Andrea Pirlo: chega ao fim a carreira de um verdadeiro maestro dos campos de futebol



Atualizado às 21:45h de 06/11/2017

 

Andrea Pirlo se despediu do futebol profissional. Sai de cena um dos jogadores mais espetaculares e cerebrais dos últimos anos. Um autêntico “regista”, isto é, um autêntico diretor de futebol em campo, que conduziu e liderou o meio campo dos times em que jogou. O futebol de Pirlo era autoral. Tinha sentido, inteligência. Ele foi sempre o “Maestro” dos gramados por onde pisou.

Este post é uma humilde reverência a este magistral jogador de futebol nascido na comuna de Flero, província de Brescia, região da Lombardia, no norte da Itália, no dia 19 de maio de 1979.

Pirlo atuou 116 vezes pela seleção italiana (foto -mlssoccer.com)

Como definiu o diário italiano La Gazzetta dello Sport, “Pirlo venceu tudo e convenceu todos”. Que mais dizer sobre a carreira de um jogador profissional que começou cedo, aos 16 anos, no Brescia? Em seguida ele jogou na Inter, Reggina, voltou ao Brescia, Milan, Juventus até o New York City FC. Sua história na Azzurra também foi longa, desde a seleção Sub-15. Foram 24 temporadas como jogador profissional: 21 na Itália e 3 nos EUA.

Pirlo desfilava em campo. Elegante, sóbrio, inteligente, visionário, dono do seu tempo e do da bola. Marcelo Lippi, seu técnico na Juventus e na seleção italiana, um dia o definiu como “um líder silencioso. Fala com os pés”.

Carlo Ancelotti deve ter sido seu treinador mais fundamental, pois descobriu seu lugar no campo, recuando-o para primeiro volante de onde conseguia ler o jogo como dos maiores meio campistas que o futebol moderno produziu. Pirlo e Ancelotti trabalharam juntos por 8 temporadas das 10 que o “Maestro” passou no Milan. Nesta nova posição Pirlo se transformou num jogador diferente, estratégico, que se consagrava nos gramados com técnica e elegância. Um dos mais exímios cobradores de falta da história do futebol de seu país.

Conte o treinou na Juventus e mereceu do craque o comentário definitivo: “o mais meticuloso no trabalho de explicar o jogo”.

Pirlo foi vencedor por onde passou. No Milan foi campeão italiano duas vezes, uma vez da Copa Itália, uma vez Supercopa da Itália, duas vezes da Champions League e duas vezes da Supercopa da UEFA.

Pirlo e Buffon duas lendas italianas campeãs do mundo (foto – juventus.com)

Sua passagem pela Juventus também foi bastante vitoriosa. Na “Velha Signora” conquistou 3 campeonatos italianos, duas Supercopas italianas e uma Copa Itália.

Sua extensa trajetória pela seleção italiana foi recheada de sucessos. É recordista em participações pela Seleção Sub-21 com 37 partidas e 15 gols. Marcou pelo menos 1 gol nas 3 competições mais importantes do futebol para um jogador europeu: na Euro, na Copa das Confederações e na Copa do Mundo.

Disputou 3 Copas do Mundo, conquistando a de 2006, na Alemanha.

Andrea Pirlo ainda não sabe se tentará se transformar em técnico de futebol. Segundo ele, “para isto a faísca precisa estar acesa. A minha ainda não acendeu”. O que ele tem certeza de imediato é que curtirá a família e manterá a forma jogando golfe e tênis.

Patrick Vieira, ex-meio campista como Pirlo e seu técnico no New York City FC, não poderia ser mais enfático ao comentar sua importância: “ele mudou a posição do meio campista defensivo. Antes, este papel se reduzia a apenas marcar e recuperar a bola, mas agora você tem que ser um criador de jogadas, você tem que ser tão bom quanto o seu nº 10 com a bola. Ele melhorou essa posição com a qualidade com que ele controlava a bola e a maneira como seu cérebro trabalhava no campo. Ele tornou a posição ainda mais difícil para os próximos jogadores que querem desempenhar esse papel”.

Vieira e Pirlo juntos no New York City FC (foto – nycfc.com)

A FIFA registou a despedida de Pirlo com um tweet invejável: “clássico, elegante e eterno campeão do mundo. Sentiremos falta do seu talento no gramado, Pirlo! Feliz aposentadoria!”

Zinedine Zidane usou sua conta no Instagram para endereçar breves, mas consagradoras palavras para o craque: “muito obrigado, diretor!” Ambos usaram a camisa 21 da Juventus.

Pirlo se despediu através de uma mensagem exibida nas suas redes sociais:

 

Última partida pela MLSJá que meu meu tempo no New York FC chega ao fim, gostaria de dizer algumas palavras. Quero agradecer a todos pela generosidade e apoio que me dedicaram nesta incrível cidade. Obrigado aos incríveis torcedores, obrigado à equipe de treinadores e a todos os que trabalham na retaguarda. Obrigado aos meus colegas de equipe. Não só a minha aventura em Nova York chega ao fim, mas também a minha carreira de jogador de futebol. É por isso que gostaria de aproveitar a oportunidade para agradecer a minha família e aos meus filhos o apoio e o amor que sempre me deram, a todas as equipes em que Eu tive a honra de jogar, a todos os companheiros dos clubes com quem eu tive a felicidade por jogar ao lado, a todas as pessoas que fizeram minha carreira tão incrível e, por último, mas não menos importante, a todos os fãs do mundo que sempre me apoiaram. Vocês sempre estarão do meu lado e do meu coração.”

 



MaisRecentes

O Fórum Mundial de ligas nacionais de futebol é contra a expansão da Copa do Mundo



Continue Lendo

Argentinos tem vantagem sobre brasileiros em finais da Libertadores



Continue Lendo

La Liga conta com Amazon e Facebook para negociar TV por € 2.3 bilhões



Continue Lendo