Atlético tem classificação dramática. City avança com tranquilidade



Atlético de Madri e PSV conseguiram algo quase impossível: jogaram futebol por 210 minutos de maneira emocionante, intensa, se revelaram incapazes de marcar um único gol e ainda assim não decepcionaram quem acompanhou todo este tempo de futebol bem jogado, mas improdutivo em termos da essência deste esporte. A prova da emoção com que a partida desta terça-feira foi disputada no estádio Vicente Calderón está no fato de que ela foi o programa de TV mais assistido em todo este ano na Espanha, segundo números publicados pelo diário espanhol El País, chegando a ter uma audiência de 7.6 milhões de pessoas no momento da cobrança das penalidades.

Juanfran, o herói improvável da classificação no Calderón (foto - Lance!)

Juanfran, o herói improvável da classificação no Calderón (foto – Lance!)

Como muitas vezes acontece no futebol, as equipes atuaram melhor fora de casa nesta disputa de oitavas de final. Em Eindhoven, o Atlético dominou a partida, foi para cima e criou mais chances de gol, contra um organizado, aguerrido, mas pouco perigoso PSV que acabou a partida acuado, com um jogador expulso. Já em Madrid, a equipe holandesa se comportou de outra maneira, insólita, muito mais corajosa e ambiciosa, recusando o papel de sparring que se esperava que ela cumprisse. A equipe de Phillip Cocu optou por uma linha defensiva de 5 jogadores, compactou seu meio campo e, de posse da bola, partiu para dentro da equipe espanhola, adotando um comportamento bem mais autêntico da escola holandesa de jogar futebol.

Ambas as equipes criaram chances, se valeram das 3 substituições para se revitalizar e buscar soluções e poderiam ter vencido a partida com a bola rolando. O equilíbrio e a indefinição do confronto só se resolveu na oitava cobrança do time  holandês desperdiçada pelo atacante Narsingh, seguida da perfeita execução do chute do veterano Juanfran, o herói improvável da noite em Madri, consagrando o 8-7 definitivo.

 

Manchester City avança e faz história

Na Inglaterra, o Manchester City fez história ao garantir, pela primeira vez, sua presença na fase de quartas de final da Champions League ao empatar também por 0 a 0 com o Dínamo de Kiev, se valendo da consistente vantagem obtida na partida de ida em Kiev com a vitória de 3 a 1. A jornada inglesa incluiu a preocupante 14ª contusão de seu zagueiro belga Vincent Company desde que chegou ao clube. O defensor deixou o gramado aos 7 minutos da primeira etapa.

O milionário clube inglês, portanto, mantem acesa na Europa a esperança da conquista de mais um título na última temporada do técnico Manuel Pellegrini à frente da equipe, já que na Premier League os 12 pontos de diferença para o líder Leicester desencorajam qualquer expectativa de conquista, que não a de uma vaga na própria Champions League 2016/17.

 

 



MaisRecentes

Há 50 anos, o “Bola de Ouro” húngaro Albert vestia a camisa 9 do Flamengo



Continue Lendo

FIFA revoltada com ausência de Messi na festa do “The Best”



Continue Lendo

Última chamada na Champions League: 7 clubes disputam 4 vagas.



Continue Lendo