Conmebol terá mais um presidente paraguaio. Com o apoio do Brasil.



Atualizado às 08:43 h de 26/01/2015

 

A Conmebol voltará a ser presidida por um paraguaio a partir do acordo a que chegaram as 10 entidades nacionais para a eleição que acontecerá, nesta terça-feira, em Assunção, ao final do Congresso Extraordinário da entidade. O nome de consenso é o de Alejandro Domínguez, atual presidente da Associação Paraguaia de Futebol (APF).

Com isto, o uruguaio Wilmar Valdez, que ocupava interinamente a função, retirou sua candidatura. Ele será um dos 3 representantes sul-americanos no Comitê Executivo da FIFA. Os outros serão o brasileiro Fernando Sarney (vice-presidente da CBF) e o próprio Domínguez. No pleito também serão eleitos o colombiano Ramón Jesurún como primeiro vice-presidente e o venezuelano Laureano González como segundo vice-presidente. Segundo o diário uruguaio El País, Valdez poderá perder prestígio político na Associação Uruguaia de Futebol diante da insatisfação de alguns clubes de seu país com a perda de espaço na entidade sul-americana.

Domínguez foi vice-presidente do Club Olímpia (foto - apf.org.py)

Alejandro Domínguez foi vice-presidente do Club Olímpia (foto – apf.org.py)

O diário argentino Olé assegura que o cargo de secretário geral da entidade será ocupado por um argentino e que o ex-presidente do Lanús, Alejandro Marón, é o nome mais comentado para o cargo que vinha sendo exercido pelo espanhol Gorka Villar.

Dominguéz tem 44 anos, é economista formado pela Universidade de Kansas (EUA) e pós graduado em administração de empresas pela Universidade Católica de Assunção. Ele pertence a uma família poderosa financeiramente que já foi proprietária de um conglomerado de comunicação que contava dentre outros veículos com o diário La Nación.

Seu ingresso no mundo do futebol aconteceu através do tradicional Club Olímpia e, em seguida da APF, sempre liderado pelo ex- presidente da Conmebol, Miguel Angel Napout, que hoje se encontra preso nos Estados Unidos. Desde agosto ele ocupa a presidência da APF.

Domínguez será o terceiro paraguaio a chegar à presidência da entidade. Nicoláz Léoz, hoje em prisão domiciliar, a conduziu de 1986 a 1913. Napout exerceu o cargo de agosto de 2014 a dezembro de 2015.

O evento da entidade sul-americana contará com a presença de Ángel María Villar, presidente da Real Federação Espanhola de Futebol e primeiro vice-presidente da UEFA, no qual desempenha funções equivalentes as de presidente desde que Michel Platini foi suspenso pelo Comitê de Ética da FIFA.

Villar preside a RFEF desde 1988 (foto - UEFA.com)

Villar preside a RFEF desde 1988 (foto – UEFA.com)

Dominguéz tem declarado que “a entidade deve deixar de tratar com intermediários, passando a negociar contratos comerciais e de direitos de mídia com os compradores finais. As federações e os clubes precisam receber mais dinheiro”. Sua ênfase nestes pontos tem a ver com a recente movimentação de clubes sul-americanos insatisfeitos, dentre outras coisas, com as cotas pagas pela Conmebol pela participação nas competições continentais por ela organizadas. Os clubes discutem também a criação da Liga Sul-Americana de Clubes.

O Brasil participou ativamente do articulação do nome nome do paraguaio como candidato de consenso ao pleito. No entanto, enquanto vários presidentes de clubes dos demais países participam da reunião da Conmebol em Assunção não há qualquer representante de agremiação brasileira presente.

A reunião serviu também para uma articulação curiosa e retrógrada entre os presidentes de River Plate (D’Onofrio) e Boca Juniors (Daniel Angelici) em torno da ideia de redução da pena imposta pela Conmebol ao Boca pelos incidentes ocorridos na partida entre ambos na Copa Libertadores do ano passado em La Bambonera.

 

 



MaisRecentes

Mourinho foi mais Mourinho do que nunca em Estocolmo



Continue Lendo

Final da Europa League: Ajax e Manchester United duelam como bom humor no Twitter



Continue Lendo

Os 4 meninos prodígios do futebol mundial



Continue Lendo