Por que Pablo era um risco alto demais para o Flamengo?



Pablo marcou 18 gols em 51 jogos no ano (Foto: Reinaldo Reginato/Fotoarena)

Artilheiro da Sul-Americana, 3º maior goleador do Brasileirão e 8º jogador com mais gols no ano entre os que atuaram na Série A. Único no top 10 de matadores do país em 2018 a marcar todos os seus tentos em competições nacionais ou internacionais, nenhum em Estadual, já que o Athlético disputa a competição com time sub-23. Campeão continental marcando gol nas duas finais. Inegavelmente, os números de Pablo na temporada são expressivos. Não só as estatísticas, como as próprias atuações do atacante, que não se limitou a balançar as redes.

Inteligente, habilidoso e participativo, foi um dos principais responsáveis pelo grande ano do Furacão, o que justifica todo o assédio sofrido nesta janela de transferência. O Flamengo esteve próximo do acerto com o jogador, tendo oferecido 7 milhões de euros pelo camisa 92, um valor já considerado muito alto para as transações envolvendo equipes brasileiras. O clube paranaense, no entanto, manteve a pedida de 10 milhões de euros – R$ 44,3 milhões – por seu artilheiro, o que fez com que os cariocas desistissem.

O valor pedido é o mesmo do pago por Vitinho, na maior transação da história do time da Gávea, e que para muitos já foi exagerado. Um ano mais novo, o camisa 14, no entanto, chegou ao Flamengo após uma sequência de boas temporadas, iniciada ainda no Botafogo, em 2013. Pablo, por sua vez, viveu agora, aos 26 anos, o seu melhor momento. Em 2017, por exemplo, o atacante balançou as redes apenas três vezes.

Vitinho, aliás, mesmo sendo um atacante de lado de campo, com grande participação defensiva e na criação de jogadas, tem uma média de gols superior a de Pablo na carreira. O rubro-negro marcou 61 gols em 249 partidas como profissional – 0,24/jogo -, enquanto que o centroavante deixou sua marca 53 vezes em 239 atuações – 0,22/jogo. Uma média inferior, por exemplo, a de Pedro, outro destaque da temporada. O atacante tricolor, desde que estreou, em 2016, tem tido um aproveitamento de 0,33 por partida, com 26 gols em apenas 79 confrontos disputados.

O risco por se pagar pelo momento é conhecido. Esse ano, o Rubro-Negro Carioca desembolsou R$ 11,5 milhões por Henrique Dourado, que chegou ao clube também com valores inflacionados após seu melhor desempenho da carreira, quando marcou 32 gols pelo Fluminense. E não correspondeu. Pelo Fla, marcou apenas 12 vezes em 2018.

Um novo fracasso poderia custar ainda mais caro aos cofres do clube, que vive um ótimo momento financeiro, mas que, como qualquer outro, não pode se dar ao luxo de investir errado. Principalmente um montante tão elevado.

Pablo foi espetacular em 2018, e tem todos os méritos por isso. E o Athlético, o direito de valorizar o seu artilheiro. É um atacante de qualidade, ainda é jovem – para o mercado nacional -, mas o valor pedido é alto demais por quem foi despontar como referência apenas aos 26 anos de idade.

Pablo é um ótimo reforço para qualquer time do Brasil, mas também um risco muito alto pelos valores pedidos. Principalmente para os padrões brasileiros.



MaisRecentes

Números da Bola ganha novo espaço no LANCE!



Continue Lendo

Cristiano Ronaldo atinge seu primeiro recorde na Itália



Continue Lendo

Fluminense traz Fernando Diniz mas perde seus maiores passadores



Continue Lendo