Argentina e Brasil: um clássico eternamente imprevisível



O clássico Argentina x Brasil será sempre um dos jogos mais importantes e seguidos do futebol internacional. A rivalidade explica apenas parte da expectativa que ele gera. Antes, entretanto, está o fato de que reúne, sempre, uma quantidade incomum de jogadores técnicos, habilidosos, criativos e alguns, verdadeiramente extraordinários. Dos dois lados.

Pena que no confronto desta noite (1) não teremos o duelo entre Lionel Messi e Neymar. A disputa entre o M e o N do tridente fabuloso do Barcelona, o primeiro após a conquista da tríplice coroa europeia do clube catalão, entraria para a história das partidas mais aguardadas de todos os tempos. O reencontro entre eles, mas trajando o mesmo uniforme, poderá ocorrer no próximo dia 21, no estádio Santiago Bernabéu, no clássico Real Madrid e Barcelona pela La Liga.

Neymar estreia nas eliminatórias (foto - Fifa.com)

Neymar estreia nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 (foto – Fifa.com)

Os 22 jogadores que começarão a partida no Monumental de Nunez representam uma síntese de boa parte dos melhores jogadores do mundo, espalhados pelos clubes que costumam protagonizar as principais competições do futebol internacional.

A Argentina não contará com Messi, Aguero, Zabaletta e Tevez diante de um Brasil composto praticamente com todos os jogadores que o técnico Dunga poderia contar. Isto muda alguma coisa? Nada. Com ou sem Messi, com ou sem Aguero e Tevez, a seleção argentina será a adversária de sempre, jogará com a energia e a exuberância técnica que tanto empolgam os amantes do futebol. Se o Barcelona segue se impondo sem Messi, por que a Argentina não pode fazer o mesmo? Vamos torcer para que a resposta seja simples e a nosso favor: por que Tata Martino não pode escalar Neymar com a camisa azul e branca com o número 11 .

Sim, por que o craque brasileiro não para de quebrar paradigmas, de ultrapassar recordes e se aproximar da hora de ser encarado como o melhor jogador do mundo. Com 23 anos, ele já tem números superiores aos de Messi e Cristiano Ronaldo. Mas, em relação a Pelé? Em 1963, pela Seleção Brasileira, aos 23 anos, Pelé havia assinalado 47 gols em 44 jogos – média de 1.06 gol por partida. Com a mesma idade, porém, com um número de jogos maior de jogos, Neymar poderá alcançar Pelé nas próximas duas partidas das eliminatórias, contra a Argentina, hoje, às 22h, em Buenos Aires, e diante do Peru, na próxima terça, em Salvador, se marcar mais duas vezes. Atualmente, o N do Barcelona tem 46 gols.pele2375

Na verdade, convenhamos, este equilíbrio entre as duas mais vitoriosas seleções sul-americanas, se verificou somente após o surgimento de um certo atleta genial apelidado de Pelé pelo lado brasileiro. Até então, os argentinos nos venciam mais e conquistavam mais títulos. Não por acaso, a Argentinam ainda hoje, tem 14 títulos da Copa América contra 7 conquistados pelo Brasil.

Ambas as seleções estão pressionadas neste momento. A anfitriã, em função do início frustrante nas eliminatórias em que somou apenas 1 ponto em 6 disputados e a incomum e desconfortável 7ª colocação na tabela de classificação, entra em campo com a necessidade vital de vencer seu maior rival, mesmo desfalcada de alguns de seus astros e jogadores experientes. Mas, terá Mascherano, Di Maria e Higuaín, vale lembrar.

 

Angel Di Maria pode ser o Messi nesta noite? (foto - Conmebol.com)

Angel Di Maria pode “ser” o Messi nesta noite? (foto – Conmebol.com)

Pelo lado brasileiro, o jogo é malucamente perverso para o técnico Dunga, cujo time se encontra na 5ª colocação na competição com 3 pontos ganhos. Se vencer, seus críticos, com a irracionalidade e contundência habituais, creditarão o triunfo à volta de Neymar e às ausências dos craques argentinos. Se perder, voltará ao Brasil para a partida contra o Peru ainda mais pressionado do que quando partiu para o jogo contra a Venezuela em Fortaleza, após a derrota para o Chile na estreia da competição.

Argentina e Brasil não se enfrentam há exato 1 ano e 1 mês e deverão começar a partida com as seguintes formações:

 

ARGENTINA afa

Romero – 28 anos – Manchester United
Roncaglia – 28 anos – Fiorentina
Otamendi – 27 anos – Manchester City
Funes Mori – 24 anos – Everton
Rojo –  25 anos –  Manchester United
Mascherano – 31 anos – Barcelona
Biglia – 29 anos – Lazio
Banega – 27 anos – Sevilla
Di Maria – 27 anos – PSG
Higuaín – 27 anos – Napoli
Lavezzi – 30 anos – PSG

BRASIL CBF_logo256_zps02e85575

Alisson – 23 anos – Internacional
Dani Alves – 32 anos – Barcelona
Miranda – 31 anos – Inter de Milão
David Luiz – 28 anos – PSG
Filipe Luiz – 30 anos – Atlético de Madrid
Luiz Gustavo – 28 anos – Wolfsburg
Elias – 30 anos – Corinthians
Lucas Lima – 25 anos – Santos
William – 27 anos – Chelsea
Neymar – 25 anos – Barcelona
Ricardo Oliveira – 35 anos  – Santos

Atualizado às 21:35h de 12/11/2015

(1) – A partida foi adiada para a noite desta sexta-feira (12/12/2015) em função das fortes chuvas que alagaram o gramado do Monumental de Nunez e dificultou a ida dos torcedores para o estádio.



MaisRecentes

Neymar quebra recordes e encanta Paris



Continue Lendo

Jornais esportivos espanhóis de luto pelos atentados terroristas na Catalunha



Continue Lendo

Barcelona se revolta com matéria que vincula contratação de Paulinho aos interesses da empresa do presidente Bartomeu.



Continue Lendo