Barcelona trabalha para anunciar os maiores contratos de patrocínio do futebol



A direção do FC Barcelona se encontra em meio à negociação do futuro com relação aos seus dois principais parceiros comerciais: o patrocinador master (Qatar Airways) e o fornecedor oficial de material esportivo (Nike). A ambição do clube catalão é, com os novos compromissos, passar a dispor dos contratos mais valorizados do futebol internacional.

Naturalmente são tratativas difíceis, demoradas, envolvendo detalhes fundamentais na medida em que se centram no clube atual detentor da tríplice coroa europeia, campeão do Mundial de clubes da FIFA, e que reúne em seu elenco, dentre outros astros, 2 dos 3 melhores jogadores do planeta no último ano: Lionel Messi e Neymar. Além de contar com o melhor técnico do mundo em 2015, Luis Enrique.

A camisa mais badalada do futebol mundial (foto-fcbarcelona.com)

Barça quer ter a camisa mais badalada e valorizada do futebol mundial (foto-fcbarcelona.com)

Da parte do Barcelona as conversas estão sendo conduzidas pelo presidente Josep Maria Bartomeu e pelo vice presidente de comunicação e marketing Manoel Arroyo. Os 2 estão nitidamente trabalhando de modo a que as negociações que se desenrolam de forma simultânea, se fortaleçam mutuamente.

Cabe observar que do ponto de vista da Nike, em termos práticos, o ritmo da negociação com o patrocinador master tem relevância dada a questão operacional de produção do material com a sua marca estampada na quantidade necessária a suprir o mercado mundial. Quanto antes o assunto for resolvido melhor para a fabricação dos produtos de modo a atender a demanda global.

A transação com a Nike parece mais madura, adiantada e deverá ser concluída primeiro. A relação teve início em outubro de 2006, mas o contrato só passou a vigorar em julho de 2008, por cinco anos com a renovação automática por mais cinco, até julho de 2018, definindo a Nike como “patrocinador exclusivo e fornecedor dos produtos orientados para a prática desportiva e também como licenciado para vender produtos de patrocínio que incorporam direitos de propriedade do Barcelona FC”.

O presidente lidera as negociações dos novos contratos (foto - Germán Parga - FCB)

O presidente Bartomeu lidera as negociações dos novos contratos (foto – Germán Parga – FCB)

 

Na temporada 2014/15 o clube catalão recebeu da Nike €33 milhões, acrescidos de €6.6 milhões como bônus em função da conquista da tríplice coroa.

Um fator que deverá determinar a melhoria exponencial do novo compromisso com a Nike está relacionado à opção da própria empresa em relação a outros grandes clubes europeus. Neste momento, 3 dos 4 maiores clubes em faturamento no mundo vestem Adidas: Real Madrid, Bayern de Munique e Manchester United. Portanto, parece inescapável a decisão da Nike de concentrar no Barcelona os recursos e esforços operacionais antes divididos por outros clubes, como o próprio Manchester United e a Juventus de Turim – atual tri-campeã italiana e vice-campeã da Champions League.

A partir deste cenário, há quem afirme que o novo contrato com o Barcelona poderá se aproximar de fantásticos €100 milhões anuais!

Já a negociação com a Qatar Airways, dada como concluída por muita gente meses atrás, parece viver um momento delicado. Os representantes do Barcelona, que sempre tiveram na família que governa o Qatar uma grande amiga, se surpreenderam com a mudança de interlocutores por parte da empresa acontecida recentemente e a interpretaram como protelatória no processo. Até então o entendimento se encaminhava para um novo compromisso por 5 anos e que chegaria a €65 milhões por ano, o que representaria um expressivo aumento na negócio que gerou nos últimos 3 anos €30, €32 e €35 milhões ao clube espanhol.

O sucesso fantástico do Barcelona na última temporada acabou despertando o interesse de novos pretendentes à condição de patrocinador master do clube. Assim, a negociação que se encaminhava para a renovação contratual com a empresa aérea asiática está sendo de alguma maneira repensada pela direção barcelonista que parece convencida de que há alternativa consistente no mercado capaz de substituir a empresa qatari.

Ambas as tratativas devem ser encaradas a partir da estratégia definida pelo presidente Josep Maria Bartomeu de encerrar sua gestão, em 2021, com o clube faturando €1 bilhão por ano, sendo sustentável e referência global em termos esportivo, social, econômico e patrimonial.

 

 

 

 

 

 

 



MaisRecentes

Final da Europa League: Ajax e Manchester United duelam como bom humor no Twitter



Continue Lendo

Os 4 meninos prodígios do futebol mundial



Continue Lendo

A final Juventus x Real Madrid deverá começar com mais brasileiros que espanhóis em campo



Continue Lendo