Com calendário cheio, Cláudio Tencati diz: ‘A pré-temporada faz uma diferença tremenda’



Foto: Mauricia da Mata / EC Vitória

A saída de Abel Braga do comando do Flamengo trouxe mais uma vez a tona a falta de continuidade que os técnicos enfrentam no Brasil.

O time carioca foi a nona equipe da Série A a trocar de treinador  em 2019, além do Rubro Negro, Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Ceará, Chapecoense, Goiás, São Paulo e Vasco também já mudaram seus comandantes em 2019.

Na Série B o número é ainda mais alarmante, 14 das 20 equipes já trocaram de técnico ao menos uma vez neste ano. Cláudio Tencati foi um dos profissionais que tiveram seu trabalho interrompido durante a temporada.

Contratado em março de 2019, Tencati assumiu o cargo de treinador do Vitória após o clube demitir Marcelo Chamusca. Com o objetivo de levar o clube baiano de volta a elite do futebol brasileiro, o treinador comandou a equipe por apenas sete partidas nos dois meses que esteve a frente do comando técnico do time.

Foto: Mauricia da Mata / EC Vitória

Para Tencati, fazer uma pré-temporada e ter uma sequência dentro do clube é essencial para o sucesso. O treinador passou sete anos comandando a equipe profissional do Londrina, clube que levou da Série D para a Série B do Campeonato Brasileiro, além de conquistar o Campeonato Paranaense em 2014, a Primeira Liga em 2017 e o tetracampeonato do Paranaense do Interior.

– A pré-temporada faz uma diferença tremenda, pois além de entrosar a equipe, você treina situações da sua equipe que precisam ser melhoradas, a parte tática só funciona se os jogadores estiverem bem tecnicamente e fisicamente. Pela experiência que tenho montando elenco, principalmente no Londrina, é fundamental pegar um trabalho no inicio do ano, porque você já cria o modelo e o estilo de jogo que você quer, também já sabe as características dos jogadores que pontualmente serão contratados. – avaliou.

Por outro lado, o clube baiano foi a segunda vez que assumiu um cargo durante uma competição. Em 2018, comandou o  Atlético-GO na Série B.

– Eu tive a experiência de pegar dois trabalhos de equipes que caíram da Série A para a B com a temporada em andamento e quando não ocorre esse planejamento é muito ruim. É um ponto que estou refletindo para o futuro, se vale a pena pegar trabalhos dessa forma, pois a chance de dar errado é muito grande. – disse.

Tencati também enfatiza a importância do trabalho em conjunto da direção com a comissão técnica na montagem do elenco.

– O treinador precisa estar muito alinhado com a parte gestora do clube, principalmente no período de contratações. Nós temos grandes exemplos de treinadores que tinham uma voz ativa nas contratações e fizeram grandes trabalhos, o Vanderlei Luxemburgo sempre montou grandes times dessa forma, assim como o Telê Santana. – finalizou.



MaisRecentes

Conheça Rodrigo Iglesias, auxiliar técnico do vitorioso time feminino do Corinthians



Continue Lendo