Colômbia vence EUA, mas tem James Rodriguez contundido



A Colômbia venceu os Estados Unidos por 2 a 0 na partida inaugural da Copa América Centenária no Levi’s Stadium de Santa Clara, na Califórnia.

Vitória justa, mas burocrática, produto de duas bolas paradas ainda no primeiro tempo: um escanteio magnificamente concluído de dentro da grande área, de primeira, pelo zagueiro Cristian Zapata, aos 8 minutos e um pênalti – bastante discutível – cobrado de maneira inapelável por James Rodriguez, aos 42 minutos.

James Rodriguez cobrou o pênalti de maneira impecável (foto - conmebol.com)

James Rodriguez cobrou o pênalti de maneira impecável (foto – conmebol.com)

A equipe de José Pékerman, atual 3ª colocada no ranking da FIFA, mereceu a vitória, mas esteve longe de empolgar sua imensa torcida presente, maioria dentre o público de 67 439 espectadores.

Na verdade, os colombianos sequer precisaram se esforçar para buscar o resultado diante de uma equipe americana burocrática e inofensiva, ainda que detentora da posse de bola na maior parte da partida. O meia americano Michael Bradley teve espaço e liberdade para organizar o jogo, mas foi incapaz de fazê-lo. Sem inspiração, ele também não foi ajudado pelos atacantes americanos, incapazes de oferecer opções que colocassem em risco o gol de David Ospina. O técnico Jürgen Klinsmann certamente saiu frustrado com seu time.

James Rodriguez teve uma participação correta, mas esteve longe de ser o protagonista como se esperava e, pior, saiu contundido no ombro no segundo tempo. Zapata, Juan Cuadrado e Edwin Cardona se destacaram na estréia. O artilheiro Carlos Bacca correu muito, mas não estreou com o seu.

Do ponto de vista da tabela de classificação a Colômbia deu um passo importante ao vencer a equipe anfitriã. Mas, como talvez integre o grupo mais equilibrado do torneio, ela ainda terá pela frente as competitivas equipes da Costa Rica e do Paraguai, que se enfrentam, neste sábado, às 18h, no estádio Flórida Citrus Bowl.

 

Presenças ilustres e raras nos eventos da Conmebol

Desde as prisões dos principais dirigentes da Conmebol, em maio de 2015, em Zurique, na Suíça, a presença dos dirigentes da entidade nos estádios passou a ser cada vez mais rara. Pois, a festa da abertura da Copa América Centenário de 2016 contou com a participação do presidente da confederação, o paraguaio Alejandro Domínguez, e do presidente da FIFA, o suíço Gianni Infantino, que foi agraciado com uma réplica do troféu em disputa na competição. Nenhum dos 2 recebeu a visita de agentes do FBI.

Rodriguez e Infantino oficializaram a abertura (foto - conmebol.com)

A presença de Infantino tem a ver com o esforço dos dirigentes americanos em demonstrar que são capazes de voltar a organizar uma Copa do Mundo no futuro próximo, consubstanciado na escolha de 10 cidades espalhadas pelo país para sediarem as partidas da Copa América Centenário.

 

Rede americana de TV na organização da Copa América Centenário

Vale registrar que por trás da comemoração dos 100 anos do torneio está a rede de TV americana em língua espanhola Univisión que pretende atingir uma audiência média de 18 milhões de espectadores entre 18 e 49 anos de idade.univision logo

A Univisión transmitirá todas as partidas ao vivo pela TV aberta e através de todas as suas plataformas digitais. Como a própria emissora promove a cobertura “para celebrar os 100 anos da Copa América – uma competição tipicamente sul-americana – duas importantes confederações se juntaram para coroar pela primeira vez o campeão das Américas. Assim a Copa de Ouro da Concacaf se junta à Copa América da Conmebol para celebrarem um super torneio. E a América Hispânica não pode esperar”.

Os hispânicos são 17% da população americana com algo em torno de 53 milhões de consumidores.

 

 

 

 

 



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo