Tem Futebol Raiz no Papo com Boleiro – Qual foi a melhor dupla de ataque?



BEBETO E RENATO GAÚCHO COM A CAMISA DO FLAMENGO ENTRE 1987/1988

FOTO: Bebeto e Renato Gaúcho no Fla de 88/89

Em 1987, Renato acertou sua ida para o Flamengo, onde veio a formar uma grande dupla de ataque com Bebeto, e ajudou o Fla a ser campeão brasileiro em 1987 e da Copa do Brasil em 1990, após voltar da Roma, afirmando: “Não me importo em perder dinheiro. Troco a tristeza pela felicidade de vestir o Manto Sagrado.” Renato ganhou a simpatia da torcida rubro-negra após marcar contra o Atlético Mineiro, no Mineirão, o gol que garantiu de vez o Flamengo na final do Campeonato Brasileiro de 1987. Naquela ocasião, Renato foi eleito o melhor jogador do campeonato, recebendo a Bola de Ouro da Revista Placar.

Na Copa União de 1987, Bebeto marcou um gol por jogo. Ao lado de um elenco estelar que reunia jovens talentosos e veteranos consagrados (Zico, Andrade e Edinho no segundo grupo, bem como Leonardo, Jorginho, Zinho, Renato Gaúcho e o próprio Bebeto no primeiro), a equipe foi campeã do Módulo Verde.

Campeão da Taça Guanabara em 1988 e 1989 – tendo sido artilheiro, embora caído ante Vasco e Botafogo na final do Campeonato Carioca, respectivamente, Bebeto já tinha 143 tentos com o manto rubro-negro. Após ser rendido e eliminado pelo Grêmio no Campeonato Brasileiro de 1988, a expectativa para 1989 era alta, afinal, Bebeto começava a atingir o auge de sua carreira, então com 24 anos. Era hora de um contrato extenso, com boas quantias e que garantisse o futuro do atacante como jogador do Flamengo. Mas não foi bem assim que a história se desenvolveu.

RONALDO FENÔMENO E O NIGERIANO KANU COM A CAMISA DA INTERNAZIONALE ENTRE 1997/1998

FOTO: Ronaldo e Kanu 97/98

A Internazionale vivia um jejum de títulos e não ganhava a Serie A há sete anos – o último tinha sido com os alemães, em 1989. Massimo Moratti era o presidente e dono do clube. Tinha assumido o clube dois anos antes, em 1995. Mas foi neste dia 20 de junho de 1997 que Moratti conseguiu realizar o seu maior feito em termos de contratações ao longo dos 18 anos que foi presidente e dono do clube. Um sonho que parecia improvável, para não dizer impossível e se concretizou: Ronaldo Nazário de Lima foi para Milão e vestiu o azul e preto da Inter como novo contratado. Isso um ano depois do Barcelona bater o recorde de transferências para tirá-lo do PSV por US$ 20 milhões.

Foram 99 jogos, 59 gols e só um título, a Copa da Uefa de 1997/98. Justamente naquele seu primeiro ano, discutivelmente o melhor da sua carreira. Ronaldo aterrorizou defesas italianas, que estavam entre as melhores do mundo na época.



MaisRecentes

Pretendido pelo Coritiba, jóia do XV de Piracicaba torce pelo início do Paulista Sub-20 para seguir com carreira promissora



Continue Lendo

Vivendo no Irã, zagueiro brasileiro comenta sobre rotina pessoal de treinos e lamenta situação no país: “muito triste”



Continue Lendo