Batemos um papo com o ex-jogador Lúcio Bala



FOTO: Lúcio Bala no Papo com Boleiro

FOTO: Lúcio Bala no Papo com Boleiro

‘Um torcedor invadiu o campo com um cabo de rodo, quando eu já estava com a bola dominada, ele lançou o objeto em minha direção. Só deu tempo de saltar e me livrar do objeto arremessado…’

Das conquistas nos gramados, para o sucesso na vida fora das quatro linhas. Mas na carreira, nem tudo foi um conto de fadas. Vindo de uma família humilde, o ex-jogador Lúcio Bala, fala ao blog como foi difícil realização do sonho em ser jogador de futebol. Um ser humano incrível e de poucas palavras, Lúcio Bala, abre o jogo é, fala sobre a sua carreira, polêmicas, conquistas, fases ruins e surpresas, e como vive hoje, após a aposentadoria.

Blog – Quem é hoje o ex-jogador Lúcio Bala?

– ‘Hoje, sou empresário, tenho negócios em Fortaleza e em Tocantins… Gosto de jogar futevôlei e futebol, nos fins de semana… Esse é o Lúcio Bala depois do encerramento da carreira’.

Blog – Como foi o início da sua carreira como jogador? Houve alguma dificuldade?

– ‘Houve muita dificuldade no começo da minha carreira… Eu vim de uma família pobre e, comecei a jogar na escolinha da minha cidade… Com 16 anos, fui aprovado nos testes no time do Goiás… Quando eu ainda estava na base do Goiás, meu irmão que trabalhava em um depósito de madeira e, sem ter condição alguma, enviava-me dinheiro para eu me manter em Goiânia… Minha mãe era do lar, meu pai carpinteiro e pedreiro… Com muita dificuldade consegui realizar o meu sonho em ser jogador de futebol’.

Blog – Na temporada 95/96, como foi o Lúcio Bala naquele brilhante time do Goiás?

– ‘O Goiás me deu a oportunidade para eu me tornar jogador de futebol profissional (depois de três anos nas categorias de base)… Nessa época, conseguimos subir com a equipe da série B, para a série A… Em 1995, com a mudança de treinador eu não tive muito espaço. Em 1996, sim, conquistei o meu espaço novamente, uma equipe muito boa. Com os jogadores: Reidnei, Romeu, Dil, Alex Dias, Túlio, Kleber, Evandro, Augusto e, outros grandes atletas. Era uma equipe muito boa, me destaquei e fui eleito o jogador revelação do campeonato’.

FOTO: Lúcio Bala no Goiás

FOTO: Lúcio Bala no Goiás

Blog – Já na temporada de 1997, devido ao seu sucesso no time goiano, a diretoria do Flamengo decide apostar em você. Mas alguma coisa saiu errado e, você não conseguiu repetir as mesmas atuações feitas no Goiás. Como foi a sua passagem pelo Flamengo?

– ‘No início, eu comecei muito bem, mas infelizmente, não conseguimos conquistar alguns dos títulos almejados. Conquistamos apenas o Campeonato Carioca, mas chegamos a final da Copa do Brasil e na final da Copa Rio/SP, mas perdemos, recebi uma cobrança muito grande… Naquela época, o Flamengo havia recebido propostas para me vender para o Milan e para o Real Madrid, mas o Flamengo não aceitou. Fui emprestado para o Santos e, em seguida retornei para o Flamengo. Aí sim, nesse retorno, conquistamos a Copa dos Campeões e pude jogar melhor… Foi uma experiência muito positiva’.

FOTO: Lúcio Bala no Flamengo

FOTO: Lúcio Bala com Sávio e Romário no Flamengo

Blog – Você chega ao Santos emprestado pelo Flamengo. Mas, atuou por pouco tempo na equipe santista.

– ‘No Santos, permaneci durante um ano, depois renovei por mais um ano, devido a uma lesão grave no joelho… Mas eu fui titular absoluto ao lado do Viola (que fora artilheiro do Campeonato Brasileiro). Havia uma especulação muito grande sobre a minha convocação para a seleção brasileira, mas dois dias antes da convocação, eu sofri uma lesão muito grave… Conquistamos a Copa Conmebol. Fui muito feliz no Santos. Sempre respeitei as cores do clube’.

Blog – Você retorna ao Flamengo, passa por Guarani, Botafogo, Portuguesa e vai atuar no futebol asiático. Como foi o Lúcio Bala no futebol asiático?

– ‘A minha passagem pela Ásia, foi uma experiência muito boa… Joguei na Coréia, fui vice-campeão nacional… Joguei no Kuwait, onde tive uma experiência sensacional, conquistando dois campeonatos locais e um vice-campeonato… Aprendi a falar inglês e, aprendi também as culturas locais. Isso foi um aprendizado enriquecedor’.

Blog – Depois de atuar por outras equipes brasileiras, ter tido uma passagem marcante também pelo time do Fortaleza, você decide encerrar a sua vitoriosa carreira. Como foi esse seu momento de “pendurar as chuteiras”?

– ‘Resolvi encerrar a minha carreira, jogando pelo time da minha Cidade chamado Gurupi. Eu sou de uma Cidade do interior de Tocantins… Em 2015, eu decidi parar para cuidar dos meus negócios… Me emocionei muito no último jogo, porque passava um filme na minha cabeça. Mas foi tudo muito tranquilo, porque hoje, eu sou feliz. O meu pós-futebol está sendo muito bom. Eu consegui “separar” bem as coisas envolvidas… Nunca me empolguei com fama, porque sabia que em algum dia a minha carreira chegaria ao fim… Ajudei a minha família e ganhei a minha vida com o futebol a minha história foi muito bonita, mas encerrei a minha carreira com muita dignidade’.

FOTO: Lúcio Bala no Fortaleza

FOTO: Lúcio Bala no Fortaleza

Lúcio Bala viveu crise no Flamengo, quase foi agredido por um torcedor rubro-negro e, uma polêmica envolvendo Neymar e políticos do Estado da Paraíba, no jogo válido pela Copa do Brasil, o ex-jogador fala sobre algumas curiosidades da sua carreira

Blog – Conte-nos um fato inusitado da sua carreira:

– ‘Infelizmente, existe um fato negativo… No jogo entre Flamengo e Bangu (o Flamengo não vivia um bom momento no campeonato carioca), eu estava na reserva e o nosso time estava perdendo. O treinador pediu para um certo atleta entrar em campo (não citarei o nome do jogador, pois não convém) e, esse atleta não quis entrar em campo porque a situação do jogo estava muito complicada. Então eu entrei, porque eu nunca tive medo em encarar as responsabilidades… E, um torcedor invadiu o campo com um cabo de rodo, quando eu já estava com a bola dominada, ele lançou o objeto em minha direção. Só deu tempo de saltar e me livrar do objeto arremessado… Um fato inusitado e muito negativo, pois fiquei muito chateado. Mas a falta de respeito do torcedor não me abalou’.

Blog – Jogando pelo Flamengo-PI, ainda na primeira fase da Copa do Brasil, o seu time enfrentou o Santos de Neymar e em uma entrevista para ESPN Brasil, você havia dito que o atacante do Santos fez comentários sobre “os paraíbas”. Que polêmica foi essa Lúcio?

– ‘Nesse episódio, não critiquei o Neymar, apenas fiz uma crítica construtiva… Inclusive eu disse para o Neymar que os jogadores do Flamengo-PI eram todos fãs dele… Mas quem fez mais “barulho” com toda essa história, foram alguns políticos do Estado da Paraíba que disseram que o Neymar, havia se tornado “persona non grata” no Estado da Paraíba, pelas palavras usadas por ele no intervalo do jogo, mas eu acredito que as palavras que Neymar usou, eram e são provenientes de gírias do Sudeste e da sua Cidade, algo muito normal… Depois eu soltei uma nota eximindo o Neymar de toda a culpa’.

FOTO: Lúcio Bala no Flamengo-PI

FOTO: Lúcio Bala no Flamengo-PI

No quadro: O Papo é Reto, o ex-jogador fala sobre o seu time de coração, sobre o confronto contra o Real Madrid, o golaço que fez contra o Vasco e a muralha intransponível.

Blog – Uma camisa?

– ‘A camisa do Flamengo’.

Blog – Uma partida inesquecível?

– ‘Flamengo x Real Madrid. Eu tive a felicidade de marcar um gol nessa partida’.

Blog – Um gol inesquecível?

– ‘Foi no jogo Fortaleza x Vasco, 2005, no Estádio do Castelão. Vencemos por 4 x 2, eu marquei dois golaços’.

Blog – Qual foi o zagueiro mais difícil que você enfrentou?

– ‘Gamarra’.

Lançamos a pergunta bomba:

Blog – De todos os craques que jogaram ao seu lado, monte a seleção do Lúcio Bala:

– ‘Diego, Anderson Lima, Jr. Baiano, R. Angelim e Athirson; Ricardinho, Irandy, Petkovic e Rodriguinho; Eu e Viola; Técnico: Emerson Leão’.

As considerações:

Blog – Deixe as suas considerações finais sobre a nossa coluna:

– ‘Parabéns por esse brilhante trabalho. Não deixe que os momentos vividos pelos antigos jogadores se apaguem. Eu estou muito feliz em participar desta entrevista, continuem assim’.

 



MaisRecentes

Das “peladas” de São Paulo aos gramados europeus – Batemos um papo com o ex-jogador Marcelo Silva



Continue Lendo

Batemos um papo com Túlio Maravilha – O artilheiro do Brasil



Continue Lendo

Batemos um papo com o ex-jogador Beto – O capitão do tri-carioca pelo Flamengo



Continue Lendo