Um driblador e um autêntico ponta – Batemos um papo com o ex-jogador Mauricinho



FOTO: Mauricinho com as feras do Vasco da Gama

FOTO: Mauricinho com as feras do Vasco da Gama

“No Vasco, eu tive a oportunidade de jogar com grandes craques. A minha primeira passagem pelo Vasco, foi maravilhosa…”

FOTO: Mauricinho campeão pelo Vasco da Gama

FOTO: Mauricinho campeão pelo Vasco da Gama

Ele foi um dos últimos autênticos pontas do futebol brasileiro. Rápido, driblador e bom cruzador. Batemos um papo com Maurício Poggi Villela, o Mauricinho, ponta-direita que se destacou no Vasco da Gama nos anos 80 e 90.

Nascido no dia 29 de dezembro de 1964, o baixinho Mauricinho começou a carreira no Comercial de Ribeirão de Preto. Quando teve a chance de ser convocado para o Mundial Sub-20 de 1983, conquistando o título.

Blog – Quem é hoje o ex-jogador Mauricinho?

FOTO: ex-jogador Mauricinho está no Papo com Boleiro

FOTO: ex-jogador Mauricinho está no Papo com Boleiro

Boleiro – “Hoje, o ex-jogador Mauricinho é uma pessoa que conseguiu realizar o seu sonho como profissional. Realizei um sonho de criança, no início o meu pai, era contra eu ser um jogador de futebol… Desde menino eu falava para ele que esse era o meu sonho e, graças a Deus com méritos e com conquistas, eu consegui ser um jogador de futebol”.

Com uma carreira vitoriosa, o ex-jogador Mauricinho fala um pouco mais sobre a sua carreira;

Blog – Em 1982, você é revelado pelo Comercial e logo é convocado para disputar o Mundial Sub-20. Como foi o início da sua carreira?

FOTO: Mauricinho na seleção brasileira sub-20

FOTO: Mauricinho na seleção brasileira sub-20

Boleiro – “Foi muito cedo. Eu joguei o meu primeiro jogo como profissional aos 16 anos de idade. Desde a minha estreia, eu não regressei mais para o juvenil, dali em diante, passei a ser titular no Comercial de Ribeirão Preto-SP… No ano seguinte, fui convocado para a seleção paulista e, logo em seguida, para a seleção brasileira, onde conquistamos o sul-americano e o mundial sub-20. Quando volto ao Brasil após a disputa do mundial, assino com o Vasco”.

Blog – Após a conquista do mundial sub-20, você assina com o Vasco e, fez parte da geração de Geovani e Romário e, ajudou a equipe cruzmaltina a se sagrar campeã carioca nos anos de 1987 e 1988. Como foi essa que seria a sua primeira passagem pelo time cruzmaltino?

FOTO: Mauricinho com as feras do Vasco da Gama

FOTO: Mauricinho com: R. Dinamite, Romário, Geovanne e Tita

Boleiro – “No Vasco, eu tive a oportunidade de jogar com grandes craques. A minha primeira passagem pelo Vasco, foi maravilhosa… Na época em que cheguei ao Vasco, eu era o juvenil mais bem pago daquela época. Foi a transação mais cara do país (de um juvenil para o profissional)cheguei a recusar uma proposta da Itália para assinar com o Vasco… Perdemos um campeonato brasileiro para o Fluminense com um gol do Romerito, mas logo em seguida, conquistamos o bicampeonato estadual… Foi maravilhoso jogar ao lado de grandes craques como: Geovane, Dinamite e Romário”.

Blog – No ano seguinte, você recebe uma entrada dura de um marcador do Fluminense e ficou um bom tempo parado. Logo que voltou aos gramados, você acerta a sua ida ao Palmeiras, mas no alviverde, não foi tão bem. Apesar de participar da equipe que chegou à semifinal do Paulistão de 1989, disputou somente 13 partidas. Como foi a sua passagem pelo Palmeiras?

FOTO: Mauricinho no Palmeiras

FOTO: Mauricinho no Palmeiras

Boleiro – “Após aquela ‘agressão’ praticada pelo Jandir, eu fui fazer o meu tratamento em Campinas-SP com o Nivaldo Ubaldo (um dos melhores fisioterapeutas da época). Nesse período o Vasco fez uma excursão na Espanha… O presidente do Loletano-POR, havia ido me ver jogar, para sondar sobre a minha recuperação. O Vasco ganhou o Ramon de Carranza em cima do Atlético de Madrid e eu me transferi para o time português. Fiquei quatro meses, fiz 20 gols, em seguida me transferi para o Palmeiras… No Palmeiras, fiz mais de dez jogos, ficamos 24 jogos invictos, perdemos apenas para o Bragantino. O time do Palmeiras tinha: Veloso, Edson Bobrão, Toninho Cecílio, Dário Pereira, Dida, Gerson Caçapa, Edu Manga, Eu, Gaúcho, Neto e Dorival Jr., então tínhamos um time forte… O Palmeiras fez uma excursão para a Espanha (igual ao Vasco) e me transfiro para o Espanhol em Barcelona-ESp.”.

Blog – Sem espaço no time paulista, você deixa o Verdão para passar rapidamente pelo Espanhol-ESP. Você encontrou alguma dificuldade de adaptação no futebol espanhol?

FOTO: Mauricinho no Espanhol-ESP

FOTO: Mauricinho no Espanhol-ESP

Boleiro – “Dificuldade alguma, pelo contrário, eu vivia em Barcelona, uma Cidade maravilhosa… Um bom contrato, três anos de duração. Recebi o convite do Dr. Eurico Miranda para voltar ao Vasco e aceitei na hora, porque eu ainda tinha algo a mais para dar ao Vasco”.

Blog – Em 1991, você regressa ao Vasco, mas ficou pouco tempo na equipe de São Januário. Deixou a equipe carioca para defender o Bragantino, onde ficou até o final de 1993. O que te levou a trocar o Vasco pelo Bragantino?

FOTO: Mauricinho em sua segunda passagem pelo Vasco da Gama

FOTO: Mauricinho no Vasco da Gama

Boleiro – “Para falar a verdade, eu não trocaria o Vasco por clube algum… Eu convivia com fortes dores no púbis. Acabava o primeiro tempo dos jogos e eu vivia a base de anti-inflamatórios injetáveis (eu não aguentava de dor)… Comecei a tratar e, até rádio terapia eu havia feito… O Dr. Eurico havia me dito para eu me cuidar e, só regressasse ao Vasco quando estivesse 100%… Em Bragança, eu conheci o Dr. Rozan (hoje ele é o fisioterapeuta da seleção brasileira) através da indicação de um amigo… Fui para Bragança para cuidar do púbis e a maneira que eu encontrei em retribuir o favor foi assinar um contrato com o Bragantino. Fiquei na equipe paulista no período de um ano e meio e não me arrependo”.

Blog – Antes de você encerrar a sua carreira, você mais uma vez regressa ao Vasco e conquista o Carioca, o brasileiro de 1997, e a Libertadores de 1998. Foi para encerrar a sua carreira com chave de ouro?

FOTO: Mauricinho campeão pelo Vasco da Gama

FOTO: Mauricinho campeão pelo Vasco da Gama

Boleiro – “Eu sou um cara privilegiado… Fui um dos poucos que pude voltar ao Vasco por três vezes… Só que antes disso, passei um ano e meio no Botafogo e fomos campeões do Carioca… Joguei ao lado do Túlio (foi o artilheiro do brasileiro de 1994) e, ainda fui campeão jogando no Japão… E em 1997, volto para o Vasco… Só não encerrei a carreira com chave de ouro, porque faltou a conquista do mundial… Eu tenho orgulho em falar que participei da maior conquista do clube, a libertadores justamente no ano do centenário do clube”.

FOTO: Mauricinho campeão pelo Botafogo

FOTO: Mauricinho campeão pelo Botafogo

Blog – Chegamos ao encerramento da sua carreira. Você defendeu pela ordem, Ponte Preta, Botafogo e o Kyoto-JPA e encerrou sua carreira no Vasco, no final da década de 1990. Como foi o encerramento da sua carreira?

Boleiro – “A sequência é essa mesma… Eu encerrei a minha carreira, onde comecei, no Comercial… Fui para o Vasco com 18 anos de idade e voltei para o Comercial (para encerrar a carreira) com 37 anos… Eu me preparei para isso, eu sabia que um dia chegaria esse momento. Mas, jogar ao lado do ídolo durante seis anos (Roberto Dinamite), foi a realização de uma bela carreira. Posso te garantir que não sofri muito, mas confesso que esse momento é um “back”.

AGORA O PAPO É RETO

Blog – Hoje, se você pudesse escolher em qual time jogar, qual seria?

Boleiro – “Vasco da Gama”;

Blog – Uma camisa?

Boleiro – “A camisa de número sete da seleção brasileira”;

Blog – Um treinador?

Boleiro – “Antônio Lopes”;

Blog – Um craque de qualquer época?

Boleiro – “Roberto Dinamite e Romário”;

Blog – Um jogo inesquecível?

Boleiro – “Em 1986, o Romário havia acabado de ser promovido para os profissionais e nós ganhamos a Taça Guanabara em cima do Flamengo de: Leandro, Jorginho, Zinho e etc…”.

Blog – Um gol inesquecível?

Boleiro – “Foi num Vasco e Botafogo… Recebi um passe no meio campo, apliquei uma “caneta” no Leir, driblei o goleiro do Botafogo e quase entrei com bola e tudo no Maracanã”.

Blog – O marcador que te deu mais trabalho?

Boleiro – “Vladimir”;

LANÇAMOS AGORA, A PERGUNTA BOMBA

Blog – Escale o seu time Mauricinho!

Boleiro – “Acácio, Mazinho, Donato, Mauro Galvão e Branco; Dunga, Geovane e Juninho Pernambucano; Eu, Roberto e Romário”;

Blog – As considerações finais sobre a nossa coluna!

Boleiro – “Eu achei maravilhosa, sensacional essa iniciativa. As pessoas tem que ser lembradas durante a vida, e os meninos mais novos não tem a ideia do que fizemos no passado e fiquei muito feliz pela lembrança e pelo convite em participar de mais um Papo com Boleiro. Espero poder contar mais da minha história do futebol em outros momentos”.

Por: Luiz Otávio Oliveira

Facebook: @papocomboleirolance

Twitter: @papocomboleiro

E-mail: papocomboleiro@gmail.com



MaisRecentes

Agora ele é professor – Batemos um papo com o ex-jogador Luisinho



Continue Lendo

Ele conquistou seis campeonatos brasileiros – Batemos um papo com o ex-jogador Andrade



Continue Lendo

Flamengo X Vasco – Só conhece quem já viveu esse clássico



Continue Lendo