Brasil busca vitória para se aproximar dos líderes das eliminatórias



A Seleção Brasileira chega à quarta rodada das eliminatórias para a Copa de 2018 em condições razoáveis. Uma vitória sobre o Peru, na noite desta terça-feira em Salvador, poderá consolidar uma tendência positiva na sua campanha (7 pontos ganhos) que, dependendo do resultado da partida entre Uruguai e Chile, permitirá até que a Seleção Brasileira ganhe uma posição e conquiste o terceiro lugar na tabela de classificação.

A equipe do Brasil jogará com uma tarja preta de luto e será observado um minuto de silêncio em solidariedade às vítimas das tragédias de Mariana (MG) e de Paris.

 

Neymar costuma ser líder. (foto: Rodrigo Buendia/AFP)

Neymar foi ao dentista 2 vezes em Salvador. (foto: Rodrigo Buendia/AFP)

Ainda que o Peru esteja realizando uma campanha inconfiável (7º lugar com 3 pontos) a vantagem histórica brasileira no confronto deve pesar mais uma vez. O Brasil jamais perdeu para o Peru em partidas em que foi mandante. Na Fonte Nova, a Seleção Brasileira, até hoje, atuou 12 vezes: 7 vitórias e 5 empates, mas é primeira vez em que disputará ali uma partida de eliminatórias para a Copa do Mundo.

Equipes

Dunga faz mistério sobre a escalação brasileira. Ele ainda não revelou quem substituirá o suspenso David Luiz, nem confirmou se Douglas Costa iniciará a partida entre os titulares. Tudo indica, entretanto, que Gil começará na zaga e que o infernal jogador do Bayern de Munique terá vaga no ataque.

Pelo menos desta vez não parece haver dúvida de que o goleiro Alisson e o meia Lucas Lima marcaram pontos no empate com a Argentina e conquistaram seus lugares entre os 11 titulares. Além disto espera-se que a equipe comece a partida de maneira mais focada e tome a iniciativa assim como o fez no segundo tempo contra a Argentina. O time de Dunga precisa transformar o controle do jogo em algo mais consistente já que mesmo tendo atuado mal no primeiro tempo conseguiu ter mais posse de bola que o time argentino. No segundo tempo e, notadamente, a partir da entrada de Douglas Costa a equipe se mostrou mais criativa, se movimentou mais, se aproximou mais da área argentina e se tornou mais perigosa.

Do lado peruano, o jovem atacante Christian Cueva estará de volta o que anima o técnico Ricardo Careca a declarar que o time brasileiro precisa temer a força ofensiva peruana representada por Cueva, Farfán e Guerrero.

A principal preocupação de Careca é com a marcação sobre Neymar que ele pretende que seja adiantada e coletiva. Sua única dúvida parece estar no gol entre Diego Penny e Salomón Libman. A equipe peruana chega a Salvador otimista depois da vitória sobre o Paraguai e, pelo menos em palavras, sonhando com um inédito resultado positivo contra o Brasil.

Paulo Guerrero e Farfán sempre dão trabalho (foto - Juan Mabromata/AFP)

Paulo Guerrero sempre dá trabalho (foto – Juan Mabromata/AFP)

A tendência é de que as equipes comecem a partida com as seguintes formações:

Brasil: Alisson, Dani Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís: Luiz Gustavo, Elias, Willian e Lucas Lima: Douglas Costa e Neymar.

Peru: Diego Penny (Sporting Cristal) ou Salomón Libman (Cesar Vallejo); Luis Advíncula (Bursaspor), Carlos Zambrano (Eintracht Frankfurt), Carlos Ascues (Wolfsburg), Yoshimar Yotún (Sporting Cristal); Renato Tapia (Twente), Carlos Lobatón (Sporting Cristal), Josepmir Ballón (Sporting Cristal) e Christian Cueva (Toluca); Jefferson Farfán ( Al-Jazira) e Paolo Guerrero (Flamengo).

 

 

 

 



  • Jose Roberto

    Meus Deus, vai jogar o Gil mesmo. Uma espécie de Domingos (aquele da Portuguesa) melhorado. Aguenta coração!

MaisRecentes

O Fórum Mundial de ligas nacionais de futebol é contra a expansão da Copa do Mundo



Continue Lendo

Argentinos tem vantagem sobre brasileiros em finais da Libertadores



Continue Lendo

La Liga conta com Amazon e Facebook para negociar TV por € 2.3 bilhões



Continue Lendo