Autor do gol de empate contra o São Paulo, Felipe Silva credita boa fase a Adílson Batista



Foto: Divulgação/Ceará

Na sua segunda passagem pelo Vozão, Felipe Silva alcançou no empate contra o São Paulo a marca de 78 jogos, dez assistências e dez gols pelo clube cearense.

Aos 29 anos, o meia acredita estar no auge de sua forma física e técnica.

“Depois de uma passagem importante no futebol japonês, pude voltar um pouco mais maduro e com vontade de fazer uma grande Série A pelo Ceará. Acredito que nessa reta final de campeonato, onde o Ceará vem precisando dos resultados para permanecer na elite do futebol nacional, eu esteja conseguindo entregar aquilo que o professor Adílson tem me pedido”, revelou o jogador que acumula 38 jogos na temporada.

Foto: Divulgação/Ceará

Segundo Felipe, a chegada de Adílson Batista no comando do Ceará foi fundamental para o crescimento do seu futebol.

“Jogador precisa ter uma sequência para ganhar confiança e foi isso que o Adílson me deu. Sou muito grato a ele por estar apostando em mim e acredito que esteja correspondendo. Ainda temos muitas batalhas pela frente, mas tenho certeza que o Ceará vai alcançar o seu objetivo na temporada”, destacou.

Titular nas últimas dez rodadas, Felipe Silva vem sendo peça importante no esquema tático do Vozão.

“Eu procuro fazer o que o nosso treinador pede. Graças a Deus contra o São Paulo pude fazer o gol de empate que nos garantiu um ponto importante na nossa luta contra o rebaixamento. Agora é preparar bem a equipe para as últimas quatro decisões do ano”, finalizou.

Leiam também:

Atacante do Grêmio, Vitor Barreto celebra vitória e projeta volta da semifinal da Copa Sul

O Ceará encara o badalado Flamengo nesta quarta-feira (27), às 21h30, no Maracanã. Na sequência encara o Athletico Paranaense e Corinthians, em casa, e finaliza sua participação na competição contra o Botafogo, no Estádio Nilton Santos.

 



MaisRecentes

Pretendido pelo Coritiba, jóia do XV de Piracicaba torce pelo início do Paulista Sub-20 para seguir com carreira promissora



Continue Lendo

Vivendo no Irã, zagueiro brasileiro comenta sobre rotina pessoal de treinos e lamenta situação no país: “muito triste”



Continue Lendo