Departamento de Justiça dos EUA confirma os sete detidos em Zurique



O Departamento de Justiça dos EUA acaba de reconhecer que o número de dirigentes da FIFA presos pelas autoridades suíças na manhã desta quarta-feira em Zurique cresceu para sete:  Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Eugenio Figueiredo, Rafael Esquivel e José Maria Marin.

Sede da FIFA em Zurique na Suíça ( foto - site oficial da FIFA)

Sede da FIFA em Zurique na Suíça ( foto – site oficial da FIFA)

Ainda nesta manhã a polícia americana realizou uma busca nos escritórios da Concacaf em Miami, no estado da Flórida, nos EUA.

Uma longa nota foi publicada no site oficial do Departamento de Justiça dos EUA esclarecendo o contexto em que foi deflagrada operação realizada em Zurique: “Nove dirigentes da FIFA e cinco executivos de empresas privadas acusados de conspiração fraudulenta e corrupção”.

Em entrevista coletiva nesta manhã em Nova York, a secretária de justiça dos EUA, Loretta Lynch, “a corrupção é simplória, sistemática e enraizada no exterior e nos EUA e envolve pelo menos duas gerações de dirigentes de futebol que tem aproveitado de suas posições para arrecadar milhões em propinas e subornos”.

A secretária Loretta Lynch e o vice presidente Joe Biden ( foto - site oficial da secretaria de justiça dos EUA)

A secretária Loretta Lynch e o vice presidente Joe Biden ( foto – site oficial da secretaria de justiça dos EUA)

Ainda segundo a secretária americana, “estes crimes atingiram várias vítimas, das ligas mais frágeis e de países em desenvolvimento que deveriam se beneficiar das receitas geradas pela negociação comercial dos direitos de marketing destas entidades, aos torcedores espalhados mundo afora cujo paixão pelo futebol dá valor a estes direitos. A ação de hoje deixa muito claro que o Departamento de Justiça pretende atacar qualquer prática de corrupção, de práticas criminosas e trazê-las para a justiça. Vamos adiante no trabalho conjunto com outros países”.

O diretor do FBI James Comey adendou durante a entrevista que “como consta na acusação, os indiciados implantaram uma cultura da corrupção e cobiça que criou um campo de jogo desigual no seio do maior esporte do mundo. Pagamentos secretos e ilegais, por debaixo do pano e propinas viraram um modo de fazer negócio na FIFA. Eu gostaria de reverenciar os investigadores e promotores que apuraram este caso tão diligentemente ao longo de tantos anos”.

Atualizada às 8:18 do dia 27/05/2015



MaisRecentes

Bayern de Munique anuncia a criação de sua própria empresa de mídia digital



Continue Lendo

Luiz Gustavo, esquecido por todos para a seleção, mas venerado no Olympique finalista da Europa League



Continue Lendo

Tite repete Zagallo de 1970: investe na experiência e convoca 6 jogadores que participaram do fracasso na Copa anterior



Continue Lendo