Ele conquistou seis campeonatos brasileiros – Batemos um papo com o ex-jogador Andrade



FOTO: Anrdade técnico do Fla campeão brasileiro em 2009

FOTO: Anrdade técnico do Fla campeão brasileiro em 2009

“O segredo foi ter conseguido unir a equipe e conquistar o respeito dos atletas. Os atletas colocaram na cabeça de que eles poderiam ir muito além de onde estávamos”!

FOTO: Anrdade no Flamengo no começo da sua carreira

FOTO: Anrdade no Flamengo no começo da sua carreira

Batemos um papo com o ex-jogador Andrade. Um de um dos maiores vencedores de campeonatos Brasileiros. Andrade venceu cinco (contanto a polêmica Copa União de 1987). O último, em 1989, vestindo a camisa do Vasco

Blog – Quem é hoje o ex-jogador Andrade?

“Hoje, sou uma pessoa muito realizada. Conquistei seis títulos brasileiros, cinco campeonatos estaduais, uma Libertadores, um Mundial Interclubes e sou feliz por essas conquistas. Hoje, sou treinador de futebol. Tive a felicidade de treinar o time que me revelou e ainda conquistar um campeonato brasileiro. Agora, estou seguindo para Pernambuco, treinar o time do Petrolina, na disputa do campeonato pernambucano… Esse é o Andrade (risos)”.

Jorge Luiz Andrade da Silva, o Andrade, nascido no dia 21 de abril de 1957, foi um volante de muita técnica, brilhou no Flamengo no final dos anos 70 e início dos anos 80.

Blog – Ao final dos anos 70 e início dos anos 80, jogando pelo Flamengo, você começa a brilhar para o cenário mundial. Como foi o início da sua carreira?

FOTO: Andrade no Flamengo no começo de carreira

FOTO: Andrade no Flamengo no começo de carreira

“Foi um início muito difícil. Um garoto vindo de Juiz de Fora, eu fiz um teste no Flamengo em 1974, fui aprovado… Permaneci durante três anos na base e depois fui jogar na Venezuela! Nos anos de 1977 e 1978, fui vice-artilheiro no primeiro ano e artilheiro no segundo ano. Jogava em uma posição diferente, por isso eu digo que foi uma experiência muito boa… Em 1979, regresso ao Flamengo a pedido do treinador do Coutinho, mas com o Carpegianne como titular. Mas, ele (Carpegianne) estava se recuperando de uma lesão e, jogava um jogo e ficava dois fora. Foi aí que eu ganhei as minhas oportunidades… No meado de 1979, eu já era titular do Flamengo. O início sempre é difícil, mas você tem que ter a cabeça tranqüila e a disposição para superar as adversidades da vida”.

Andrade vestiu a camisa rubro-negra por 10 anos: 1977 até 1987. Foram 566 jogos pelo rubro-negro (329 vitórias, 138 empates e 99 derrotas) e 28 gols.

Blog – E no Flamengo, você vestiu o manto rubro-negro por 10 anos: 1977 até 1987. Inclusive fazendo parte de um ou do talvez o melhor time já visto na história do Flamengo. Você chegou a disputar 566 jogos com 329 vitórias, 138 empates e 99 derrotas. Marcando 28 gols. Como foi a sua passagem pelo Flamengo, como jogador?

FOTO: Andrade no Fla campeão de 1981

FOTO: Andrade no Fla campeão de 1981

“Não tenho dúvidas que foi uma passagem vitoriosa. Eu como profissional, me sinto muito realizado. Por isso, sou muito grato ao Flamengo por tudo que fez por mim… Tive a oportunidade de defender a nossa seleção brasileira, atuando pelo Flamengo, fomos campeões carioca, campeões brasileiro, em 1981, campeões da Libertadores e Mundial Interclubes, em 1982 e 1983 bicampeão brasileiro, e em 1987, mais um título nacional. Uma passagem vitoriosa… Sem contar, na oportunidade que eu tive de jogar no maior time da história do Flamengo”.

Transferiu-se para a Roma, da Itália, e retornou ao futebol carioca, em 1990, para defender o Vasco da Gama.

Blog – E como foi o Andrade no futebol italiano?

“Foi uma experiência muito boa… Mas, cheguei ao time da Roma em momento difícil do clube. A diretoria não conseguiu montar uma equipe forte e eu também estava regressando de uma contusão no Flamengo… Mas, como valeu como experiência de vida, porém, na parte profissional, não foi aquilo que eu esperava. O meu rendimento foi um pouco abaixo do que eu apresentava no Flamengo… Cheguei também após a pré-temporada”.

Blog – Ao regressar para o Brasil, você assina contrato com o Vasco – maior rival do clube que te projetou –. Por que você regressa ao Brasil e logo para jogar pelo Vasco? E, como foi a sua passagem pelo Vasco?

FOTO: Andrade no grupo do Vasco campeão brasileiro em 89

FOTO: Andrade no grupo do Vasco campeão brasileiro em 89

“Quando eu retorno ao Brasil, a minha intenção era jogar pelo Flamengo. Mas, coincidiu com a volta do Júnior que estava no Pescara da Itália… O presidente do Flamengo estava na Itália e, começou um rumor que o meio campo do Flamengo teria uma idade muito acima da média, e o Telê Santana (treinador na época), optou pelo Júnior… Primeiro surgiu uma proposta para assinar com o Fluminense, já estava “quase” tudo certo, mas, surgiu outra proposta do Vasco que, estava montando um grande time. Assinei com o Vasco e, ali, tive uma passagem maravilhosa. Chegamos a final de um campeonato carioca, conquistamos o campeonato brasileiro de 1989, e me tornei o recordista nas conquistas de campeonatos brasileiros… Foram dois anos maravilhosos, onde além de títulos, conquistei muitos amigos”.

Andrade fala sobre o encerramento da sua carreira

Blog – Depois de defender outros clubes, é chegada a hora de “pendurar as chuteiras”! Quando você percebeu que já era à hora de parar? E se essa decisão pesou?

“Sem dúvidas, essa é uma decisão muito difícil a ser tomada. Mas, eu tive que parar. Comecei a ter problemas no joelho e, fazia tratamentos e não adiantava… Mas, é muito difícil. É como se fosse morrer pela primeira vez! Parar de fazer algo que você adora fazer é muito doloroso, por isso comecei a buscar logo, alguma coisa para fazer”.

Andrade conta um pouco sobre a sua carreira de treinador

Após encerrar sua carreira como jogador, Andrade trabalhou por muitos anos no futebol do Flamengo. Em inúmeras ocasiões, assim que algum técnico do Flamengo era demitido, Andrade assumia o comando técnico do rubro-negro. Foi assim em 2004, quando assumiu o comando da equipe após a queda do técnico Abel Braga e conseguiu evitar o rebaixamento da equipe no Brasileirão. E foi assim também em 2005, quando assumiu o Flamengo logo após a queda do técnico Celso Roth. Ainda está na Gávea. Em 2008 assumiu o posto de auxiliar técnico do Flamengo, comandado por Caio Júnior. Em julho de 2009, após a saída do técnico Cuca, voltou a assumir o Mengão, primeiro de maneira interina e depois como treinador efetivo.

Blog – Depois de encerrar a carreira, você se torna auxiliar técnico no Flamengo e, por quatro vezes, assumi o cargo de técnico interino da equipe principal e, duas, como o treinador principal. Ali estava surgindo o treinador que seria o campeão brasileiro de 2009?

“Comecei no CFZ do Zico, logo em seguida, fui para o Flamengo trabalhar como funcionário… Trabalhei com 11 treinadores que por ali passaram, foram quase sete anos como auxiliar… Quando o caldeirão fervia e o Flamengo precisava de mim para dar uma esfriada, eu entrava em ação… Em certa vez, o Flamengo estava para cair. Faltavam seis jogos para o fim da competição e o time tinha 60% de chance de ser rebaixado. Fizemos o último jogo contra o Cruzeiro e ganhamos de 6 x 2. Já em 2009, com a saída do Cuca, assumi a equipe e tive um prazo mais longo para trabalhar… Naquela ocasião, estávamos 12 pontos atrás do Palmeiras, e, tínhamos um grupo “um pouco rachado”! Mas tínhamos jogadores talentosos, alguns consagrados”.

Blog – Em 2009, com a saída do técnico Cuca, você assume o Flamengo por dois jogos e, tendo apresentado bons resultados, é efetivado como técnico para a disputa do Campeonato Brasileiro. Posteriormente conquistou o título da competição e o prêmio da CBF de melhor técnico do Brasileirão de 2009. O que falar sobre essa conquista?

LOTO: Anrdade técnico do Fla campeão brasileiro em 2009

FOTO: Anrdade técnico do Fla campeão brasileiro em 2009

“O segredo foi ter conseguido unir a equipe e conquistar o respeito dos atletas. Os atletas colocaram na cabeça de que eles poderiam ir muito além de onde estávamos! Devido ao momento muito ruim, o time se fechou para que as coisas vindas de fora, não atingissem o elenco… A confiança veio quando os resultados começaram a surgir, ficamos seis jogos sem perder… Daí vieram os confrontos com os nossos principais adversários que foram: os Palmeiras no Parque Antártica -vencemos, o Atlético Mineiro dentro do Mineirão – vencemos por 3 x 1. E o São Paulo, no Maracanã, vencemos por 2 x 1. Um time muito forte (São Paulo) com Oscar e Borges no banco”.

FOTO: Andrade com o prêmio de melhor técnico do Brasil em 2009

FOTO: Andrade com o prêmio de melhor técnico do Brasil em 2009

Em 2010, após perder o título da Taça Rio para o Botafogo, que foi Campeão Carioca, pois já havia vencido a Taça Guanabara, Andrade também foi contestado na campanha da Libertadores, com altos e baixos, o que culminou com sua demissão, em 23 de abril de 2010.

Blog – Em 2010, após perder o título da Taça Rio para o Botafogo, que foi Campeão Carioca, pois já havia vencido a Taça Guanabara, o seu trabalho também foi contestado na campanha da Libertadores, com altos e baixos, o que culminou com sua demissão, em 23 de abril de 2010. Em algum momento você se achou injustiçado ou tudo o que aconteceu foram coisas do futebol brasileiro – onde treinador só vive de resultados -?

“Nesse ano, houve a mudança da presidência. Disputávamos duas competições ao mesmo tempo (campeonato Carioca e Libertadores) e, naquele momento as disputas eram acirradas, o campeonato Carioca estava muito acirrado, também pesou a parte logísticas entre uma viagem e outra para a disputa da Libertadores… Estávamos classificados para as oitavas de final da Libertadores – mesmo com muitas dificuldades – , mas não foi o suficiente para a diretoria entender que teriam que dar continuidade ao nossos trabalho, porque perdemos o campeonato Carioca para o Botafogo! Mas, isso no Brasil, é algo normal”.

Blog – Hoje, você treina a equipe do Petrolina-PE. O que o treinador Andrade almeja para a temporada da equipe?

“Recebi um convite para trabalhar no Petrolina-PE, é uma nova experiência, um novo desafio. Essa sempre foi a minha vida, com muitos desafios… Previsão é de no segundo semestre ir para Pernambuco, e recomeçar do “zero”… Estou acompanhando tudo que está acontecendo no futebol brasileiro e estou também, cada vez mais forte… O objetivo com o Petrolina-PE é conquistar a vaga para a primeira divisão do campeonato Pernambucano”.

Agora o papo é reto

Blog – Se você pudesse escolher um momento na sua carreira (jogador ou treinador), qual seria esse momento?

“O momento de 1981, onde nós (time do Flamengo) fomos campeões do mundo”.

Blog – Um time?

“O Flamengo, onde sempre será a minha casa”.

O torcedor botafoguense alfinetou durante nove anos o flamenguista por causa da goleada do alvinegro por 6 a 0 sobre o rubro-negro, em 1972. Mas no dia 8 de novembro de 1981 foi o jogo da vingança. O Flamengo devolveu o resultado: 6 a 0. O último gol flamenguista (e o mais comemorado da partida) foi marcado pelo volante Andrade, em chute de fora da área. O Flamengo jogou aquela partida com: Raul; Leandro, Figueiredo, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio (Chiquinho) e Zico (Baroninho); Tita, Nunes e Lico.

Blog – Uma partida inesquecível?

“Em 1981, Flamengo x Botafogo, ganhamos por 6 x 0”.

Blog – Qual é a maior virtude do treinador Andrade?

“Ter persistência e não desistir nunca”.

Lançamos a pergunta bomba

Blog – Hoje, você como um ótimo treinador, escale agora o time do Andrade, com todos os atletas que tiveram o prazer de jogar ao seu lado.

“Em homenagem ao grupo de 81 que venceu tudo, eu escalo esse time, o time perfeito”.

Quais são as suas considerações finais sobre a nossa coluna:

“Vocês foram felizes em criar este espaço. As pessoas no Brasil têm a memória curta e vocês estão recordando os momentos vividos por nós, ex-atletas. Hoje, os novos torcedores, que não tiveram oportunidades de nos ver jogando, a coluna Papo com Boleiro, resgata esse momento. Parabéns pelo belo trabalho”.

Por: Luiz Otávio Oliveira

Facebook: @papocomboleirolance / @aimprensacarioca

Twitter: @papocomboleiro

E-mail: papocomboleiro@gmail.com



MaisRecentes

Agora ele é professor – Batemos um papo com o ex-jogador Luisinho



Continue Lendo

Um driblador e um autêntico ponta – Batemos um papo com o ex-jogador Mauricinho



Continue Lendo

Flamengo X Vasco – Só conhece quem já viveu esse clássico



Continue Lendo