Barcelona dos 3 tenores vai à final e elimina o Bayern de Pep Guardiola



O Barcelona – devido a mais uma obra magistral de seus 3 tenores – está na final da Champions League 2014/15 do próximo dia 6 de junho em Berlim. Mesmo não tendo vivido uma das suas melhores jornadas, a equipe de Luis Enrique foi capaz de assegurar sua participação numa final inédita da competição continental mais importante que jamais reuniu o Barcelona contra Real Madrid ou Juventus.

A derrota por 3 a 2 para o Bayern de Munique resultou dos gols construídos pelo MS e concluídos pelo N que compõem seu extraordinário tridente ofensivo MSN. Messi iniciou as jogadas e Suárez serviu um mortífero Neymar em ambos os gols. O goleiro Ter Stegen – com defesas fundamentais em momentos decisivos da partida, em especial no primeiro tempo – e o meia Ivan Rakitic foram os outros protagonistas do time catalão.

Neymar já marcou 37 gols na atual temporada, superando por 1 gol o mellhor ano de Eto'o

Neymar já marcou 37 gols na temporada superando por 1 gol o mellhor ano de Eto’o no Barça (foto – site oficial do FCB)

Pelo lado do time alemão, vale destacar, além do espírito coletivo de luta, o meia Thiago Alcântara e os atacantes Müller e Lewandowski por dois gols primorosos, notadamente o do polonês com seu drible espetacular sobre o quase sempre intransponível Mascherano.

O papel de Guardiola no resultado das semifinais

O Bayern de Munique mostrou que, mesmo sem contar com Alaba, Robben e Ribèry nas duas semifinais, tinha condições de sonhar com a vaga na final de Berlim, provando ter um elenco com caráter e espírito de decisão. Em ambos os confrontos, no entanto, o excepcional técnico Pep Guardiola tem uma parcela de responsabilidade nas dificuldades não superadas pela sua equipe:

1- Em Barcelona, não por não ter percebido naquelas circunstâncias o placar de 2 a 0 como assimilável e não ter organizado sua equipe para evitar o terceiro gol barcelonista nos últimos minutos num lance de contra ataque. A derrota por apenas 2 gols de diferença seria encarada de uma maneira inteiramente diversa tendo em vista o jogo de volta na Allianz Arena, local em que a equipe alemã obteve 100% de aproveitamento na competição da qual foi eliminada hoje.

Guardiola: Saímos destas semifinais com a dignidade intacta" (foto - site oficial do FCB)

Guardiola: “Saímos destas semifinais com a dignidade intacta” (foto – site oficial do FCB)

2- E, nesta partida da volta em Munique, por não ter usado todas as armas disponíveis para buscar um resultado difícil mas que se tornou um pouco menos improvável com o andamento do placar. Não tem lógica substituir um jogador como Müller quando sua equipe precisava desesperadamente ampliar o marcador. Como não usar por mais tempo um jogador como Mario Goetze que já foi capaz de marcar um gol que definiu a última Copa do Mundo? Por que, ainda que por alguns poucos minutos, optar por um volante vindo de longa inatividade como Javi Martinez e não por Pizarro, um atacante de ofício e forte nas bolas aéreas, contra uma defesa que mais um vez demonstrou sua vulnerabilidade neste tipo de jogada?

Por fim: será apenas coincidência que os jogadores substituídos hoje tenham sido exatamente 3 dos mais notáveis representantes da temporada gloriosa da tríplice coroa como Lahm, Schwansteiger e Müller?

Futuro do Bayern

As divergências entre membros da comissão técnica ao longo da temporada, as opções de Guardiola durante estas semifinais e a própria eliminação da competição, por certo, esquentarão o debate sobre o futuro imediato do Bayern de Munique. O ambicioso gigante bávaro chega ao final de um período frustrante sendo obrigado a se contentar apenas com o título da Bundesliga quando na verdade almejava, com justos motivos, a conquista de uma nova tríplice coroa.

Rummenigge e Beckenbauer exercem poder de fato no Bayern (foto- site oficial do FCB)

Rummenigge e Beckenbauer exercem poder de fato no Bayern (foto- site oficial do FCB)

Pep Guardiola é um técnico genial e com ele o Bayern já conquistou 2 Bundesliga, 1 Supercopa da Europa, 1 Mundialisto de Clubes e 1 Copa da Alemanha. Mas é inegável que sua vida no clube alemão tem se caracterizado por uma sucessão de atritos e questionamentos que não contribuem para sua integral adaptação a um clube administrado por gente do futebol, que conhece futebol, que nasceu e venceu no Bayern de Munique e que não esconde que gosta de exercer o poder inclusive sobre aspectos do dia a dia do departamento de futebol.

Franz Beckenbauer, Karl-Hanz Rummenigge, e Uli Hoeness sempre deixaram claro para o próprio Guardiola, desde as reuniões que precederam sua contratação durante seu ano sabático em Nova York, que no Bayern de Munique o técnico é importante mas apenas uma peça numa engrenagem maior que é o próprio clube.

Portanto, dificilmente,  treinadores carismáticos e que também não abrem mão de exercer poder como José Mourinho ou Sir Alex Ferguson trabalhariam de forma confortável em Munique. Como esquecer, por exemplo, as várias rusgas entre Louis Van Gaal e a direção do clube durante sua passagem por lá?

Enfim, o contrato de Pep Guardiola vai até o término da temporada 2015/16. Pelo menos é o que está previsto nele.

Um Barcelona que faz história

O Barcelona jogará em Berlim sua oitava final de Champions League, tendo conquistado o título em quatro das sete participações anteriores. Luis Enrique tem a chance de concluir sua primeira temporada como treinador do clube catalão conquistando todas as competições que disputou já que também está a duas rodadas do título da La Liga e na final da Copa do Rei que será disputada no dia 30 de maio contra o Athletic Bilbao no Camp Nou.

mes que un club

A aspiração por uma temporada com 100% de aproveitamento em títulos é algo absolutamente razoável para um time que conta com um trio ofensivo responsável pela autoria de 25 dos 28 gols que assinalou até aqui na atual Champions League.

Este Barcelona de Messi, Suarez e Neymar tem todo o direito de se definir como “més que un club”.



MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo