Brasil busca vitória para se aproximar dos líderes das eliminatórias



A Seleção Brasileira chega à quarta rodada das eliminatórias para a Copa de 2018 em condições razoáveis. Uma vitória sobre o Peru, na noite desta terça-feira em Salvador, poderá consolidar uma tendência positiva na sua campanha (7 pontos ganhos) que, dependendo do resultado da partida entre Uruguai e Chile, permitirá até que a Seleção Brasileira ganhe uma posição e conquiste o terceiro lugar na tabela de classificação.

A equipe do Brasil jogará com uma tarja preta de luto e será observado um minuto de silêncio em solidariedade às vítimas das tragédias de Mariana (MG) e de Paris.

 

Neymar costuma ser líder. (foto: Rodrigo Buendia/AFP)

Neymar foi ao dentista 2 vezes em Salvador. (foto: Rodrigo Buendia/AFP)

Ainda que o Peru esteja realizando uma campanha inconfiável (7º lugar com 3 pontos) a vantagem histórica brasileira no confronto deve pesar mais uma vez. O Brasil jamais perdeu para o Peru em partidas em que foi mandante. Na Fonte Nova, a Seleção Brasileira, até hoje, atuou 12 vezes: 7 vitórias e 5 empates, mas é primeira vez em que disputará ali uma partida de eliminatórias para a Copa do Mundo.

Equipes

Dunga faz mistério sobre a escalação brasileira. Ele ainda não revelou quem substituirá o suspenso David Luiz, nem confirmou se Douglas Costa iniciará a partida entre os titulares. Tudo indica, entretanto, que Gil começará na zaga e que o infernal jogador do Bayern de Munique terá vaga no ataque.

Pelo menos desta vez não parece haver dúvida de que o goleiro Alisson e o meia Lucas Lima marcaram pontos no empate com a Argentina e conquistaram seus lugares entre os 11 titulares. Além disto espera-se que a equipe comece a partida de maneira mais focada e tome a iniciativa assim como o fez no segundo tempo contra a Argentina. O time de Dunga precisa transformar o controle do jogo em algo mais consistente já que mesmo tendo atuado mal no primeiro tempo conseguiu ter mais posse de bola que o time argentino. No segundo tempo e, notadamente, a partir da entrada de Douglas Costa a equipe se mostrou mais criativa, se movimentou mais, se aproximou mais da área argentina e se tornou mais perigosa.

Do lado peruano, o jovem atacante Christian Cueva estará de volta o que anima o técnico Ricardo Careca a declarar que o time brasileiro precisa temer a força ofensiva peruana representada por Cueva, Farfán e Guerrero.

A principal preocupação de Careca é com a marcação sobre Neymar que ele pretende que seja adiantada e coletiva. Sua única dúvida parece estar no gol entre Diego Penny e Salomón Libman. A equipe peruana chega a Salvador otimista depois da vitória sobre o Paraguai e, pelo menos em palavras, sonhando com um inédito resultado positivo contra o Brasil.

Paulo Guerrero e Farfán sempre dão trabalho (foto - Juan Mabromata/AFP)

Paulo Guerrero sempre dá trabalho (foto – Juan Mabromata/AFP)

A tendência é de que as equipes comecem a partida com as seguintes formações:

Brasil: Alisson, Dani Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís: Luiz Gustavo, Elias, Willian e Lucas Lima: Douglas Costa e Neymar.

Peru: Diego Penny (Sporting Cristal) ou Salomón Libman (Cesar Vallejo); Luis Advíncula (Bursaspor), Carlos Zambrano (Eintracht Frankfurt), Carlos Ascues (Wolfsburg), Yoshimar Yotún (Sporting Cristal); Renato Tapia (Twente), Carlos Lobatón (Sporting Cristal), Josepmir Ballón (Sporting Cristal) e Christian Cueva (Toluca); Jefferson Farfán ( Al-Jazira) e Paolo Guerrero (Flamengo).

 

 

 

 



  • Jose Roberto

    Meus Deus, vai jogar o Gil mesmo. Uma espécie de Domingos (aquele da Portuguesa) melhorado. Aguenta coração!

MaisRecentes

Presidente do Bayern detona valores especulados numa eventual transferência de Neymar.



Continue Lendo

Os extravagantes valores de uma eventual transferência de Neymar do Barça para o PSG



Continue Lendo

United x City jogarão pela primeira vez o “derby” de Manchester fora do Reino Unido.



Continue Lendo