Reforço do Vasco, Werley foi um dos zagueiros que mais fizeram gols no Brasileirão



Werley fez seis gols em 2017 (Foto: Pablo Kennedy/Lancenet)

Com as saídas de Anderson Martins, para o São Paulo, e Paulão – que pode voltar -, para o Internacional, e a lesão de Breno, o Vasco correu no mercado para trazer mais um zagueiro para o elenco – já havia contratado Erazo e Luiz Gustavo. O reforço da vez é Werley, que disputou o último Brasileiro pelo Coritiba.

Titular em 25 partidas do Coxa na competição nacional – passou um tempo afastado em razão de uma lesão muscular -, o defensor se destacou no campeonato principalmente pelos gols marcados. Foram quatro bolas na rede no Brasileirão, um a menos que Réver, do Flamengo, o principal goleador da posição.

Defensivamente, porém, Werley fez parte da 6ª zaga mais vazada da competição. Rebaixado para a Série B, o Coritiba sofreu 51 gols em 38 jogos – média de 1,34 g/j. Com o zagueiro em campo, foram 31 em 25 partidas – 1,24 g/j.

Individualmente, o novo reforço vascaíno teve uma média razoável de desarmes. Segundo o Footstats, foram 26 em 25 rodadas – aproximadamente um por jogo. Anderson Martins e Paulão, entretanto, tiveram números superiores: 1,4 de média – 19 em 14 partidas – para o atual zagueiro do São Paulo, e 1,1 – 27 em 24 – para o Colorado.

WERLEY NO BRASILEIRÃO 2017
– Dados do Footstats

25 jogos
4 gols
0 passes para gol
3 assistências para finalização
8 finalizações certas
7 finalizações erradas
743 passes certos
38 passes errados
0 dribles
41 lançamentos certos
76 lançamentos errados
0 cruzamentos
26 desarmes
11 interceptações
193 rebatidas defensivas

ZAGUEIROS ARTILHEIROS DO BRASILEIRÃO 2017

1º – Réver – Flamengo – 5 gols
2º – Werley – Coritiba – 4 gols
Kanu – Vitória – 4 gols
Thiago Heleno – Atlético-PR – 4 gols
Balbuena – Corinthians – 4 gols



MaisRecentes

Dez jovens jogadores rebaixados que podem ser bons reforços para 2019



Continue Lendo

Seis dos dez maiores artilheiros do Brasil no ano podem mudar de clube em 2019



Continue Lendo

Muita produtividade, pouca eficiência: o 2018 de Sornoza



Continue Lendo