Uribe mantém tradição de artilheiros estrangeiros em Fla-Flus



Uribe marcou duas vezes no Fla-Flu (Foto: Celso Pupo/Fotoarena)

Um dos clássicos mais tradicionais do Brasil, o Fla-Flu tem também, vez ou outra, um toque estrangeiro. Neste sábado, no triunfo rubro-negro por 3 a 0, foi a vez do colombiano Fernando Uribe deixar a sua marca, não uma mas duas vezes, no histórico do confronto.

E não é de hoje que estrangeiros brilham no Clássico das Multidões.

Desde o inglês Henry Welfare, ídolo tricolor das décadas de 10 e 20, que anotou sete de seus 167 tentos contra o rival, que gringos costumam brilhar no duelo. Na década de 70, o argentino Doval, que se tornaria ídolo das duas camisas, teve atuações destacadas, inclusive marcando um dos gols na final do Carioca de 72 vencida pelo  Fla sobre o Flu.

Mais recentemente, o peruano Paolo Guerrero balançou as redes quatro vezes em oito atuações pela equipe da Gávea contra o clube das Laranjeiras, se tornando o 6º maior goleador do clássico neste século. No ano passado, Trauco estufou as redes, já nos acréscimos, no empate em 2 a 2 pelo Brasileiro.

Pelo lado do Flu, o argentino Conca também teve a oportunidade de escrever seu nome no confronto. Em 15 Fla-Flus, o meia marcou três vezes.

No Brasileirão de 2011, quem brilhou foi outro hermano: Darío Botinelli. Com dois gols num espaço de apenas quatro minutos, o meia garantiu a vitória flamenguista de virada por 3 a 2. Lanzini, outro argentino, havia marcado para o Fluminense.

Uribe agora mantém viva a tradição, colocando seu nome ao lado destes e de outros estrangeiros, como os argentinos Alfredo Gonzalez e Valido, o sérvio Petkovic, o uruguaio Ambrois e os paraguaios Reyes, Gamarra e Romerito, que brilharam em outras tardes e noites de Fla-Flu.



MaisRecentes

Números da Bola ganha novo espaço no LANCE!



Continue Lendo

Cristiano Ronaldo atinge seu primeiro recorde na Itália



Continue Lendo

Fluminense traz Fernando Diniz mas perde seus maiores passadores



Continue Lendo