Del Bosque sobre Iker Casillas: “Um em um século”



Iker Cassilas está deixando o Real Madrid depois de 25 anos. É uma carreira extraordinária, que o credencia como o maior goleiro da história do clube mais poderoso do futebol mundial. Neste período, com o Real Madrid, ele conquistou duas Copas do Rei, 5 Campeonatos Espanhóis, 3 Champions Leagues, e com a Seleção Espanhola foram 2 Eurocopas e 1 Copa do Mundo.

Desde que José Mourinho passou pelo comando do clube e o barrou, entre 2010 e 2013, Casillas vinha enfrentando uma forte contestação por uma parte da torcida. Sua presença como titular transformou algumas partidas em ambientes estranhos, contraditórios, que de uma maneira ou de outra, acabaram interferindo na equipe em função das vaias insistentes contra o goleiro recordista.

Iker Casillas o maior goleiro da história do Real Madrid e da Espanha ( foto - arquivo do Lance!)

Iker Casillas o maior goleiro da história do Real Madrid e da Espanha ( foto – arquivo do Lance!)

A mídia espanhola apresenta versões conflitantes sobre os motivos que levaram Casillas a anunciar que está se transferindo para o FC do Porto, onde vai ganhar os mesmos €17 milhões que receberia no Real Madrid até 2017, com o clube espanhol bancando 70% do total.  Haverá ainda uma partida amistoso entre os dois clubes no dia 12 de agosto para homenagear o atleta na disputa do tradicional Troféu Santiago Bernabéu.

Como exemplar profissional, Casillas chegou na tarde desta segunda-feira à cidade do Porto onde passará por exames médicos. Na sexta-feira ele deverá viajar para a cidade de Horst , na Holanda, onde o planter portista realiza a pré-temporada.

Mesmo que o presidente Florentino Perez tenha reiteradamente garantido que a decisão se sair agora foi tomada pelo goleiro, sem interferência da diretoria do clube que desejava sua permanência até o final do contrato, a ausência de qualquer dirigente na sua despedida oficial no último sábado reforçou a versão de que o casamento está sendo desfeito com desgastes indisfarçáveis entre o jogador e o clube. Não por acaso, alguns milhares de torcedores que foram ao Santiago Bernabéu dar adeus ao goleiro, foram explícitos em gritar em coro: “Fora Florentino!”

Casillas escreveu a história mais extraordinária de um goleiro com a pesadíssima camisa do Real Madrid. O título do texto publicado no “El País”, jornal mais respeitado da Espanha, escrito pelo técnico Vicente Del Bosque, com quem Casillas conviveu as conquistas mais importantes do futebol espanhol, sintetiza tudo: “Um em um século”. Vale a pena ler a mensagem de Del Bosque:

ikerdelbosque2010

“Quando você é responsável pelas divisões de base acaba se encantando por muitos jogadores. Várias vezes é levado a dizer: “este vai chegar à equipe profissional”. Mas a realidade é que a maioria se perde pelo caminho. Quando Iker Casillas passou pelos juniores era evidente que tinha potencial. Algo intangível. Não dava para determinar.

Há goleiros excelentes que reúnem todas as qualidades físicas e técnicas para cumprir as expectativas mais exigentes, mas não chegam. E, nisto, o gol do Real Madrid é especialmente exigente. A pressão é mais difícil de ser superada por que ele é pouco ameaçado. Duas ou três vezes por partida. São dois ou três momentos em que não pode falhar. Se não acerta, acaba em evidência. Isto já aconteceu com goleiros estupendos. Recordo, particularmente, os casos de Miguel Ángel e Mariano García Remón por que foram meus companheiros.

Casillas estava sempre onde deveria estar. Todos os grandes goleiros dos grandes clubes tem demonstrado este dom. Esta capacidade imensurável.

Toshack o fez estrear . Nós o mantivemos e demos continuidade. Quando chegou a final da Champions League de Paris, em maio de 2000, o escolhemos por que ele era o melhor. E, vale lembrar, que tínhamos também em nosso elenco a competência de Bodo Illgner, um grande goleiro, campeão do mundo pela Alemanha. Não sei quantos goleiros de 18 anos conquistaram uma Champions League. Eu, naquele momento, não estava consciente de quanto ele ela jovem. Eu simplesmente o considerei preparado. Transmitia confiança.

Di Stéfano, Gento, Pirri, Hierro e Raúl foram os jogadores mais notáveis da história do Real Madrid. Mas Iker acrescenta algo especial. De outro modo não poderia ter jogado mais de 16o partidas pela Seleção e mais de 700 pelo clube numa posição com tanta responsabilidade. Ninguém deu tanta segurança como ele. Mesmo que nos últimos tempos ele não se sentisse feliz, ele foi firme. Não transferiu esta tristeza para a equipe.

Casillas é um caso extraordinário. Um em um século.

Vicente Del Bosque”

 



MaisRecentes

Mourinho foi mais Mourinho do que nunca em Estocolmo



Continue Lendo

Final da Europa League: Ajax e Manchester United duelam como bom humor no Twitter



Continue Lendo

Os 4 meninos prodígios do futebol mundial



Continue Lendo