Comitê Executivo examina proposta de reforma da FIFA



O futuro da FIFA começa a ser escrito a partir de hoje em Zurique. O presidente do Comitê de Reforma da FIFA 2016, Dr François Carrard, apresentará pessoalmente sua recomendações ao Comitê Executivo da entidade que estará reunido hoje e amanhã. Pode ser o início da retomada de um organismo que se encontra com a imagem deteriorada, quase à beira do abismo. A reunião contará com a participação inédita de Fernando Sarney que ocupará a posição de Marco Polo Del Nero, presidente da CBF.

A FIFA tenta desesperadamente ela própria se reformar para superar as distorções que acabaram por provocar a suspensão do presidente Joseph Blatter e sua provável exclusão definitiva da vida do futebol.

As medidas apresentadas deverão ser encaminhadas ao Congresso da FIFA marcado para 26 de fevereiro do ano que vem, mesmo dia em que acontecerá a eleição para presidente da entidade. Se aprovadas, elas entrarão em vigor 60 dias depois.

Carrard, 76 anos, já foi diretor do COI (foto - Fifa.com)

Dr François Carrard, 77 anos, é advogado e foi diretor do COI entre 1989 e 2003 (foto – Fifa.com)

As propostas do Comitê de Reforma não são revolucionárias, mas apontam para um tipo de gestão mais aberto, transparente e com melhor governança corporativa. As mudanças sugeridas, em resumo, serão:

Política e gestão – o papel do presidente da FIFA deverá ser menos proeminente na gestão da entidade e mais no sentido da representação. O secretário geral deverá assumir o papel de principal gestor da entidade. O Comitê Executivo ganharia responsabilidades antes delegadas à presidência e passará a se chamar Conselho da FIFA.

Controle de Integridade – haverá um controle muito mais rigoroso para que o presidente e outros membros da entidade, familiares e amigos não tenham qualquer tipo de relacionamento empresarial ou comercial com os parceiros da FIFA.

Limites nos mandatos – será instituído o limite de 12 anos de mandato para o presidente e os membros do Conselho da FIFA. Não deverá se instituído qualquer limite de idade.

Transparência – os salários de todos os dirigentes da entidade deverão ser tornados públicos, inclusive do presidente e dos membros do Conselho. Auditores independentes deverão acompanhar a aplicação dos recursos no financiamento de projetos de desenvolvimento do futebol.

 

FIFA 2

Preocupação dos patrocinadores

O Comitê Executivo da FIFA recebeu, esta semana, uma carta assinada por 5 dos principais patrocinadores da entidade – Coca-Cola, Visa, McDonald’s, Adidas e Anheuser-Busch (Budwiser) com a explícita cobrança de que a entidade passe a ser submetida à fiscalização independente: “é muito claro para nós que uma fiscalização independente precisa acompanhar a implementação e a evolução do processo de reforma. As mudanças podem até seguir a direção correta no longo prazo, mas uma mudança cultural também se faz necessária. A mudança cultural deve começar dentro da FIFA e chegar nas Confederações e outras entidades vinculadas à FIFA”.

Os patrocinadores se mostram especialmente cautelosos já que no lugar de terem tido participação no Comitê de Reforma, como prometido inicialmente, a eles só serão oferecidos assentos num comitê de assessoramento que ainda deverá ser criado.

O Comitê de Reforma da FIFA, responsável pela elaboração da proposta de mudanças apresentada hoje é composto por: Dr François Carrard (Suíça), Sheik Ahmad Al Fahad Al Sabah (Kwait), Sr Kevan Gosper (Austrália), Sr Hany Abo Rida (Egito), Sr Constant Omari Selemani (Congo), Sr Victor Montagliani (Canadá), Sr Sami Gandhi (EUA), Sr Gorka Villar (Espanha/Conmebol), Sr Wilmar Valdez (Uruguai), Sr Sarai Bareman (Nova Zelândia), Sr Dawud Baradur (Nova Zelândia), Sr Gianni Infantino (Suíça) e Sr Alasdair Bell (Reino Unido).

 

 

Atualizado às 11:46h de 02/12/2015

 



MaisRecentes

FIFA ameaça a Espanha de exclusão da Copa do Mundo da Rússia em 2018



Continue Lendo

Há 70 anos o Real Madrid inaugurava o estádio Santiago Bernabéu



Continue Lendo

Quais foram os 11 melhores jogadores das 5 principais ligas europeias no último semestre?



Continue Lendo