Atlético de Madrid é um finalista pragmático, mas que poderia encantar também



Atualizado às 00:55h de 04/05/2016

 

O Atlético de Madrid está na final da Champions League 2015/16 mesmo perdendo por 2 a 1 para o Bayern de Munique na Allianz Arena. Esta é a terceira temporada consecutiva – exatamente o período em que é dirigido por Pep Guardiola – que o gigante alemão é batido nas semi finais do torneio por um clube espanhol: em 2014 pelo Real Madrid, em 2015 pelo Barcelona e, agora, pelo Atlético de Madrid.

O primeiro semifinalista da competição é um time impressionante, organizado, com uma consistência defensiva incomparável na atualidade, um meio campo pegador e talentoso e tem um goleiro e um atacante fabulosos.

O Atlético tem tudo para jogar um futebol mais atraente se o técnico Diego Simeone não preferisse um estilo tão pragmático e defensivo. Com o nível de jogadores de meio campo que possui e uma dupla de ataque formada por Griezmann e Torres este Atlético de Madrid poderia perfeitamente sofrer menos e praticar um jogo diferente e mais cativante.

Cada um gosta do futebol a seu modo. Todos tem o direito de optar pelo seu esquema preferido, sua maneira de jogar predileta, mas confesso que não me emociono com uma equipe recheada de tantos ótimos jogadores e um atacante do nível de Griezmann – que está sendo eleito o melhor de seu país na temporada – mas que se classifica numa partida de semifinal com apenas 33 % de posse de bola, quando a equipe adversária chutou 35 bolas em seu gol e seu ataque apenas 7, segundo dados da UEFA.

Griezmann tem 7 gols na Champions (foto - Lucas Barth/AFP)

Griezmann tem 7 gols na Champions (foto – Lucas Barth/AFP)

Além disto, vale lembrar que dos 3 grandes clubes espanhóis o Atlético foi aquele que mais gastou em reforços para atual temporada o que provavelmente implicou em elevação do já alto nível de seu elenco. E isto aconteceu pelo fato do clube, desde o ano passado, ter como sócio investidor o grupo chinês Dailan Wanda. Não por acaso o clube é hoje o 15º clube com maior faturamento na Europa.

Simeone é um grande técnico, um dos mais importantes da atualidade, com méritos extraordinários nesta campanha que já garantiu sua segunda final de Champions em três temporadas. É uma façanha estupenda.

Mas, a meu juízo, algumas de suas armas e escolhas são pouco elogiáveis. Seu comportamento teatral à beira do campo lembra os piores exemplos de alguns dos nossos técnicos de um passado recente. O emprego despudorado do antijogo e da guerra psicológica em campo é parte decisiva da maneira que seu time tem buscado os resultados, com sucesso, é inegável. O comportamento do técnico argentino atingiu tal proporção que o site do insuspeito diário argentino “Olé” colocou no ar no final do dia uma material compilando videos com o título “As loucuras de Simeone”.

Simeone sendo contido por Ribèry dispensa comentários (foto - Guenter Schiffman/AFP)

Simeone sendo contido pelo “equilibrado” Ribèry dispensa comentários (foto – Guenter Schiffman/AFP)

Do ponto de vista do Bayern, sua exibição foi magnífica, como prometeu Pep Guardiola na coletiva após a partida de ida em Madri. O time alemão dominou do princípio ao fim. Tentou chegar ao gol espanhol de todas as formas possíveis e até poderia ter marcado a partir de qualquer uma delas.

A equipe de Guardiola acabou esbarrando na imperícia de seus jogadores nas inúmeras finalizações e na histórica exibição do goleiro esloveno Oblak, o melhor atleta em campo, numa partida com outras grandes atuações como as de Neuer, Alaba, Xabi Alonso, Vidal, Ribèry, Gabi, Koke, Griezmann e Torres em função do passe decisivo que gerou o gol que garantiu a classificação.

Foi um jogo fantástico e, pela segunda vez, o Bayern de Munique é batido numa fase decisiva da Champions League em sua Allianz Arena, perdendo pênalti quando se encontrava em vantagem no marcador como na final da competição da edição 2011/12 contra o Chelsea.

Como admirador do futebol eu adoraria que Simeone se convencesse de que dispõe de um elenco capaz de ser campeão da Champions League sem ser tão defensivo, tão conservador, tão retranqueiro.

Este Atlético de Madrid constituído de jogadores titulares em algumas das melhores seleções do mundo tem tudo para vencer e dar espetáculo.

 

 

 

 

 

 

 

 



  • Oliveira

    Discordo totalmente, o Simeone sabe trabalhar com as armas que tem, e sabe que não tem como com esse elenco bater de frente com Bayern, Real e Barcelona tentando jogar de igual pra igual, contra as demais equipes o Atletico de Madri até se solta mais, mas sempre com a consistência defensiva que é caracteristica, é um time que sabe se defender, mas sabe jogar tambem e é eficiente, é um futebol bonito de se ver a sua maneira tambem.

  • Rafael Ribeiro

    Luis discordo totalmente de vc! Venceu a equipe q pode não ter as melhores estreals do mundo individualmente mas mostra que futebol é coletivo! Ex: Barcelonismo, onde o time tem vários jogadores de ponta por posição, fora o tão badalado trio MSN que esbarrou em quem? O conjunto do time do At. de Madri. Futebol é conjunto e não individual! Bayern não tem do que reclamar afinal senão fosse o Allegri medroso fechar o time da Juventus com 20 min do segundo tempo eles que teriam passado a fase das semi. Saudações!

MaisRecentes

Os extravagantes valores de uma eventual transferência de Neymar do Barça para o PSG



Continue Lendo

United x City jogarão pela primeira vez o “derby” de Manchester fora do Reino Unido.



Continue Lendo

Raios X do empréstimo de James Rodriguez do Real Madrid para o Bayern de Munique



Continue Lendo