Banidos do futebol, Blatter e Platini prometem continuar brigando por justiça



O Comitê de Ética da FIFA, presidido pelo advogado alemão Hans-Joachim Eckert, anunciou na manhã desta segunda-feira a suspensão, com efeitos imediatos, de Joseph Blatter, 79 anos, e Michel Platini, 60 anos, por 8 anos do futebol por “conflito de interesses” e “gestão desleal”, devido ao pagamento de €1.8 milhão ao dirigente francês efetuado pela FIFA, em 2011, sob ordem do dirigente suíço , por um trabalho de assessoramento alegadamente realizado entre 1999 e 2001, sem contrato escrito. Segundo o Comitê, eles também “abusaram” dos cargos que ocupavam. O Comitê não os puniu por corrupção.

Joseph Blatter esteve na presidência da FIFA por 17 anos (foto - fifa.com)

Joseph Blatter esteve na presidência da FIFA por 17 anos (foto – fifa.com)

Os 2 dirigentes também foram multados. Platini vai pagar €74.000, e Blatter €46,295. A ambos ainda cabe recurso na esfera esportiva ao Comitê de Apelação da FIFA e, posteriormente, ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte). Por uma questão dos prazos que devem cumprir estes recursos, Michel Platini está definitivamente impedido de participar da eleição para presidente da FIFA, marcada para o dia 26 de fevereiro. O candidato com o apoio da UEFA passa a ser definitivamente o suíço Gianni Infantino.

A decisão surpreendeu Blatter, mas não Platini. O suíço estava convencido de que com seu depoimento da última quinta-feira ele teria esclarecido as questões e que, assim, as acusações poderiam ser retiradas. Sensação equivocada dada à convicção unânime do Comitê de que o pagamento feito a Platini sem sustentação em qualquer tipo de contrato é absolutamente indefensável.

Platini tinha outro tipo de sentimento, tanto que se negou a comparecer ao depoimento que estava marcado para sexta-feira, preferindo se manifestar através de nota oficial denunciando que ele “já tinha sido julgado” e “já tinha sido condenado”.

Candidatura de Platini foi sepultada hoje (foto - Lance!Net)

Candidatura de Platini foi sepultada hoje (foto – Lance!)

Após o anúncio desta manhã, Platini reagiu com indignação: “Isto é uma farsa idealizada por gente que quer me sujar e por instâncias que não tem legitimidade. Paralelamente ao recurso ao TAS estou decidido a recorrer, se necessário, à justiça civil para obter a reparação do prejuízo que sofri durante estas intermináveis semanas. Irei até o final! Tanto nos campos de futebol como nos meus mandatos na UEFA meu comportamento tem sido irrepreensível e me sinto em paz com minha consciência”.

Blatter, como um velho leão ferido, mas indignado, mesmo debilitado em sua saúde e massacrado pela decisão do Comitê de Ética da FIFA – criado ainda durante sua gestão – convocou uma entrevista coletiva 1 hora depois do anúncio de sua punição e se posicionou abertamente sobre o processo de sua condenação, tendo sua filha Corinne o tempo todo a seu lado.

Fica clara sua disposição de seguir lutando para provar sua inocência, inclusive por que ele ainda corre o risco de ser condenado pelo caso que envolve a ISL, ex-agência de marketing esportivo contratada pela FIFA.

Hans-Joachim Eckert preside o Comitê de Ética (foto - fifa.com)

Hans-Joachim Eckert preside o Comitê de Ética (foto – fifa.com)

Blatter parece ignorar o fato inexorável de que tem sua carreira como dirigente de futebol definitivamente comprometida. Ele respondeu as perguntas num tom eloquente, combativo, algo messiânico e, talvez, irônico, variando as respostas em espanhol, francês e inglês como que para demonstrar a universalidade de seu papel na história do futebol:

Perdão:

“Sinto muito. Sinto muito que eu ainda seja o saco de pancada. Sinto muito que como presidente da FIFA eu seja um saco de pancada. Sinto muito pelo futebol. Sinto muito pelos mais de 400 membros da FIFA. Sinto muito. Sinto muito pela maneira que estou sendo tratado neste mundo de qualidades humanitárias”.

Otimista e revoltado?

Você pode me identificar como otimista. Eu e meu advogado imaginamos que eu tinha convencido o Comitê, na presença do Sr Eckert, sobre a situação do pagamento entre o presidente da FIFA e Michel Platini baseado num contrato em vigor que nunca tinha terminado. Nós pensávamos que estávamos corretos. Nós tínhamos um “acordo de cavalheiros”, que tinha sido feito em 98 logo após a Copa do Mundo quando Michel Platini me procurou e disse que gostaria de trabalhar para a FIFA. Ele me disse: “eu sou um homem muito caro”. Eu respondi “ok” mas nós não podemos pagá-lo agora. Vou pagá-lo mais tarde. O que me deixa transtornado é que eles (o Comitê de Ética) nega a existência deste acordo. Na contabilidade da FIFA você tem acordos escritos e verbais. O comitê de finanças e o Comitê Executivo estavam informados. Eu vou lutar por mim e vou lutar pela FIFA. Não se pode acabar 40 anos desta maneira. Por que razão fui suspenso por 8 anos?”

Ele e Platini mentirosos?

“Estão fazendo de mim e de Platini dois mentirosos por apresentarmos a mesma versão. Isto não é verdade. Estou pronto para a luta. Usarei a justiça esportiva para seguir lutando. Irei ao Comitê de Apelação da FIFA, ao TAS e à justiça suíça. Eu sou um cidadão suíço. Pela justiça suíça para você ser suspenso por 8 anos você precisa ter cometido algo muito, muito importante. O pagamento não teve nada a ver com ética, pois foi um procedimento administrativo”.

Questionamento do Comitê de Ética

“Sou um homem de princípios e eles são dois: não aceitar dinheiro que não é meu e pagar sempre as minhas dívidas. Sou o presidente da FIFA e o Comitê de Ética não tem poder para me julgar. Fui traído. Só o Congresso da FIFA tem poder para me julgar”

Escolha das Copas de 2018 e 2022 por trás dos problemas

“Em 2010 nós tínhamos um sonho. Eu disse que nós abriríamos a Copa do Mundo em duas direções. Nós tínhamos a ideia de que em 2018  a Copa deveria ir para um país da Europa que nunca organizou uma Copa. Já havia sido em vários lugares mas nunca na Rússia. Mas ainda era uma questão de voto!  Depois, eu gostaria que o Mundial seguinte fosse celebrado numa outra grande potência mundial, os Estados Unidos. Mas, por razões que não vou explicar aqui, acabou sendo decidido que seria no Qatar. Se os Estados Unidos fossem os escolhidos, eu hoje não estaria aqui”

Corrupção na Conmebol e Concacaf

“Os problemas dos dirigentes presos ligados à Conmebol e da Concacaf tem a ver com a venda dos direitos de TV de competições continentais e da Copa América de 2016. Não tem nada a ver com a FIFA. O presidente da FIFA não pode ser moralmente responsável por isto.”

Relação do Comitê de Ética com os Estados Unidos

“Eu não acho que o Comitê de Ética tenha ligações com os Estados Unidos. Eles não são bons em comunicação. É um questão interna da FIFA. Eu não posso responder exatamente se eles não queriam o Platini como presidente. Eu não sei. Eu jamais com manobrei com dinheiro. Eu não dei dinheiro para ter votos da Europa. Eu já tinha votos da Europa”.

Sua saúde e seu futuro

“Não vou falar da minha saúde, mas preciso agradecer aos médicos, a Deus, ao meu bom coração e aos genes que me permitiram participar desta entrevista hoje. Estou melhorando. Eu vou voltar!

 

Atualizado às 16:04 de  21/12/2015



  • Marcelo Magalhães

    E quando irão banir Del Nero, Marin, Ricardo Teixeira, Fernando Sarney, esse obscuro Heleno que hoje é vice da cbf, os presidentes de federações estaduais…

MaisRecentes

Ranieri, uma história sempre surpreendente no Leicester



Continue Lendo

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo