Apesar das vitórias Mourinho tem embate crescente com torcedores do Manchester United



José Mourinho parece incapaz de viver sem eletrificar o ambiente do clube em que trabalha. Pois o clima que começa a esquentar no Manchester United não é nem um pouco diferente daqueles que experimentou em suas experiências profissionais mais recentes.

Mesmo ocupando a vice liderança da Premier League e  sendo o líder absoluto de seu grupo na Champions League com 100% de aproveitamento, posição confirmada pela vitória por 2 a 0 nesta terça-feira sobre o Benfica, Mourinho não vem se importando em desafiar parte dos torcedores que comparece a Old Trafford e setores da mídia que cobre o dia do clube.

Irritado pelas manifestações de descontentamento de torcedores em relação ao atacante belga Romelu Lukaku ao longo  da partida contra o Tottenham no último fim de semana, o português aproveitou o programa de apresentação da partida contra o Benfica que seria distribuído entre os torcedores em Old Trafford para se manifestar: “espero que a gente consiga avançar na direção da próxima fase da Champions. Desejo que vocês se divirtam com o jogo mais do alguns de vocês o fizeram contra o Tottenham. Foi um jogo extremamente duro entre dois grande times, mas eu acho que conseguimos o que merecíamos com nossos esforços. Eles deram tudo e, mesmo se não tivessem ganho, eu teria ficado orgulhoso deles”.

Mourinho parece desconfortável em Manchester (foto – manutd.com)

Mourinho também se valeu da conferência de imprensa na véspera do jogo contra o clube português para a voltar a criticar as cobranças de setores da torcida: “torcedores são os torcedores. Eles pagam pelos ingressos e são livres para se expressar da maneira que quiserem. Mas o meu trabalho é, quando eu sinto que eles merecem, proteger meus jogadores e acho que Romelu é um dos jogadores que deve ser intocável em termos de respeito por parte de qualquer um. Não é uma bola que bateu na trave ou outra salva pelo goleiro adversário que pode fazer a contribuição de Romelu não ser reconhecida. Ele está jogando extremamente bem para nós e, sim, eu tenho que proteger meus jogadores quando penso que eles merecem isso”.

O problema de Lukaku, no entanto, para muitos analistas tem a ver com a maneira com que Mourinho tem organizado a equipe que tem isolado o belga numa posição avançada. E o português não concorda com este diagnóstico.

Este blog não deixou de registrar a impropriedade da entrevista que José Mourinho concedeu semanas através ao canal de TV francês na qual fez elogios rasgados ao PSG e vaticinou que não se via encerrando a carreira no Manchester United. Ainda que seja conhecido pelo caráter competitivo e quase ríspido de lidar com os problemas no futebol Mourinho dá a impressão de não viver com paz de espírito em Manchester.

Na coletiva de imprensa após a quarta vitória consecutiva na Champions League foi a chance para Mourinho alfinetar a mídia que acompanha seu trabalho quando convidado a comentar a performance de sua equipe: “é melhor deixar os especialistas comentarem do que eu dar minha opinião. Sou pago para fazer o meu trabalho o que faço diariamente. Os especialistas são pagos para comentar o meu trabalho. Deixa eles fazerem isto. Estou mais do que satisfeito. Trocamos vários jogadores, quebramos na dinâmica natural do time e jogamos com um menino da divisão de base”.

Lukaku vive jejum de 6 jogos sem marcar (foto – manutd.com)

A crescente incompatibilidade de Mourinho com parte da torcida e da alguns jornalistas também pode ter a ver com o tipo pragmático de futebol que ele vem aplicando em seus últimos trabalhos. “Estacionar o ônibus” na frente de sua própria meta com as cores, a camisa e o símbolo do Manchester United para vencer uma partida a qualquer custo não vai passar imaculado para uma torcida afeiçoada a equipes que sempre entraram em campo para derrotar os adversários e dar espetáculo.

Cada torcedor do Manchester United quando comparece a Old Trafford age como um dos milhares de atores que se exibem naquele ambiente que foi definido por Sir Bobby Charlton como o “Teatro dos Sonhos”. Naquele palco as grandes glórias tem sido alcançadas com equipes audaciosas, ofensivas, ambiciosas, envolventes e que entraram em campo sempre determinadas a conquistar vitórias e dar prazer aos seus torcedores.

Não por acaso Paul Scholes, representante legítimo de umas gerações mais vitoriosas e representativas deste jeito de jogar futebol do United, definiu de maneira resignada a perspectiva do clube no futuro próximo em seu comentário na TV ao final da partida contra o Benfica: “parece que optaram por um técnico para finalmente ganhar a liga que não conseguimos nas últimas temporadas. Todos gostaríamos de ver um futebol brilhante, ofensivo – sempre no ataque – mas não acho que essa equipe seja capaz disso. Essa não é a maneira de jogar futebol deste técnico. Ele é, antes e acima de tudo, um treinador defensivo. Ele quer um plano de jogo que pare a outra equipe e depois ganhe os jogos. Ele está fazendo isso”.

De qualquer forma Scholes acredita que o retorno de Paulo Pogba pode ajudar a mudar as coisas: “acredito que se Pogba retornar ele fará a diferença no modo de jogar deste time. Ele articula os setores da equipe que não tem um bom camisa 10 no momento. Lukaku está sofrendo com isto.”

A frustração de Mourinho com parte de Old Trafford deve ter se aprofundado diante do fato de que muitos torcedores do United começaram a deixar o estádio bem antes do apito final do árbitro nesta partida contra o Benfica.

A realidade é que futebol exibido pela equipe de Mourinho até vem somando pontos e bons resultados mas está longe de conquistar a alma e o coração da torcida do Manchester United.

 

 

 

 



MaisRecentes

Há 70 anos o Real Madrid inaugurava o estádio Santiago Bernabéu



Continue Lendo

Quais foram os 11 melhores jogadores das 5 principais ligas europeias no último semestre?



Continue Lendo

Guardiola vence o derby e celebra campanha com vitórias em Stamford Bridge e Old Trafford



Continue Lendo