Ajax responde mensagem antissemita dos hooligans do Feyenoord na internet com goleada



A bestialidade dos hooligans no futebol não tem limites e, por vezes, recebe como revide o revés esportivo acachapante, desmoralizador. A goleada por 4 a 1 que o Ajax impôs ao Feyenoord, neste domingo, no estádio De Kuip, em Roterdã, pode ser compreendida nestes termos. O destaque individual da partida foi o jovem brasileiro David Neres com assistências para 3 gols do clube de Amsterdã.

A jornalista Isabel Ferrer denunciou, através de reportagem na última sexta-feira no site do diário espanhol El País, que hooligans do Feyenoord usaram uma conta no Instagram para veicular uma foto de dois meninos judeus com a estrela de David fixada em suas roupas. A foto foi compartilhada no Twitter acompanhada da hashtag: # anti020week. Os números se referem ao prefixo telefônico de Amsterdã. A foto tinha como legenda a frase: “Quando o 020 só teve uma estrela”, relacionando a estrela de David com a qual os nazistas identificavam os judeus com as estrelas que os clubes holandeses ostentam em seus uniformes a cada 10 títulos nacionais conquistados.

Mensagem veiculada no Instagram (foto - elpais.es)

Mensagem veiculada no Instagram (foto – elpais.es)

O Ajax sempre foi identificado com a população judaica dado o fato de que pelo menos 80 mil judeus residiam em Amsterdã antes da Segunda Guerra Mundial. A cidade chegou a ser conhecida como a “Jerusalém do Ocidente” antes que quase 80% de seus membros fossem dizimados durante o Holocausto pelos nazistas e colaboracionistas holandeses. Os jogos eram disputados no estádio De Meer¹, que se situava na região leste da cidade, onde vivia grande contingente da comunidade judaica o que a aproximou do clube.

Já nos anos 80, o clube sofreu frequentes insultos antissemitas nos estádios. Mais recentemente os torcedores do Ajax passaram a gritar, eles próprios, “judeus!, judeus!” para incentivar a equipe em campo. Na contrapartida, quando enfrentam o Feyenoord, quase sempre, são recebidos pelo refrão ofensivo e antissemita de “Hamas, Hamas, os judeus para a câmara de gás”.

A mensagem veiculada nas redes sociais ilustrada pela foto das crianças judias foi repudiada pela direção do Feyenoord que reiterou sua distância deste tipo de comportamento:

-Estamos mobilizados na luta contra o antisemitismo o tempo todo e apoiamos vários projetos como o da Fundação Anne Frank². Nós não consideramos (os autores da mensagem das crianças) como nossos torcedores dada a covardia. Além disto contamos com gente de ascendência judaica tanto entre os torcedores quanto entre os funcionários do clube.

A violência da mensagem veiculada no Instagram foi ainda mais contundente pelo fato de que a foto utilizada pelos hooligans do Feyenoord não é fruto de uma montagem. Nela está a imagem dos irmãos Avram e Emanuel Rosenthal, de 5 e 2 anos, que acabaram assassinados pelos nazistas em 1944 no campo de concentração de Majdanek, que se localizava a 4km da cidade de Lubnek na Polônia.

O De Kuip, em Roterdã, tem capacidade para 51 mil torcedores

O De Kuip, em Roterdã, tem capacidade para 51 mil torcedores

O antagonismo entre os torcedores dos dois clubes tem obrigado as autoridades tanto de Amsterdã quanto de Roterdã a vetar a realização do clássico com a presença da torcida do time visitante.

Um fator adicional à rivalidade entre Ajax e Feyenoord tem a ver com a forma como as cidades são identificadas e vêem a si mesmas. Amsterdã, a cidade mais populosa da Holanda, é mundialmente conhecida por sua vocação turística e cultural e pela qualidade de vida de sua população. Por seu turno, Roterdã se orgulha da condição de maior cidade portuária da Europa e do compromisso de sua população com o trabalho. A cidade precisou ser reconstruída depois de devastada durante a Segunda Guerra Mundial e hoje é uma das mais urbanizadas e modernas da Europa.

Outro clube da Eredivisie (primeira divisão holandesa) cujos torcedores costumam entoar músicas e coros antisemitas nas partidas contra o Ajax é o FC Utrecht, da cidade com o mesmo nome situada no centro do país. Um dos gritos ofensivos preferidos de seus torcedores é o “e quem não pula é judeu!”.

Situação análoga a do Ajax ocorre na Inglaterra com os torcedores do Tottenham – clube do norte de Londres, que sempre teve muito apoio da comunidade judaica – e que normalmente são recepcionados com gritos antisemitas nas partidas contra os rivais londrinos Chelsea e o West Ham.

 

 

¹O estádio De Meers recebeu os jogos do Ajax no campeonato holandês entre 1934 e 1996. Os jogos pelas competições europeias eram disputados no Estádio Olímpico de Amsterdã. Em 1996 o De Meers foi demolido e cedeu lugar a empreendimentos imobiliários.

² A Fundação Anne Frank foi fundada em 3 de maio de 1957 para evitar a destruição da casa em Amsterdam, na qual a menina Anne Frank se escondeu a partir de 1942, ao longo da ocupação alemã da Holanda durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1960, a Casa de Anne Frank foi transformada num museu. É um dos pontos mais visitados pelos turistas em Amsterdã.



MaisRecentes

FIFA ameaça a Espanha de exclusão da Copa do Mundo da Rússia em 2018



Continue Lendo

Há 70 anos o Real Madrid inaugurava o estádio Santiago Bernabéu



Continue Lendo

Quais foram os 11 melhores jogadores das 5 principais ligas europeias no último semestre?



Continue Lendo