Chelsea avança no projeto de ampliação de Stamford Bridge



O Chelsea FC confirmou em nota publicada no seu site oficial, nesta segunda-feira, que os planos para a modernização e ampliação da capacidade de Stamford Bridge para 60 mil lugares avança para um novo estágio.

Um ano atrás o proprietário do clube, Roman Abramovich, encomendou um estudo da área do entorno do estádio para avaliar a viabilidade de expansão da sua capacidade com base nos princípios da melhoria do acesso local, beneficiando a vizinhança e melhorando o acesso do torcedor ao estádio.

Segundo o diário londrino “The Telegraph” as reformas estão orçadas em € 690 milhões.

Stamford Bridge é o oitavo estádio em capacidade na Inglaterra (foto - site oficial do CFC)

O estádio de Stamford Bridge, no sudoeste de Londres, tem capacidade para 41 mil pessoas (foto – site oficial do CFC)


Agora os trabalhos entram numa fase de consulta à comunidade local em reuniões que ocorrerão entre 30 de Junho e 2 de Julho. O clube deverá mostrar que há a necessidade das obras em função da demanda dos torcedores por mais assentos e pela necessidade de elevar as receitas do estádio para que o clube se mantenha competitivo diante dos principais rivais nacionais e internacionais. Este tipo de novas receitas ganhou importância desde a implantação das regras Fair Play Financeiro que exigem equilíbrio entre as despesas e as receitas dos clubes europeus.

Novo Stamford Bridge

Os estudos indicam que as obras em Stamford Bridge deverão ser realizadas em 3 anos. Neste período o Chelsea deverá usar um outro estádio na capital inglesa, provavelmente, o famoso e mítico Wembley, com capacidade para 90 mil pessoas. Outra alternativa seria o estádio de Twickenham, situado no sudoeste de Londres, utilizado para partidas de rúgby e que é capaz de receber 82 mil torcedores.



MaisRecentes

O Fórum Mundial de ligas nacionais de futebol é contra a expansão da Copa do Mundo



Continue Lendo

Argentinos tem vantagem sobre brasileiros em finais da Libertadores



Continue Lendo

La Liga conta com Amazon e Facebook para negociar TV por € 2.3 bilhões



Continue Lendo