveitou seu discurso de recepção aos convidados à final da Copa da Ásia Sub-23 em Doha, nesta quinta-feira, para reforçar os pontos fundamentais de sua plataforma para o futebol. Ele reafirma o objetivo da AFC seguir investindo no “desenvolvimento de times cada vez melhores para competir no mais alto nível do futebol mundial. Vamos buscar o incremento das receitas comerciais para financiar nossos projetos. Buscamos virar referência na boa governança. Chegou a hora do futebol da Ásia brilhar. Com unidade, integridade, liderança e profissionalismo nós vamos provar que estamos aproveitando as oportunidades que estão diante de nós”.

Se a hora é aquela que Tokyo Seswale anunciou, algo de novo pode nascer em Doha e o nome do próximo presidente da FIFA pode estar sendo escrito em tintas fortes para a eleição do dia 26 de fevereiro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 



  • Fabio

    “poderá estar sendo decidido”
    alguém fugiu da escola!

MaisRecentes

O prodígio gigante Donnarumma é o personagem das semifinais do Euro Sub 21



Continue Lendo

FIFA preocupada com boicote de países árabes ao Qatar, organizador da Copa de 2022.



Continue Lendo

Real Madrid, o “senhor das finais e do dinheiro” da Champions League



Continue Lendo